Tapioca: heroína ou vilã?

É um alimento rico em hidratos de carbono e livre de glúten e de confeção versátil. No entanto, não tem tantas vantagens como pensa. Saiba porquê.

Tapioca: heroína ou vilã?
Conheça os benefícios deste alimento.

Entre todas as modas que vão surgindo em torno da alimentação e da nutrição, há algumas que valem a pena, e que vêm para ficar, e há outras que causam alvoroço sem razão.

Já passamos pela fase da quinoa, do óleo de coco, da batata-doce, da água morna com limão em jejum e, mais recentemente, da tapioca.

Mas será que ela é tão benéfica como a “pintam”?


O que é e de onde vem a tapioca?


Originalmente a tapioca era consumida no norte e nordeste do Brasil, mas com os descobrimentos foi-se disseminando para outras zonas do globo, como África e Ásia, sendo que agora se encontra com relativa facilidade em todo o mundo.

A tapioca não surge na natureza na forma como a conhecemos, sendo um subproduto da mandioca. Depois de descascada e triturada, a mandioca é hidratada e deixada a secar, restando então a goma ou fécula de mandioca hidratada. 

Basicamente, ela está para a mandioca, como a fécula de batata está para a batata.


E em termos nutricionais?


A tapioca não tem gordura nem proteína, sendo composta, maioritariamente, por hidratos de carbono simples. E é aqui que está o seu principal problema.

Os hidratos de carbono simples, também chamados de açúcares, são moléculas pequenas que passam rapidamente a parede do intestino, chegando então à corrente sanguínea. Uma vez no sangue, os açúcares, sob a forma de glicose, são então distribuídos pelos diversos órgãos e tecidos, sendo essenciais para o seu funcionamento.

No entanto, como os açúcares são absorvidos rapidamente, o pâncreas é “obrigado” a libertar uma grande quantidade de insulina para equilibrar os níveis de glicemia. Esse mecanismo, quando excessivo e regular, pode provocar resistência à insulina e, consequentemente, diabetes.

Outro problema associado aos açúcares é que, quando o seu fornecimento aos órgãos é superior às suas necessidades, a glicose é armazenada sob a forma de gordura, sendo que a longo prazo pode provocar aumento de peso e obesidade, bem como prejudicar o funcionamento do fígado, que também acumula parte dessa gordura (embora em menor escala).

Para além de tudo isso, o consumo excessivo de açúcares está associado a muitos outros problemas, como o aparecimento de cáries, doenças cardiovasculares e alguns tipos de cancro .


Quais as vantagens e desvantagens da tapioca?


1. Vantagens

A ausência de glúten é, sem dúvida, a principal vantagem, uma vez que é uma boa alternativa aos doentes celíacos e aos intolerantes ao glúten.

Outro ponto positivo, e ainda que pareça uma contradição ao anteriormente referido, é ser uma fonte de energia rápida, sendo uma boa opção para o pré-treino e para o pós-treino. 

No primeiro caso porque vai fornecer toda a energia necessária para o exercício físico, sobretudo se for recheada com fruta (pera, maçã) e mel, compota, marmelada ou geleia. 

No segundo, porque permite uma rápida restituição da energia despendida, devendo desta feita ser recheada com uma fonte de proteína de alto valor biológico, como frango ou ovo. 

O facto de ser prática e versátil também um argumento a seu favor.

 


2. Desvantagens

Não tem fibra nem proteína, sendo por isso pouco saciante. Acaba por ser um alimento semelhante ao pão branco, mas muito mais caro.


A tapioca engorda?


Depende da quantidade, da forma e da hora a que for consumida!

3 Colheres de sopa de tapioca fornecem 145kcal (semelhante a um pão branco de 50g) e 36g de hidratos de carbono. 

Como já tinhamos referido, esses HC são de absorção rápida. Assim, ao consumir a tapioca ao pequeno-almoço, após um longo período em jejum (~8h durante o sono), vai originar-se um pico de glicose no sangue, que vai descer quase tão rápido como subiu, deixando uma sensação de fome bem mais cedo do que o desejado.

Isso pode ser contrariado ao acompanhar a tapioca com alimentos ricos em fibra, que prolonguem a absorção dos HC, como sementes de chia ou linhaça moída, ou com alimentos proteicos magros, como iogurte grego ligeiro, iogurte natural, queijos brancos, peito de frango ou peru, entre outros. 


Tipos de tapioca


Existem vários tipos de tapioca para diferentes usos. A tapioca granulada, por exemplo, é ideal para integrar receitas de bolos, papas ou até couscous. Com a farinha de tapioca pode fazer pão e bolos e com a goma de tapioca consegue fazer a famosa crepioca.

► Conheça aqui várias receitas com os diferentes tipos de tapioca.


Onde comprar tapioca em Portugal


Já são vários os locais onde pode adquirir tapioca. Grandes superfícies comerciais e lojas mais pequenas já têm à disposição este produto alimentar. Veja aqui onde pode comprar tapioca em Portugal.



Conclusão


Se não tem qualquer problema com o glúten, se calhar é melhor não fazer da tapioca a sua fonte energética de eleição. Ou pelo menos repense o recheio e a refeição em que a vai consumir. 

► Veja então algumas receitas para consumir tapioca de forma saudável e equilibrada. 


Usufrua de um desconto de 10% em TODOS os produtos Prozis com o código VIDA-ATIVA


Veja também:

Ler mais