A importância da libertação miofascial

Libertação miofascial é uma técnica especializada de alongamento utilizado maioritariamente por fisioterapeutas mas que também ajuda na perda de peso.

Article by: Holmes Place
A importância da libertação miofascial
Veja em que consiste esta técnica.

Muito provavelmente já viu uns rolos de espuma e pequenas bolas no ginásio ou em imagens e vídeos de fitness.

Para que servem e como devem ser usados? Fique a saber que esta técnica é o grande segredo para a prevenção de lesões e alívio de dores musculares.


O que é a libertação miofascial?


A libertação miofascial é uma técnica de auto manipulação muscular que consiste na aplicação de pressão em alguns pontos do corpo, com a ajuda de um rolo de espuma ou de uma pequena bola, procurando uma maior liberdade de movimento entre o músculo e a fáscia.

O termo miofascial significa “mio” – músculo e “fascial” – fáscia - tecido conectivo.

A fáscia é uma espécie de membrana formada de tecido conjuntivo, extremamente resistente e elástica, que recobre cada fibra muscular, cada músculo e toda a superfície do conjunto muscular, permitindo o deslizamento perfeito dos músculos durante o exercício, fornecendo sustentação aos tecidos, proteção e coordenação. 

Segundo Rêgo (2012), “as fáscias também são sempre interligadas uma na outra, havendo uma continuidade entre elas, sendo assim, seja qual for o tipo de alteração na tensão em qualquer parte da sua extensão, será repercutido no conjunto, afetando de forma global o nosso corpo. ”


Consequências do uso exagerado da musculatura

O uso exagerado da musculatura, maus hábitos posturais, padrão de movimento incorreto e até mesmo desgastes emocionais podem levar a uma alteração prejudicial da fáscia, provocando uma pressão excessiva sobre os nervos e músculos. Isso faz com que o nosso corpo reaja formando pequenos nódulos, que são chamamos de pontos gatilhos (trigger points).

Estes pontos acumulam toxinas e prejudicam o bom funcionamento do sistema músculo-esquelético, alteram a coordenação, a flexibilidade e a força muscular. Estas restrições diminuem o desempenho no treino e aumentam o risco de lesão. 

Neste sentido, se frequenta com regularidade o ginásio, deve também fazer com regularidade libertação miofascial, evitando dores e lesões que lhe condicionarão os seus futuros treinos.


Como escolher o material?


material libertacao miofascial
Se pretende massajar áreas maiores, como os músculos da região anterior/posterior da coxa deve optar por um material mais abrangente, como é o caso do “Foam roller”, se pretende massajar músculos mais pequenos e atingir maior profundidade, como no caso dos gémeos, deve optar pela bola de lacrosse.


Como realizar os rolamentos?


rolamentos
A respiração deve ser controlada e os movimentos devem ser realizados para frente e para trás, para um lado e para o outro e até mesmo realizar alongamentos dinâmicos.

A passagem do rolo nas várias zonas do corpo deve ser feita de forma lenta, sensivelmente 1 minuto em cada área.

É normal que os rolamentos provoquem alguma dor inicialmente, mas a sensação deve ser de alívio à medida que fazemos a massagem. 


Benefícios da libertação miofascial


elasticidade e flexibilidade
 
  • Alívio de dores;
  • Relaxamento muscular;
  • Maior mobilidade articular;
  • Aumento da flexibilidade, elasticidade e agilidade;
  • Melhor desempenho na hipertrofia;
  • Melhoria na capacidade de contração muscular e prevenção de lesões.

Para atletas, esta técnica oferece melhoria no rendimento, maior facilidade na nutrição muscular acelerando a remoção de metabólitos, melhoria da propriocepção e consciência corporal.


Precauções e contraindicações necessárias


Pessoas que possuam hipersensibilidade vascular ou intolerância à dor.

Atenção: O ideal é que a libertação miofascial seja efetuada apenas nos indivíduos saudáveis, sem nenhuma lesão muscular ou mesmo indício de patologia. Nestes últimos dois casos, é necessária a atuação de um fisioterapeuta.


Teresa Fastágio
Fisioterapeuta Holmes Place Quinta de Beloura


Referências


RÊGO, Elvyna Melo; et al. Efeitos da Liberação Miofascial Sobre a Flexibilidade de um Paciente com Distrofia Miotônica de Steinert. 2012


 

Veja também:

Ler mais