Hipertiroidismo: causas, sintomas e tratamento

O hipertiroidismo é a condição que ocorre quando existe produção excessiva de hormonas da tiróide pela glândula tiróide.

Hipertiroidismo: causas, sintomas e tratamento
A tiróide é uma pequena glândula em forma de borboleta localizada no pescoço.

O hipertiroidismo provoca aumento do metabolismo, causando perda súbita de peso, batimentos cardíacos acelerados ou irregulares, sudorese e nervosismo ou irritabilidade.

Embora o hipertireoidismo possa ser grave quando não tratado, a maioria das pessoas responde bem quando o hipertiroidismo é diagnosticado e tratado.

O QUE CAUSA O HIPERTIROIDISMO?


Hipertiroidismo e glandulas tiroideias

A doença de Graves é a principal causa de hipertiroidismo. É uma doença auto-imune de etiologia não esclarecida, certamente multifactorial e com evidente predisposição genética.

Caracteriza-se pela presença de hipertiroidismo, bócio (glândula da tiróide aumenta de tamanho, formando uma espécie de nódulo ou caroço na região do pescoço, que se torna mais arredondado e mais largo do que o normal) e oftalmopatia ( alteração da órbita do olho).

Outras causas de hipertiroidismo incluem:

  • Iodo em excesso. A tiróide usa iodo para produzir tiroxina (T4), triiodotironina (T3) – hormonas da tiróide aumentadas no hipertiroidismo;
  • Tireoidite (inflamação da tiróide);
  • Tumores dos ovários ou testículos;
  • Tumores benignos da glândula tiroideia ou pituitária.

 

QUAIS SÃO OS SINTOMAS DO HIPERTIROIDISMO?


tensao arterial elevada

Quantidades elevadas de T4, T3 ou ambas podem causar uma taxa metabólica excessivamente alta, estado hipermetabólico.

Quando em estado hipermetabólico, surgem sintomas como:

  • Frequência cardíaca elevada;
  • Pressão arterial elevada;
  • Tremores nas mãos;
  • Baixa tolerância ao calor;
  • Movimentos intestinais mais frequentes;
  • Perda de peso;
  • Ciclos menstruais irregulares nas mulheres.

É ainda frequentemente visível o aumento da glândula da tiróide (bócio), que pode ser simétrico ou unilateral (apenas de uma lado ou dos dois) e, ainda, a oftalmopatia, em que os olhos parecem bastante proeminentes em relação ao normal.

COMPLICAÇÕES ASSOCIADAS AO HIPERTIROIDISMO


problemas cardiacos

O hipertireoidismo pode levar a uma série de complicações:

  • Problemas cardíacos. Algumas das complicações mais graves do hipertiroidismo envolvem o coração, como alterações na frequência cardíaca ou pressão arterial. Estas complicações geralmente são reversíveis com o tratamento adequado.
  • Ossos frágeis. O hipertireoidismo não tratado também pode levar a ossos frágeis (osteoporose). O excesso de hormonas da tiróide interfere na capacidade do organismo incorporar cálcio nos ossos.
  • Problemas oculares. Pessoas com oftalmopatia de Graves desenvolvem problemas oculares, incluindo olhos vermelhos ou inchados, sensibilidade à luz e desfocagem ou visão dupla. Não tratados, estes problemas oculares podem levar à perda de visão.
  • Pele vermelha e inchada. Em casos raros, as pessoas com doença de Graves desenvolvem a dermopatia de Graves, que afeta a pele, causando vermelhidão e inchaço, muitas vezes nas pernas e nos pés.

 

COMO É DIAGNOSTICADO O HIPERTIROIDISMO?


sonografia

O hipertireoidismo pode ser diagnosticado com recurso a:

  • História médica e exame físico: Durante o exame, o médico pode tentar detetar um leve tremor nos dedos quando estes estão estendidos e alterações oculares. Também é comum examinar a glândula tiróide à medida que engole para ver se está aumentada e verificar a pulsação.
  • Exames sanguíneos: Um diagnóstico pode ser confirmado com exames sanguíneos que medem os níveis de T3, T4 e TSH no sangue. Níveis elevados de tiroxina (T3 e T4) e quantidades baixas ou inexistentes de TSH indicam uma tiróide hiperativa.

 

COMO É TRATADO O HIPERTIROIDISMO?


medicacao para a tiroide

A maior parte das pessoas com hipertiroidismo requer tratamento com beta-bloqueadores, como o propranolol. Os beta-bloqueantes diminuem a frequência cardíaca e reduzem os tremores, sendo usados enquanto se aguarda que a terapêutica mais específica produza efeito.

O hipertiroidismo é mais frequentemente tratado com uma terapêutica medicamentosa anti-tiroideia que bloqueia a formação de hormonas tiroideias. Os medicamentos mais frequentemente usados são o metimazol e o propiltiouracilo.

O iodo radioativo destrói a glândula tiroideia, constituindo uma opção de tratamento permanente. Este tratamento é normalmente usado para tratar o hipertiroidismo causado pela doença de Graves ou por nódulos da tiróide que produzem quantidades excessivas de hormonas tiroideias.

Outra opção (raramente utilizada) é a cirurgia para remover parte da glândula tiroideia.

Os doentes tratados com iodo radioactivo ou com cirurgia necessitam quase sempre de comprimidos de substituição das hormonas tiroideias para toda a vida.

Veja também:

Ler mais
Cátia Rocha Cátia Rocha

Cátia Rocha é farmacêutica. Como apaixonada pela profissão, acredita na importância da educação para a saúde e num papel interventivo dos profissionais de modo a transmitir conhecimentos que considera importantes e fundamentais para o bem-estar da população. É Mestre em Ciências Farmacêuticas pelo Instituto Superior de Ciências da Saúde do Norte e exerce atualmente o cargo de farmacêutica na Farmácia Agra.