x

Porque é que o seu cão come relva?

Já reparou que o seu cão come relva? Será que se deve preocupar ou é algo considerado normal? Saiba tudo sobre este comportamento dos cães.

Powered by: Vetecare
Porque é que o seu cão come relva?
Comer relva é um comportamento normal em muitos cães

Alguns cães têm hábito de ingerir objetos estranhos que não são considerados comida, como pedras, terra, erva. A este transtorno alimentar chama-se pica. Este distúrbio pode ter várias causas, portanto se o seu cão come relva, procure o seu médico veterinário de forma a entender o motivo.

O seu cão come relva? 6 motivos para o fazer


cão come relva

1. Efeito emético

Apesar de alguns estudos contrariarem esta teoria por não o conseguirem provar, existe a teoria de que os cães comem relva com o intuito de induzirem o vómito quando se sentem maldispostos ou sentem dor gástrica. No entanto, ainda não se sabe ao certo se os cães vomitam por ter comido ervas ou comem ervas com o intuito de provocar o vómito.

2. Desnutrição

Cães com uma alimentação deficiente podem ter maior tendência para ingerir relva. Isto porque, ao comerem a relva tentam compensar algumas carências alimentares como a falta de alguns minerais, vitaminas ou simplesmente falta de vegetais ou fibra.

Se o cão come relva pode ser, também, por ingerir uma quantidade insuficiente de alimento, tendo em consideração as suas necessidades.

Se o motivo pelo qual o seu cão come relva está relacionado com a nutrição, a solução passa por escolher um alimento para o seu mais completo e adequado às suas necessidades. Deve também ter em atenção qual a quantidade de alimento que deve dar ao cão, tendo em consideração vários fatores como, peso, idade, sexo, se é ou não castrado, nível de atividade física, entre outros.

Aconselhe-se com o seu médico veterinário acerca da melhor escolha a nível de alimentos para o seu cão em especifico e da quantidade de alimento diária que deve ingerir. Os parceiros que compõem a rede da Vetecare estão disponíveis em todo o país e não terão mãos a medir para colocar o bem-estar e conforto do animal em primeiro lugar. Desde 13€ por mês para dois animais de companhia, pode poupar tanto no tratamento como na prevenção de problemas de saúde do seu melhor amigo.

3. Stress

Cães ansiosos ou que passam muito tempo sozinhos sem entretenimento podem comer erva por se sentirem entediados. A solução para este caso passa por arranjar distrações para o animal, principalmente durante o tempo em que fica sozinho em casa.

4. Hábito ancestral

Os cães evoluíram dos lobos e dessa forma herdaram algumas caraterísticas físicas e também comportamentais, como é o caso de ingerir relva. Se o seu cão come relva, este pode ser um comportamento instintivo herdado dos seus ancestrais selvagens.

5. Gostam do sabor

Se o cão come relva também pode ser porque gosta do seu saber. Muitas vezes, os cães até escolhem entre as folhas, e têm certas preferências por determinados tipos. Por vezes comem, outras vezes apenas mordiscam, e podem achar especialmente atrativo o facto de a relva se encontrar molhada.

6. Imitação

Os cães também podem adquirir o hábito de comer erva por verem os outros a fazê-lo e não por nenhum motivo em especial.

O seu cão come relva: é prejudicial?


Cão come relva

A relva em si não é prejudicial para o seu cão, a não ser que seja ingerida excessivamente. No entanto, deve evitar que o seu cão coma relva, especialmente em locais públicos, pois pode haver contaminação desta com herbicidas e outros tóxicos que podem ser nocivos ao seu cão.

Se após ingestão de relva o seu cão manifestar sinais como vómitos, diarreia, tremores, salivação ou outros sinais anormais deve procurar de imediato o médico veterinário, pois é provável que o seu cão esteja intoxicado.

Se o cão come relva em demasia e surgem sinais como vómitos e diarreias deve também contactar o seu médico veterinário para que o cão seja avaliado, pois vómitos frequentes podem provocar gastrite, ou seja, inflamação do estômago.

Misturados com a relva, muitas vezes existem também outras plantas e flores que podem causar toxicidade ao seu cão, e causar sintomas digestivos ou neurológicos graves, que exigem cuidados imediatos.

Se o seu cão come relva deve preocupar-se?


cão come relva

Como já vimos anteriormente, a maioria dos motivos pelos quais os cães comem relva não são preocupantes, pelo contrário, pode até ser considerado um comportamento natural no cão.

No entanto, se o comportamento de comer relva se tornou recente, tem outros sintomas associados ou repentinamente o cão começou a ingerir demasiada relva até vomitar, deve consultar o seu médico veterinário, pois pode estar com algum problema gástrico, dor ou deficiência nutritiva.

Como fazer com que o cão deixe de comer relva?


cão come relva

Em primeiro lugar, deve realizar um check up com o seu cão no médico veterinário, de forma a garantir que está saudável, e o facto de estar a comer relva não se deve a nenhum problema de saúde.

Depois de descartadas as doenças, deve informar-se com o seu médico veterinário acerca da alimentação mais indicada para o seu cão, de forma a iniciar um alimento completo e equilibrado que permita ao seu cão receber todos os nutrientes que necessita.

Em casos de stress e falta de enriquecimento ambiental, deve tornar o tempo que o cão passa sozinho mais interessante, utilizando brinquedos interativos, por exemplo.
Em espaços públicos deve passear o cão com trela, desta forma é mais fácil controlar os movimentos do cão e impedir que ingira relva.

Veja também:

Fontes

Bjone,S. J.; Brown, W.Y.; Price,I.R. (2007). Grass eating patterns in the domestic dog, Canis familiaris. Disponível em: https://www.une.edu.au/__data/assets/pdf_file/0019/32446/bjone-brown-price-grass-eating20patterns-raan-2007.pdf

Dra. Patrícia Azevedo Dra. Patrícia Azevedo

Patrícia Azevedo é médica veterinária natural de Braga. Desde a sua infância que é apaixonada por animais e sempre teve a ambição de ser médica veterinária. Trabalhou como voluntária em associações de proteção e ajuda a animais errantes desde os 11 anos de idade . Iniciou o seu percurso como estudante desta área na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro e concluiu os seus estudos no Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar. Tem três gatos e uma cadela retirados da rua. Trabalha atualmente na sua cidade natal, em medicina e cirurgia de pequenos animais.