Publicidade:

Sabe como cuidar de um gato recém-nascido? Aprenda as melhores dicas

Sabe como cuidar de um gato recém-nascido? Conheça todos os cuidados a ter com estes pequenos seres e não descure da saúde e educação do seu melhor amigo.

Sabe como cuidar de um gato recém-nascido? Aprenda as melhores dicas
Os gatinhos órfãos necessitam de ser estimulados para fazer necessidades

Principalmente quando chega o tempo mais quente, na Primavera, começam a aparecer as primeiras ninhadas. Especialmente ninhadas de rua estão em risco de perder a sua mãe gata ou esta pode até rejeitá-lo. Assim, a tarefa de cuidar irá caber a quem os encontrar. Mas sabe como cuidar de um gato recém-nascido?

Como cuidar de um gato recém-nascido: idade dos gatinhos


como cuidar de um gato recem-nascido gatinho acabado de nascer

A primeira coisa a fazer para saber como cuidar de um gato recém-nascido é identificar a idade aproximada do gatinho, uma vez que consoante a idade os cuidados podem ser ligeiramente diferentes. O ideal, caso encontre um gatinho órfão é levá-lo ao médico veterinário de forma a que seja feito um check-up de saúde.

Gatinhos órfãos são muito frágeis, e caso estejam com algum problema mais sensíveis serão, daí a importância do acompanhamento médico-veterinário. O profissional de saúde irá também ensiná-lo a cuidar do gatinho e estimar a sua idade.

1. Cordão umbilical

Os gatos, tal como os bebés humanos estão ligados à sua mãe através do cordão umbilical. Nos animais, as próprias mães fazem o parto e cortam o cordão umbilical, ficando o coto no gatinho. Por volta dos 3 a 4 dias de vida do gatinho o cordão cai.

Assim, se o gatinho ainda apresenta o cordão umbilical significa que tem ate 3 dias de vida.

2. Abrir os olhos

Os gatinhos nascem sem ver e sem ouvir, estando mesmo com os olhos fechados. Abrem-nos entre os 10 a 15 dias de vida.

Muitas vezes os gatinhos mais velhos parecem ter os olhos fechados, mas pode tratar-se de uma infeção chamada coriza causada por um vírus, que provoca conjuntivite exuberantes que leva a que os gatinhos fiquem com os olhos colados devido às secreções, e consequentemente aparentem ter os olhos fechados.

É muito importante, ao encontrar o gatinho levá-lo ao médico veterinário para perceber a sua idade real e se não há nenhum sinal de doença.

3. Dentes

Os gatinhos nascem também sem dentes, e estes vão começando a surgir por volta das 3 semanas, momento em que podem começar a fazer a transição do leite materno para a comida. Às 7 semanas todos os dentes de leite já nasceram.

4. Cor dos olhos

Todos os gatinhos apresentam cor dos olhos azul até às 6 semanas de vida. Só depois desta idade a cor muda para a definitiva. Isto apenas se aplica a gatinhos que não fiquem com os olhos azuis na idade adulta, pois nestes a coloração dos olhos não irá mudar.

Como cuidar de um gato recém-nascido arranjando uma mãe adotiva?


como cuidar de um gato recem-nascido gato na cesta

Se encontrar um gatinho recém-nascido ou uma ninhada a primeira coisa a fazer é verificar se a mãe está por perto. Muitas vezes as gatas escondem as ninhadas para irem em busca de alimento e depois voltam para ir buscar os bebés.

Aguarde algumas horas para ver se a mãe volta ao local, sem os mover ou tocar, pois isto pode fazer com que a mãe os rejeite, se realmente voltar.

Caso algum bebé ou a ninhada esteja em perigo ou a precisar de ser socorrida, este período de espera não se aplica e deve antes pegar com cuidado e levá-los ao médico veterinário mais próximo para serem avaliados.

Se ao final de 3 horas a mãe não aparecer, recolha o ou os bebés e comece a tentar cuidar deles.

Os gatinhos recém-nascidos são muito sensíveis e o leite materno é o que lhes confere proteção e imunidade. O trabalho de uma gata a cuidar de bebés da sua espécie é muito melhor e natural do que se for feito por humanos, ainda que se tratem de pessoas experientes.
Assim, caso tenha recolhido um gatinho ou ninhada órfã a primeira coisa a tentar é arranjar uma mãe gata adotiva.

Pedir ajuda no veterinário, a associações ou através de meios de divulgação como o facebook pode ser uma ajuda importante para conseguir uma gatinha que esteja apta a amamentar.

Depois de ter arranjado uma candidata ideal, o próximo passo é fazer com que aceite os gatinhos adotivos, e este passo requer muita paciência e cautela, pois fazendo alguma coisa errada corre o risco de a mãe adotiva os rejeitar.

