Publicidade:

Alergia em cães: dos sintomas ao tratamento

A alergia em cães é um problema que afeta muitos patudos e interfere com a sua qualidade de vida. Conheça melhor este problema e saiba reconhecê-lo.

Alergia em cães: dos sintomas ao tratamento
Cães com intolerância alimentar podem apresentar prurido

Tal como nas pessoas, também existe alergia em cães. Esta alergia pode acontecer a várias substâncias, e ter várias apresentações, consoante o tipo de alergia e o tipo de alergénio.

Se suspeita que o seu cão pode ter alergia, o melhor é levá-lo ao médico veterinário, pois, apesar de não ser uma doença grave, é extremamente desconfortável e prejudica a sua qualidade de vida.

Em que consiste a alergia em cães e quais os tipos existentes?


alergia em caes cao a cocar se

A alergia em cães é uma reação do sistema imunitário do animal contra um alergénio, ou seja, uma qualquer substância que o organismo interprete como sendo uma agressão. Os sintomas podem variar consoante o tipo de alergia e o tratamento também é variável.

Existem diferentes tipos de alergia em cães, e podem apresentar sintomas semelhantes. Assim, torna-se um desafio a identificação do alergénio e diagnóstico de alergia, para conseguir realizar um tratamento adequado e eficaz.

1. Alergia da pele

As alergias cutâneas são o tipo de alergias mais comuns e cães, e denominam-se por dermatites alérgicas. Neste caso, o animal apresenta uma sensibilidade a um alergénio que irá manifestar-se através de uma dermatite, ou seja, inflamação da pele.

As alergias da pele mais comuns são:

  • Dermatite alérgica à picada de pulga, em que o animal é alérgico à saliva da pulga e no momento da picada de apenas uma única pulga, desenvolve uma hipersensibilidade, causando sinais de alergia no local da picada;
  • Dermatite por contacto, em que o animal se encosta a algum alergénio, causando uma reação alérgica no local onde esteve em contacto com a substancia. Um exemplo, cães que passeiam em ervas altas, podem ficar com alergia na barriga e zona das coxas, locais onde houve contacto com as ervas;
  • Alergia alimentar, em que o animal ingere um alimento ao qual é alérgico e desenvolve sintomas de dermatite alérgica;
  • Alergias ambientais, como por exemplo no caso dos pólens, ácaros, pó;
  • Atopia, ou dermatite atópica, em que o animal desenvolve uma reação de hipersensibilidade exagerada a alguns alergénios, não se sabendo ainda muito bem a razão, mas sabe-se que existe uma componente genética.

2. Hipersensibilidade alimentar

A alergia a comida pode manifestar-se através dos sinais na pele. No entanto, após a ingestão de uma substância à qual o animal é alérgico, podem surgir também sinais gastrointestinais como diarreia e vómitos.

Os alergénios mais frequentes são o milho, trigo, soja e a carne de bovino, frango ou cordeiro.

3. Alergia a picada de insetos

Os cães podem desenvolver alergia a picada de alguns insectos, como no caso das abelhas. Isto também acontece nas pessoas. Não devemos confundir a reação que ocorre no local da picada pelo inseto, pois tanto acontece em animais alérgicos ou não.

Animais alérgicos podem desenvolver uma reação alérgica por todo o corpo quando picados, até mesmo uma reação anafilática.

4. Reações a vacinas

Alguns animais podem desenvolver uma reação alérgica a vacinas provocando uma reação anafilática. Assim, sempre que o seu cão leva uma vacina deve procurar informar-se com o seu médico veterinário quais os efeitos secundários normais e o que não deve acontecer e estar atento a algum sintoma do animal.

5. Outras alergias

Qualquer medicamento, alimento ou substância que esteja em contacto com a pele do animal, seja inalada ou ingerida, pode causar alergia em cães.

Sinais de alergia em cães


alergia em caes queda de pelo cao

Os sinais de alergia podem ser variáveis consoante o tipo de alergia, tipo de alergénio e porta de entrada do alergénio.

