5 razões para o seu animal não parar de se coçar

O seu animal não pára de se coçar? E agora? Saiba quando se deve preocupar com este comportamento presente no seu cão ou gato. Esteja atento.

Powered by: Vetecare
5 razões para o seu animal não parar de se coçar
O ato de coçar é um comportamento natural no cão e no gato

O ato de coçar é um comportamento normal nos cães e nos gatos, no entanto se o seu animal não parar de se coçar, pode haver alguma coisa errada.

O prurido é denominação médica para comichão e esta situação pode surgir por variadas razões, sendo algumas mais graves e outras fáceis de resolver. De qualquer forma, se considera que o seu animal se anda a coçar demasiado, deve consultar o seu médico veterinário para averiguar a causa deste comportamento.

Para isso, o plano de saúde animal Vetecare pode ser uma ajuda, visto que tem disponível uma vasta rede de serviços, clínicas e profissionais para ajudar o seu animal de estimação.

5 razões para o seu animal não parar de se coçar


animal nao parar de se cocar gato a cocar se

1. Ectoparasitas

Os parasitas externos são os principais responsáveis pelo seu animal não parar de se coçar. Existem vários tipos de ectoparasitas que podem causar prurido (comichão) no seu cão ou gato, como:

  • Piolhos;
  • Pulgas;
  • Carraças;
  • Mosquitos;
  • Ácaros.

Os piolhos que afetam os animais, por norma, são diferentes dos que parasitam as pessoas, no entanto causam também muita comichão e problemas na pele. É fácil de ver a olho nu se existem piolhos no pelo do seu animal, pois normalmente estão agarrados à superfície do pelo e são muito difíceis de remover.

As pulgas alimentam-se do sangue dos seus hospedeiros picando-os. Quando os pica, inoculam saliva que tem substâncias irritantes que provocam comichão, e portanto o animal vai coçar-se muito. Em alguns casos, os animais até podem ser alérgicos à saliva da pulga provocando sintomas mais exuberantes na pele e uma comichão extrema.

Outro parasita que pode afetar os cães e os gatos é a carraça. As carraças também se alimentam do sangue do seu hospedeiro e podem ser vetores de doenças graves, que também podem ser transmissíveis ao homem (zoonoses). Os animais podem sentir prurido no local da picada.

Os mosquitos, tal como quando picam as pessoas, podem causar inflamação e comichão no local da picada, no entanto, ao contrario dos outros parasitas externos, picam o hospedeiro alimentam-se e não permanecem.

Os ácaros são responsáveis por uma doença de pele denominada de sarna. Existem vários tipos de ácaros, e existem vários tipos de sarna, sendo que cada espécie de ácaro é responsável por um tipo diferente da doença.Existem tipos de sarna que são transmissíveis a outros indivíduos, incluindo animais e pessoas, e outros que não são transmissíveis, portanto é importante distingui-los.

2. Pioderma

A pioderma ou piodermite deve-se a uma superinfeção bacteriana na pele, devido à falha na barreira protetora da camada externa da pele. Esta proteção pode ser afetada por vários fatores, sendo que por norma, esta é uma doença secundária a outras patologias.

As infeções bacterianas da pele causam muito prurido e necessitam de tratamento para que não evoluam para uma situação mais severa.
O seu médico veterinário irá prescrever medicamentos antibióticos específicos para aquela determinada situação para resolver o problema da infeção bacteriana.

No entanto, uma vez que se trata de um problema secundário, exige sempre a realização de outros exames para diagnóstico e tratamento da causa primária. Para além do tratamento específico pode também ser necessário recorrer a fármacos para reduzir o alivio da comichão.

As causas primárias mais frequentes de pioderma são:

  • Dermatite atópica;
  • Utilização de determinados medicamentos;
  • Hipersensibilidade;
  • Doenças endócrinas como hipotiroidismo, Doença de Cushing, diabetes;
  • Tumores;
  • Leishmaniose;
  • Dermatofitose.

3. Alergia

Os cães e os gatos pode sofrer de alergia, tal como as pessoas, e por norma, qualquer que seja o tipo e a causa da alergia, o animal sente prurido intenso. O prurido na pele derivado a alergia pode ter várias origens:

  • Alimentar, em que o animal ingere alimentos aos quais é alérgico e manifesta sintomas cutâneos, podendo também surgir sinais gastrointestinais como vómitos e diarreia;
  • Por contacto, em que o animal toca em alguma substancia à qual tem alergia e fica com a pele vermelha e comichão nesse mesmo local. É frequente em casos de dermatite alérgica à picada de pulga (DAAP), picada de um inseto;
  • Por inalação, em que o animal inala o alergénio e desenvolve sintomas respiratórios como espirros e também pode desenvolver prurido na pele, olhos e ouvidos. Isto normalmente acontece em situações de alergia a pólen.

Muitas vezes a causa da alergia é difícil de determinar, no entanto é necessário medicação para o alívio do prurido intenso que condiciona o bem-estar do animal. O médico veterinário pode prescrever medicamentos anti-histamínicos e corticosteroides para o alívio dos sintomas.

4. Dermatite atópica

A dermatite atópica é uma doença de pele com componente alérgica e inflamatória, em que ocorre uma resposta inadequada do sistema imunitário do indivíduo ao contacto com determinados alergénios, ou seja, substâncias capazes de provocar alergia.

O prurido é o principal sinal clínico desta doença, portanto, se o seu animal não parar de se coçar esta doença pode ser uma possibilidade.

No entanto, para chegar ao seu diagnóstico, é necessário excluir todos os outros diagnósticos diferenciais. Também é possível realizar testes específicos como provas intradérmicas ou serológicas.

5. Otites

As otites podem ser uma causa para o seu animal não parar de se coçar. Muitas vezes os cães coçam os ouvidos com as patas traseiras provocando até feridas na zona da cabeça. Podem também roçar a cabeça contra as coisas e abanar a cabeça.

Muitas vezes o único sinal perceptível para os tutores é o coçar intenso da zona da cabeça que se explica pela intensa comichão provocada pela inflamação/infeção do conduto auditivo.

Veja também:

Fonte

1. MSD Veterinary Manual – Pruritus. Disponível em:
https://www.msdvetmanual.com/integumentary-system/integumentary-system-introduction/pruritus

Dra. Patrícia Azevedo Dra. Patrícia Azevedo

Patrícia Azevedo é médica veterinária natural de Braga. Desde a sua infância que é apaixonada por animais e sempre teve a ambição de ser médica veterinária. Trabalhou como voluntária em associações de proteção e ajuda a animais errantes desde os 11 anos de idade . Iniciou o seu percurso como estudante desta área na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro e concluiu os seus estudos no Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar. Tem três gatos e uma cadela retirados da rua. Trabalha atualmente na sua cidade natal, em medicina e cirurgia de pequenos animais.