Publicidade:

O seu cão morde-se muito? Saiba o porquê e o que fazer

O seu cão morde-se muito? Existem inúmeras razoes para o seu cão se morder, e a longo prazo esse comportamento pode trazer consequências negativas.

O seu cão morde-se muito? Saiba o porquê e o que fazer
Morder-se excessivamente pode levar a problemas graves no cão

Mordiscar-se e lamber-se é um comportamento natural do cão, pois é assim que se coçam e se limam. No entanto, por determinadas razões o seu cão pode começar a morder-se de uma forma exagerada, levando a outros problemas de saúde. Portanto, se o seu cão morde-se muito, é altura de o levar a uma consulta para saber qual a causa e parar com este comportamento.

O seu cão morde-se muito? 4 razões para o fazer


cao morde-se muito cao com comichao

Existem várias razões para o seu cão se morder, no entanto é sempre importante descobrir a causa deste comportamento para conseguir erradicá-lo.

1. Parasitas externos

Os parasitas externos como pulgas e carraças podem causar irritação na pele do seu cão e provocar-lhe desconforto e prurido, assim, o seu cão morde-se muito para tentar não só coçar-se, mas também retirar estes parasitas do seu pelo e pele, em zonas a que consegue aceder.

Alguns animais fazem alergia à picada da pulga, ou mais propriamente, desenvolvem uma resposta alérgica individual à saliva da pulga, criando para além do prurido “normal” sentido pela presença das pulgas e sua picada, ainda uma dermatite, inflamação da pele, com um grau de prurido maior que pode levar o animal até a auto mutilar-se.

Para além dos parasitas externos facilmente visíveis a olho nu, existem também parasitas externos que o olho humano não consegue identificar, como é o caso dos ácaros. Os ácaros são os agentes causadores de sarna, que por norma causam muito prurido levando também o animal a coçar-se, que em casos mais extremos pode levar o cão a morder-se muito.

2. Dor

Quando o cão tem dor em determinado local a maneira que encontra de tentar aliviar esse incómodo é lambendo e mordendo essa mesma zona, mesmo que a dor seja mais interna. Acontece muitas vezes em situações de dores nas articulações ou ossos os cães mordem muito as patinhas.

Pode também em situações em que os cães espetam alguma coisa nas patinhas, como praganas, lambem por dor e para tentar retirar o objetos.

Se o animal morde especialmente uma determinada zona, é provável que esteja com alguma dor localizada e deve ser avaliado pelo médico veterinário de forma a identificar a origem da dor.

3. Comichão

Existem várias doenças de pele que podem causar prurido, como infeções bacterianas, pioderma, infeções fúngicas, vários tipos de sarna, e alergias.

O prurido em cães tem muitas vezes uma origem alérgica, sendo que as alergias podem ser de origens diferentes, como ambientais, alimentares, de contacto e também animais com pele atópica, que desenvolvem uma hipersensibilidade aos alergénios.

Também alguns problemas hormonais como hipotiroidismo e doença de Cushing podem causar problemas de pele secundários à doença provocando prurido.

Se o seu cão tiver muita comichão é normal que se lamba e coce de formas que consiga encontrar, sendo que uma delas e morder-se, na tentativa de aliviar o prurido.

4. Problemas comportamentais

Ansiedade e stress nos cães pode levar a que o seu cão se morda, normalmente cães muito ansiosos podem desenvolver transtornos obsessivos compulsivos, sendo comum começarem a morder-se em determinadas zonas.

Cães que passam muito tempo sozinhos sem entretenimento podem também começar a morder-se por tédio.

As causas comportamentais só são consideradas após descartar todos os possíveis diagnósticos patológicos.

O seu cão morde-se muito? O que fazer?


cao morde-se muito veterinario a observar cao

A primeira coisa a fazer nesta situação é perceber a causa deste problema, pelo que deve sempre procurar ajuda médico-veterinária, especialmente para descartar causas patológicas.

Deve tentar perceber em que alturas do dia o seu cão se morde e em que zonas do corpo, ou até se é apenas em determinado local, pois são dados importantes para auxiliar o médico veterinário a chegar a um diagnóstico.

O médico veterinário poderá realizar alguns exames sanguíneos para descartar a presença de doenças endócrinas, pode também realizar radiografias se suspeitar que o animal tem alguma lesão ortopédica que lhe provoque dor. Raspagens de pele podem também ser necessárias para descartar problemas de pele que provoquem prurido.

Para garantir que a causa não são parasitas externos, deve sempre manter as desparasitações externas do seu cão em dia, conforme a indicação do seu médico veterinário. Não só pela comichão e desconforto mas também pelas possíveis doenças que o cão pode apanhar se for mordido por um parasita como a pulga, mosquito ou carraça.

Se o medico veterinário descartar todas as causas patológicas, é provável que o seu cão se morda muito devido a algum transtorno comportamental. Pode começar por estimulá-lo mais física e mentalmente, especialmente se passar muito tempo sozinho. Jogos interativos e brinquedos interativos com comida podem ser uma boa opção.

Caso o problema do cão seja ansiedade ou medo, pode ser necessário requerer a ajuda de um médico veterinário especialista em comportamento animal em conjunto com um treinador. Em casos graves de ansiedade em cães pode ser necessário a administração de medicamentos calmantes e relaxantes.

Veja também:

Fonte

1. Frank Diane. (2013). Repetitive behaviors in cats and dogs: Are they really a sign of obsessive-compulsive disorders (OCD)?. Disponível em:
https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3552586/

Dra. Patrícia Azevedo Dra. Patrícia Azevedo

Patrícia Azevedo é médica veterinária natural de Braga. Desde a sua infância que é apaixonada por animais e sempre teve a ambição de ser médica veterinária. Trabalhou como voluntária em associações de proteção e ajuda a animais errantes desde os 11 anos de idade . Iniciou o seu percurso como estudante desta área na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro e concluiu os seus estudos no Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar. Tem três gatos e uma cadela retirados da rua. Trabalha atualmente na sua cidade natal, em medicina e cirurgia de pequenos animais.

O Vida Ativa disponibiliza e atualiza informação, não presta serviços de aconselhamento nutricional, de saúde ou de treino. O Vida Ativa não é proprietário nem responsável pelos produtos e serviços de terceiros apresentados, por conseguinte não será responsável por quaisquer perdas ou danos que possam resultar de quaisquer imprecisões ou omissões. A informação está atualizada até à data apresentada na página e é prestada de forma geral, tratando-se de textos meramente informativos, pelo que não constitui nem dispensa a assistência profissional qualificada e individualizada. Caso pretenda sugerir uma atualização, por favor, envie-nos a sua sugestão para: [email protected].