Caso a manifestação da alergia ocorra na pele, podem surgir os seguintes sinais:

  • Prurido, comichão;
  • Vermelhidão da pele;
  • Inchaço do local;
  • Alopécia, falha de pelo, e queda de pelo;
  • Secundariamente podem surgir feridas e infeções bacterianas secundárias.

Podem surgir também sintomas como espirros, tosse secreção nasal e ocular. Relativamente a alergias alimentares é possível a ocorrência de sinais digestivos como diarreia e vómitos.

Se o seu animal apresentar algum destes sintomas deve consultar o seu médico veterinário. Para além de alergia, estes sinais podem ocorrer em outras patologias.

Diagnóstico de alergia em cães


alergia em caes veterinario a examinar cao

O diagnóstico de alergia é difícil de realizar, sendo que por norma, o médico veterinário faz o diagnóstico com base na história clínica, exame físico e sintomas apresentados pelo animal na consulta.

O médico veterinário pode realizar outros exames complementares de forma a descartar outras patologias mais graves.

Se o médico veterinário suspeitar que o seu cão sofre de alergias, pode também propor a realização de provas de alergia intradérmicas, como também se faz nas pessoas. No entanto, mesmo com estes testes, muitas vezes não é possível encontrar o alergénio.

Quando se trata de uma suspeita de alergia alimentar, pode ser necessário a realização de uma dieta de eliminação. Ou seja, faz-se uma alteração de alimento, para um especifico, que envolve a alteração da fonte de hidratos de carbono e proteína, durante um período de 12 semanas para aguardar melhorias, e depois faz-se uma introdução gradual de alimentos.

Tratamento de alergia em cães


O melhor tratamento para alergias é evitar a exposição ao alergénio, no entanto, como já vimos, a sua identificação nem sempre é possível.

Mesmo que seja possível identificar a substância causadora de alergia no animal, pode não ser possível evitar essa exposição, como no caso de pólen ou ácaros. Sempre que possível, deve proceder à eliminação da causa da alergia.

Assim, a maior preocupação em casos de alergia é, controlar os sintomas do animal, para melhorar a sua qualidade de vida. Alguns medicamentos como corticosteroides e anti-histamínicos podem ser utilizados para diminuir os sintomas de prurido. Existem também medicamentos que atuam no sistema nervoso evitando que o animal sinta prurido.

Se se tratar de uma alergia alimentar, o animal pode ter que sofrer uma alteração na sua dieta.

Veja também:

Fonte

1. Alergies in Dogs – MSD Veterinary Manual. Disponível em:
https://www.msdvetmanual.com/integumentary-system/food-allergy/overview-of-food-allergy

Dra. Patrícia Azevedo Dra. Patrícia Azevedo

Patrícia Azevedo é médica veterinária natural de Braga. Desde a sua infância que é apaixonada por animais e sempre teve a ambição de ser médica veterinária. Trabalhou como voluntária em associações de proteção e ajuda a animais errantes desde os 11 anos de idade . Iniciou o seu percurso como estudante desta área na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro e concluiu os seus estudos no Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar. Tem três gatos e uma cadela retirados da rua. Trabalha atualmente na sua cidade natal, em medicina e cirurgia de pequenos animais.

O Vida Ativa disponibiliza e atualiza informação, não presta serviços de aconselhamento nutricional, de saúde ou de treino. O Vida Ativa não é proprietário nem responsável pelos produtos e serviços de terceiros apresentados, por conseguinte não será responsável por quaisquer perdas ou danos que possam resultar de quaisquer imprecisões ou omissões. A informação está atualizada até à data apresentada na página e é prestada de forma geral, tratando-se de textos meramente informativos, pelo que não constitui nem dispensa a assistência profissional qualificada e individualizada. Caso pretenda sugerir uma atualização, por favor, envie-nos a sua sugestão para: [email protected].