Publicidade:

Poderão ser os cães e gatos dadores de sangue? Saiba a resposta a esta questão

Poderão ser os cães e gatos dadores de sangue? Por muito que estranho possa parecer, esta situação é possível, dependendo das condições do animal.

Poderão ser os cães e gatos dadores de sangue? Saiba a resposta a esta questão
Para doar sangue são necessários determinados requisitos.

Cães e gatos dadores de sangue? Não, não é imaginação! Tal como as pessoas, os cães e os gatos também podem dar sangue para salvar vidas da sua espécie.

Em Portugal existe neste momento um banco de sangue – Banco de Sangue Animal – que faz as recolhas de sangue de cães e gatos.

Cães e gatos dadores de sangue: critérios de aceitação


Tal como nas pessoas, os animais só podem fazer dádivas de sangue se preencherem certos requisitos.

Cães

Caes e gatos dadores de sangue cao no veterinario

Antes de mais devem ser animais dóceis e calmos, que permitam a manipulação dos médicos veterinários durante todo o processo de dádiva.

Os cães que doem sangue têm que apresentar um peso superior a 30kg, desta forma, apenas cães de porte grande podem ser dadores. Também a idade é um requisito, uma vez que apenas são considerados como potenciais dadores cães entre 1 e os 8 anos de idade.

Relativamente a saúde os requisitos são os seguintes:

  • Sem sinais de doenças infeciosas;
  • Com o calendário de vacinação e desparasitação em dia;
  • Não podem estar a tomar medicações;
  • Sem história clínica de doença grave;
  • Sem problemas cardíacos;
  • Não podem ter recebido uma transfusão alguma vez.

Apesar destas questões serem colocadas aos tutores do animal, aquando do momento da recolha são também realizados exames complementares, tal como nas pessoas, para confirmar a ausência de determinadas doenças.

Gatos

caes e gatos dadores de sangue veterinaria com gato

Um dos critérios, igualmente como nos cães, é o caráter do animal, que deve ser meigo e calmo, pois nos gatos a contenção e manipulação é ainda mais difícil.

Nos gatos, a idade para serem dadores de sangue é igual à dos cães, ou seja, entre 1 e os 8 anos de idade. No entanto, relativamente ao peso, o mínimo neste caso são 3,5kg.

Relativamente a outros cuidados de saúde, os potenciais dadores têm que obrigatoriamente cumprir os seguintes requisitos:

  • Não terem acesso ao exterior, de forma a controlar as doenças infeciosas às quais o animal está sujeito a padecer;
  • Serem alimentados apenas com dieta comercial, pois restos de comida podem levar ao desenvolvimento de doenças transmissíveis;
  • Não terem evidência de doenças infeciosas, tal como nos cães;
  • Terem um plano de desparasitação e vacinação em dia;
  • Não estarem a tomar qualquer medicação;
  • Não apresentarem doenças cardíacas;
  • Não apresentarem historial clínico de doenças graves.

Tal como nos cães, estes animais também são sujeitos a exames complementares no momento da recolha.

Cães e gatos dadores de sangue: exames realizados


caes e gatos dadores de sangue hemograma completo

No momento da recolha da dádiva, é retirado sangue também no sentido de serem realizados exames ao sangue. As análises realizadas por rotina são:

  • Painel bioquímico: par obter valores de alteração hepática, renal, glicose, entre outros;
  • Hemograma completo: onde é possível observar sinais de infeção, baixa dos glóbulos brancos, anemias;
  • Tipificação de sangue, consoante a espécie.

Relativamente aos cães acrescem os despistes de doenças infeciosas como Dirofilariose, Erliquiose, Babesiose, Leishmaniose e Anaplasmose.

Relativamente a gatos os testes realizados são de despiste do FIV (Vírus da Imunodefieicnia Felina) e FeLV (Vírus da Leucemia Felina).

Cães e gatos dadores: como é feita a recolha de sangue nos animais?


A recolha de sangue é realizada na veia jugular, no pescoço, com o animal numa posição confortável, por um médico veterinário. Se necessário é previamente sedado ligeiramente para diminuir os níveis de stress e ansiedade, pois mesmo sendo animais calmos podem ficar ansiosos nesta situação.

A recolha de sangue demora cerca de 15 a 20 minutos, tempo em que o animal está sob vigilância do médico veterinário. Os cães podem doar cerca de 13 a 17 ml de sangue por cada quilo de peso corporal, enquanto os gatos apenas podem doar 11 a 13 ml por cada quilo.

Cuidados a ter antes da colheita

caes e gatos dadores de sangue comida ligeira

Antes da colheita os animais devem realizar uma refeição ligeira cerca de 2 horas antes da doação, nunca ficando em jejum, e ter água sempre à disposição do animal.

Cuidados a ter depois da colheita

caes e gatos dadores de sangue cao a beber agua

O tutor deve incentivar o animal a ingerir líquidos e alimento e evitar exercício físico intenso. Se possível deixar o animal num espaço tranquilo e confinado de forma a evitar grandes esforços.

Cães e gatos dadores de sangue: tipos de sangue


caes e gatos dadores de sangue tipo de sangue

Existem vários tipos de sangue diferentes para cada espécie, sendo que é importante que todos os dadores e recetores sejam tipificados, de forma a que o sangue seja compatível com o receptor, evitando reações.

Cães

Os cães têm 9 tipos de sangue diferentes:

  • DEA 1.1.;
  • DEA 1.2;
  • DEA 1.3;
  • DEA 3;
  • DEA 4;
  • DEA 5;
  • DEA 6;
  • DEA 7;
  • DEA 8.

Gatos

Em gatos, o grupo que foi adotado para designar os tipos diferentes de glóbulos vermelhos do sangue foi o grupo AB:

  • Tipo A;
  • Tipo B;
  • Tipo AB, que é o mais raro.

Incompatibilidade sanguínea pode causar reações fatais, razão pela qual, antes de qualquer transfusão é imprescindível saber o tipo de sangue do animal que necessita de sangue.

Veja também:

Dra. Patrícia Azevedo Dra. Patrícia Azevedo

Patrícia Azevedo é médica veterinária natural de Braga. Desde a sua infância que é apaixonada por animais e sempre teve a ambição de ser médica veterinária. Trabalhou como voluntária em associações de proteção e ajuda a animais errantes desde os 11 anos de idade . Iniciou o seu percurso como estudante desta área na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro e concluiu os seus estudos no Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar. Tem três gatos e uma cadela retirados da rua. Trabalha atualmente na sua cidade natal, em medicina e cirurgia de pequenos animais.

O Vida Ativa disponibiliza e atualiza informação, não presta serviços de aconselhamento nutricional, de saúde ou de treino. O Vida Ativa não é proprietário nem responsável pelos produtos e serviços de terceiros apresentados, por conseguinte não será responsável por quaisquer perdas ou danos que possam resultar de quaisquer imprecisões ou omissões. A informação está atualizada até à data apresentada na página e é prestada de forma geral, tratando-se de textos meramente informativos, pelo que não constitui nem dispensa a assistência profissional qualificada e individualizada. Caso pretenda sugerir uma atualização, por favor, envie-nos a sua sugestão para: [email protected].