Nunca deve forçar a aceitação dos bebes por parte da mãe adotiva. O ideal e envolve-los num cobertor com o cheiro desta e dos seus bebés. Posteriormente colocá-los perto da gata e aguardar sempre sob vigilância a sua reação.

Como cuidar de um gato recém-nascido: amamentando a biberão


Caso não arranje nenhuma mãe adotiva ou esta não aceite os bebés, a única solução será amamentar a biberão.

Esta é uma tarefa difícil, especialmente se não tiver experiência. E devido à fragilidade dos bebés pode ser ingrata podendo os gatinhos morrer durante esta fase.

1. Alimentação

como cuidar de um gato recem-nascido alimentar gatinho

Um dos pontos-chave de como cuidar de um gato recém-nascido é saber alimentá-lo. Como não têm reservas corporais os gatinhos entram rapidamente em hipoglicemia (baixa de açúcar no sangue). É, por isso, importante que os gatinhos nunca passem durante longos períodos.

Nunca dê ao gatinho leite de vaca ou qualquer outro leite que não seja um leite de substituição adequado para gato. Deve sempre informar-se com o médico veterinário acerca do alimento de substituição indicado para o gato bebé nesta fase.

Junto com o leite de substituição, por norma, vem também um biberão adequado ao gato. Nunca administre leite com uma seringa a não ser que em determinada situação seja aconselhado pelo seu médico veterinário, pois a seringa não permite um controlo tão grande por parte do gato e pode provocar uma pneumonia por aspiração.

Nunca deve alimentar o gatinho como se fosse um bebé humano, mas sim em posição de barriga para baixo, tal como na sua posição natural de mamar na gata mãe, pois isto também pode provocar uma pneumonia por aspiração.

O ideal é que nas duas primeiras semanas de vida ou gatinhos sejam alimentados de 2 em 2 ou, no máximo 3 em 3 horas. Com cerca de 3 semanas surgem os primeiros dentes e podem começar a ser introduzidas as primeiras papas apropriadas para gatinhos em fase de transição, sempre complementadas com o leite.

2. Onde colocar os gatinhos

como cuidar de um gato recem-nascido gatinho numa caixa

Uma vez que vão ter que ser alimentados com intervalos curtos o ideal é que os gatinhos estejam numa caixa de transporte para poderem ser transportados. Um espaço pequeno e confortável é o ideal para os gatinhos até às 2 semanas.

A partir das 2 semanas começam a querer explorar e a mesma caixa onde eram transportados pode ser colocada num espaço pequeno aberta, para permitir que os gatinhos possam andar livremente e explorar, mas sempre num curto espaço para que saibam voltar ao seu ninho.

3. Temperatura

como cuidar de um gato recem-nascido gatinhos quentinhos

É importante manter os gatinhos quentes, pois normalmente estes aconchegam-se na mãe, e com o seu calor corporal esta para além de lhes proporcionar conforto, também os aquece. Na falta da mãe, o ideal é colocar um botija de água quente para mimetizar a mãe.

Também podem ser colocados cobertores no ninho dos gatinhos, mas cuidado para o ambiente não ficar demasiado quente.
Estimular as necessidades fisiológicas

A mãe gata costuma lamber os gatinhos para os estimular a urinar e defecar. Na falta da mãe é necessário esfregar os genitais com uma compressa ou pano humedecido depois de cada refeição para que façam as suas necessidades.

Veja também:

Dra. Patrícia Azevedo Dra. Patrícia Azevedo

Patrícia Azevedo é médica veterinária natural de Braga. Desde a sua infância que é apaixonada por animais e sempre teve a ambição de ser médica veterinária. Trabalhou como voluntária em associações de proteção e ajuda a animais errantes desde os 11 anos de idade . Iniciou o seu percurso como estudante desta área na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro e concluiu os seus estudos no Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar. Tem três gatos e uma cadela retirados da rua. Trabalha atualmente na sua cidade natal, em medicina e cirurgia de pequenos animais.

O Vida Ativa disponibiliza e atualiza informação, não presta serviços de aconselhamento nutricional, de saúde ou de treino. O Vida Ativa não é proprietário nem responsável pelos produtos e serviços de terceiros apresentados, por conseguinte não será responsável por quaisquer perdas ou danos que possam resultar de quaisquer imprecisões ou omissões. A informação está atualizada até à data apresentada na página e é prestada de forma geral, tratando-se de textos meramente informativos, pelo que não constitui nem dispensa a assistência profissional qualificada e individualizada. Caso pretenda sugerir uma atualização, por favor, envie-nos a sua sugestão para: [email protected].