Publicidade:

Como identificar que o cão está com dor? Conheça os sinais!

Saiba como identificar que o cão está com dor de forma a evitar que o animal chegue a uma situação extrema. Conheça os sinais e ajude o seu melhor amigo.

Como identificar que o cão está com dor? Conheça os sinais!
Uivar e gemer podem ser sinais de dor em cães.

Saber como identificar que o cão está com dor nem sempre é tarefa fácil, no entanto conseguir percebê-lo numa fase inicial pode, em alguns casos, salvar a vida do seu cão.

Esteja atento a alguns sinais e detete precocemente se algo se passa com o seu amigos de quatro patas.

Como identificar que o cão está com dor? 15 Sinais que o ajudam a perceber


como identificar que o cao esta com dores cao escondido

1. Falta de apetite

Se o animal tiver dor em alguma parte do corpo, muito provavelmente irá ter uma diminuição de apetite, podendo até deixar de comer.

Este é o sinal mais frequentemente entendido pelos tutores de animais, pois quando deixa de comer acabam por se preocupar e entender que alguma coisa não está bem com o seu animal.

No entanto, este sinal quando surge significa que o animal já está num estado grave com dor generalizada.

2. Apatia

A dor vai fazer com que o animal fique mais letárgico e se queira movimentar menos. É possível notar este sinal especialmente em cães enérgicos pois deixam de querer brincar repentinamente.

3. Vocalizações

Um cão com dor pode emitir ruídos diferentes do normal como choro, gemidos ou uivos para chamar a atenção do seu tutor. Se o seu cão ultimamente “chora” sem razão aparente pode ser necessário procurar o seu médico veterinário.

4. Alteração da postura

Principalmente se a dor for nas patas, coluna, cabeça ou pescoço o cão terá tendência para ter alterações na sua postura normal, andando encurvado. Quando surge uma dor na zona abdominal o animal pode também andar mais encurvado do que o normal.

5. Claudicação

Se o cão estiver magoado numa pata, poderá claudicar, ou seja, mancar. Neste caso pode também ter outros sinais como reagir quando se toca no local dorido.

6. Alterações comportamentais

Tornar-se agressivo pela dor é um exemplo de alteração comportamental em cães que apresentam dor em algum local do corpo.

Podem também ter alterações no habito de dormir, como dormir mais do que o habitual ou ter dificuldade em dormir da forma que estava habituado.

O cão pode também deixar de urinar ou defecar nos locais ou horários habituais.

7. Coçar

Coçar os locais em que apresentam dor é um sinal característico de dor nos cães. Por exemplo, quando têm uma otite e, portanto, têm dor no ouvido, podem coçar compulsivamente a orelha.

8. Piscar os olhos

Piscar os olhos pode ser um sinal de sensibilidade à luz provocada por dores nos olhos devido a uma infeção, inflamação, ou glaucoma. É importante levar o seu animal a uma consulta, pois doenças nos olhos podem levar à cegueira.

Nunca auto-medique o seu animal, especialmente nos olhos.

9. Respirar ofegante

Quando os cães estão com muitas dores podem começar a respirar de uma forma muito acelerada e ofegante. Também existem outras razões para o seu cão ter alterações respiratórias como infeções respiratórias por exemplo.

Portanto, se o seu cão começar a respirar de forma diferente, deve consultar o seu médico veterinário.

10. Mostrar-se inquieto

Com a dor, os cães podem ficar inquietos e ansiosos. Podem por exemplo tentar descansar e dar muitas voltas até conseguirem arranjar a posição ideal.

11. Esconder-se

Isto acontece mais nos gatos, no entanto os cães também podem esconder-se em locais que não costumam estar e isolarem-se dos seus tutores.

12. Dificuldade em defecar

Caso o seu cão manifeste dificuldade em defecar pode estar com algum problema que não esteja propriamente relacionado com o sistema digestivo. Por exemplo, um tumor da próstata pode fazer compressão causando dificuldade em defecar.

Também em cães mais idosos podem desenvolver hérnias na coluna que causam dor ao defecar.

13. Dificuldade em urinar

Dificuldade em urinar também pode ser um sinal de dor, por exemplo, provocada para uma infeção urinária.

Caso tenha dificuldade em urinar o seu cão pode até urinar “às pingas” e em locais inapropriados.

14. Lamber-se excessivamente

É normal que o seu cão se lamba, principalmente nas patas e na zona das coxas. No entanto, quando se lambe exageradamente, chegando por vezes ao ponto de fazer ferida na pele, pode ser sinal de um problema.

O lamber em excesso pode ser um sinal de stress e ansiedade, mas se o lamber for sempre na mesma zona, poderá tratar-se de alguma dor num ponto especifico.

15. Dormir mais

Tal como nas pessoas, quando os cães têm alguma dor, podem ter tendência para passar mais tempo deitados e a dormir. Principalmente se a dor se acentua enquanto andam, podem ter mais tendência para ficarem parados.

Em conclusão…


Saber como identificar que o cão está com dor pode ser complicado para os tutores, no entanto, é importante estar atento a pequenos sinais que podem transmitir que o seu cão não está bem de saúde, logo numa fase inicial.

Identificar dores num animal numa fase inicial e levá-lo de imediato ao médico veterinário pode ser crucial no tratamento.

Veja também:

Dra. Patrícia Azevedo Dra. Patrícia Azevedo

Patrícia Azevedo é médica veterinária natural de Braga. Desde a sua infância que é apaixonada por animais e sempre teve a ambição de ser médica veterinária. Trabalhou como voluntária em associações de proteção e ajuda a animais errantes desde os 11 anos de idade . Iniciou o seu percurso como estudante desta área na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro e concluiu os seus estudos no Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar. Tem três gatos e uma cadela retirados da rua. Trabalha atualmente na sua cidade natal, em medicina e cirurgia de pequenos animais.

O Vida Ativa disponibiliza e atualiza informação, não presta serviços de aconselhamento nutricional, de saúde ou de treino. O Vida Ativa não é proprietário nem responsável pelos produtos e serviços de terceiros apresentados, por conseguinte não será responsável por quaisquer perdas ou danos que possam resultar de quaisquer imprecisões ou omissões. A informação está atualizada até à data apresentada na página e é prestada de forma geral, tratando-se de textos meramente informativos, pelo que não constitui nem dispensa a assistência profissional qualificada e individualizada. Caso pretenda sugerir uma atualização, por favor, envie-nos a sua sugestão para: [email protected].