Publicidade:

Dieta vegetariana em cães: quais as consequências desta alimentação?

A dieta vegetariana em cães tem vindo a aumentar de popularidade. Mas será esta dieta mais adequada e com mais benefícios do que a dieta tradicional?

Dieta vegetariana em cães: quais as consequências desta alimentação?
Os cães são animais omnívoros

Os cães são descendentes dos lobos, que na vida selvagem são carnívoros, caçando as suas presas para se alimentarem. Assim, a dieta dos cães foi-se baseando ao longo do tempo numa dieta à base de carne. Nos últimos tempos a dieta vegetariana em cães tem vindo a ganhar popularidade, no entanto existem muitas dúvidas se será adequada ou até mesmo contranatura.

Cada vez mais as pessoas têm vindo a demonstrar mais interesse e preocupação com o bem-estar animal, recursos, poluição, aumento de doenças com influência nos alimentos, entre outros fatores, que os leva a repensar a sua alimentação. Também os animais de estimação têm vindo cada vez mais a ocupar um papel relevante como membro da família, dessa forma é normal que as preocupações se estendam aos animais.

Dieta vegetariana em cães: requisitos biológicos


dieta vegetariana em caes cao a comer em gamela

Os cães pertencem à ordem carnívora e os seus ancestrais alimentavam-se à base de carne exclusivamente. No entanto, com a domesticação do lobo, foram surgindo alterações tanto psicológicas como físicas.

Quando ocorreu a domesticação do lobo, os cães ancestrais alimentavam-se dos restos dos alimentos humanos. Foram desta forma “obrigados” a adaptar-se a outros alimentos para conseguirem sobreviver. Começaram então a sofrer alterações no sentido de conseguir metabolizar os hidratos de carbono, passando a ser omnívoros. Essas caraterísticas foram sendo transmitidas de geração em geração.

Dietas vegetarianas em cães são antinaturais?


A maior preocupação quando falamos de dietas sem carne para cães é se serão dietas contra a biologia normal do animal, uma vez que, como já vimos, os cães podem comer hidratos mas a sua base da alimentação passa também pela carne, devido aos seus antepassados lobos carnívoros.

Os cães alimentados com dietas vegetarianas podem ser saudáveis desde que os seus tutores tenham determinados cuidados. No entanto, esta continua a ser uma questão que divide os profissionais, uma vez que existem prós e contras em ambas as dietas, carnívora e vegetariana.

Dietas vegetarianas em cães: prós


Em qualquer dieta é fundamental que sejam cumpridos os requisitos nutricionais para cada espécie. Dessa forma, antes de optar por qualquer dieta ou marca, deve informar-se com os produtores ou médico veterinário acerca da mesma.

1. Razões éticas

Equiparando a alimentação dos nossos animais com a nossa, pessoas que decidem não comer carne por razões de sofrimento animal, podem estar perante o mesmo problema relativamente à alimentação do seu animal de companhia.

2. Saúde

Há quem defenda que, tal como os alimentos processados das pessoas, existem nos alimentos animais alimentos fracos, como subprodutos de carne e aditivos e outros contaminantes. De qualquer das formas, a qualidade da ração irá sempre depender da marca e tipo.

Assim, existem alimentos de melhor qualidade e os tutores devem ter sempre em conta essa diferença e atenção na hora da escolha do alimento.

Dieta vegetariana em cães: contras


Existem alguns riscos associados à dieta vegetariana em cães que devem ser tidos em conta na hora da escolha da dieta do seu cão.

1. Falta de proteína

Um dos riscos da dieta vegetariana em cães é a deficiência em proteína. Animais com deficiência em proteína podem entrar em catabolismo, ou seja, começam a utilizar a proteína dos próprios músculos para gerar energia, levando à sua destruição e provocando desnutrição grave.

2. Nem todos os cães podem ter essa dieta

Cães com determinados problemas de saúde ou cachorros até um ano de idade não devem ter este tipo de alimentação.

3. Pode ser difícil a adaptação

Os cães preferem carne por natureza, e para provar essa teoria basta que coloque uma gamela com ração vegetariana e outra de alimento normal para o cão. Muito provavelmente o cão irá preferir a carne.

4. Cálculos urinários

Um dos potenciais riscos associados às dietas vegetarianas em cães é a ocorrência de cristais de estruvite, que são mais prováveis de ocorrer se o pH da urina se tornar muito alcalino.

Para evitar problemas associados à alcalinização urinária deve levar o cão ao médico veterinário com regularidade para fazer análise urinária. O ideal é que o animal seja avaliado pela primeira vez cerca de 2 a 3 semanas após o inicio da dieta vegetariana.

Se existirem cristais de estruvite ou simplesmente o pH da urina estiver demasiado básico, existem vários agentes acidificantes que podem ser recomendados pelo seu médico veterinário.

Antes de iniciar a dieta vegetariana, o cão deve também ser submetido a estes testes para garantir que já não existe um problema urinário prévio, que pode condicionar a possibilidade do cão fazer uma dieta vegetariana.

Dieta vegetariana para cães: o que escolher?


dieta vegetariana em caes alimentacao mista

Antes de decidir a dieta do seu animal, deve sempre consultar o seu médico veterinário, pois como já vimos, algumas situações individuais do animal podem limitar as suas opções dietéticas.

Se o seu médico veterinário lhe permitir oferecer uma dieta vegetariana ao seu cão, o passo seguinte é escolher o tipo de alimento a oferecer-lhe.

Pode optar por alimentos cozinhados e confecionados por si, alimento húmido ou ração. A alimentação cozinhada pelos tutores pode ser mais difícil de tornar saudável e adequada nutricionalmente uma vez que as necessidades nutricionais dos cães são diferentes das pessoas. Acaba por ser menos prático, mais moroso e pode correr o risco de o animal ficar com alguma deficiência nutricional.

As melhores opções são a ração e o alimento húmido, sendo que pode optar por um ou outro ou até mesmo fazer uma mistura de ambos, ao que se chama alimentação mista.

Para começar a habituar o seu cão a uma dieta vegetariana, deve fazer uma mudança gradual para que o cão não estranhe esta nova alimentação e não haja também consequências físicas como uma disbiose, cursando com uma diarreia.

Veja também:

Fonte

1. Knight, A. et al. (2016). Vegetarian versus meat-based diet for companion animals. Disponível em:
https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC5035952/

Dra. Patrícia Azevedo Dra. Patrícia Azevedo

Patrícia Azevedo é médica veterinária natural de Braga. Desde a sua infância que é apaixonada por animais e sempre teve a ambição de ser médica veterinária. Trabalhou como voluntária em associações de proteção e ajuda a animais errantes desde os 11 anos de idade . Iniciou o seu percurso como estudante desta área na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro e concluiu os seus estudos no Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar. Tem três gatos e uma cadela retirados da rua. Trabalha atualmente na sua cidade natal, em medicina e cirurgia de pequenos animais.

O Vida Ativa disponibiliza e atualiza informação, não presta serviços de aconselhamento nutricional, de saúde ou de treino. O Vida Ativa não é proprietário nem responsável pelos produtos e serviços de terceiros apresentados, por conseguinte não será responsável por quaisquer perdas ou danos que possam resultar de quaisquer imprecisões ou omissões. A informação está atualizada até à data apresentada na página e é prestada de forma geral, tratando-se de textos meramente informativos, pelo que não constitui nem dispensa a assistência profissional qualificada e individualizada. Caso pretenda sugerir uma atualização, por favor, envie-nos a sua sugestão para: [email protected].