Colesterol: tudo o que precisa saber

Colesterol: tudo o que precisa saber

Será o colesterol um amigo ou inimigo da saúde? Venha descobrir!

Essencial ao ser humano, o colesterol é na maioria das vezes tido como um vilão. Mas afinal, sabe realmente o que é o colesterol e porque tê-lo alto é problema?

Habitualmente afamado como uma ameaça para a saúde cardiovascular, o colesterol é indispensável à máquina humana.

Mas, afinal, o que é o colesterol, que tipos existe, e porque terá ele um impacto assim tão negativo entre a população, se na realidade é uma substância considerada relevante para a saúde? É o que vamos tentar esclarecer nas próximas linhas que se seguem.

Essencial à vida, o colesterol é uma “gordura” que tanto é produzida pelo próprio organismo (particularmente no fígado) como é obtido através da alimentação.

Proteja a sua saúde!
Receba conteúdos exclusivos e habilite-se a um check-up completo. Registe-se já!

É necessário para a realização de um conjunto de funções no organismo como produção de hormonas, ácidos biliares, vitaminas e está presente em todas as membranas (paredes) das células.
 
No entanto, mesmo considerada uma substância necessária, o colesterol pode tornar-se perigoso. 

Quando em níveis elevados, pode aumentar o risco de doenças cardiovasculares e cerebrovasculares, acumulando-se na parede das artérias e dificultando a passagem do sangue. 

A hipercolesterolemia, nome dado ao excesso de colesterol, contrariamente a outras patologias como por exemplo a diabetes e a hipertensão arterial, é uma doença silenciosa. Este facto torna esta condição de saúde ainda mais inquietante, já que pessoas com o colesterol elevado podem, na verdade, nem saber que o têm.

Tendo também em conta que "mau" colesterol (LDL) pode ser produzido em quantidades elevadas em certo tipo de pessoas, torna-se fundamental a sua monitorização, bem como a de familiares diretos.


Tipos de colesterol


Como gordura que é, o colesterol torna-se insolúvel em meios aquosos, pelo que no sangue, é transportado com a ajuda de proteínas. Este conjunto colesterol-proteína designa-se de lipoproteína. 

Entre as principais lipoproteínas transportadoras de colesterol, encontram-se as HDL e LDL normalmente designadas como colesterol bom e mau respetivamente.



1. Colesterol HDL 

Também conhecido como “bom colesterol” pensa-se que este tenha a capacidade de reduzir o excesso de colesterol das paredes arteriais, impedindo que o "mau" colesterol se aloje nas artérias, transportando-o de volta para o fígado, onde depois é eliminado.

Este é, então, o tipo de colesterol que atua na prevenção de AVC's ou enfartes do miocárdio e os seus níveis podem ser aumentados através de um estilo de vida saudável.

 


2. Colesterol LDL 

Também referido como “mau colesterol”, o colesterol LDL é considerado prejudicial na medida em que transporta a gordura para os diferentes tecidos e, quando em excesso, deposita-se na parede das artérias podendo causar um estreitamento das mesmas. 

Se se der a formação de um coágulo numa artéria com um elevado depósito de gordura, dá-se o impedimento da passagem do sangue e, consequentemente, poderão ocorrer patologias como enfarta do miocárdio ou acidente vascular cerebral (AVC).



Valores normais de Colesterol


Conhecer os valores do seu colesterol HDL e LDL é um dos passos que pode adotar para começar desde já a cuidar da sua saúde, particularmente a nível cardiovascular.

Os níveis desejáveis são:  
 
  • Colesterol total (HDL + LDL)  < 190 mg/dL 
  • Colesterol HDL ≥ 40 mg/dL no homem                   
                                      ≥ 45 mg/dL na mulher
  • Colesterol LDL < 115 mg/dL 

Porém, caso possua alguma outra patologia, estes valores poderão ser diferentes.


Como tratar o colesterol alto?


frutas e vegetais
Quando se trata em diminuir a hipercolesterolemia, é necessário saber que o objetivo do tratamento é diminuir o risco de doença cardiovascular, diminuindo o colesterol LDL e aumentando o HDL.


1. Alimentação saudável

Rica em produtos integrais com alto teor de fibra como legumes e fruta, pobre em colesterol, gordura saturada, gordura trans, açúcares e sal.

O consumo de margarinas pode ajudar na diminuição do mau colesterol até 10%, visto serem ricas em estanol. 

 


2. Controlo de peso

A prática de atividade física regular e manter o peso ideal para a sua altura é indispensável quando o foco é tratar e/ou controlar os níveis de colesterol.
 
 


3. Medicação

Em certas situações, tendo em conta o risco global da pessoa, pode recorrer-se a medicamentos como, por exemplo, as estatinas. A medicação pode ajudar a estalibilizar possíveis lesões arteriais e prevenir o desenvolvimento da doença arterial.

É importante que a medicação seja mantida pelo tempo prescrito pelo médico visto que, em casos de lesões obstrutivas, a reversão das mesmas pode demorar até dois anos.

Contudo, torna-se importante mencionar que a inclusão de medicação poderá não melhorar, por si só, os níveis de colesterol se outros fatores como a alimentação e um estilo de vida saudáveis não forem tidos em consideração.

Não esquecer que no caso de haverem familiares com os níveis de colesterol elevados, estes devem ser igualmente acompanhados e terem todos os cuidados acima ditados.


Se a saúde é uma prioridade para si, clique aqui.

 

Veja também: