Os benefícios do cacau: conheça as potencialidades deste poderoso alimento

O cacau é um alimento com várias utilizações para além da confecção do chocolate. A sua utilização na preparação de receitas é frequente e os seus benefícios são bem conhecidos a nível cardiovascular e no controlo dos níveis de colesterol. As catequinas presentes na sua composição são as responsáveis pelos seus efeitos benéficos.

Os benefícios do cacau: conheça as potencialidades deste poderoso alimento
O tão amado cacau tem benefícios muito importantes para a saúde.

Nunca se falou tanto dos benefícios do cacau como atualmente e também não há memórias de tão variadíssimas utilizações tirando aquela que todos nós conhecemos – a confecção do chocolate!

Propriedades do Cacau


beneficios do cacau e suas propriedades

Embora o cacau seja uma fruta, o que comemos são as suas sementes. A sua composição é muito semelhante à dos frutos secos: 45% glícidos (açucares e amidos); 45% lípidos (80% gorduras monoinsaturadas e polinsaturadas).

A sua composição é ainda rica em aminoácidos, vitaminas e antioxidantes como fenilalanina, ácido glutâmico, leucina, ácido aspártico, GABA, vitaminas do grupo B, vitamina E, minerais como: fósforo, cálcio, ferro, magnésio, e dosagens consideráveis de cobre, zinco, cromo, e potássio. Esta riqueza em substâncias concede propriedades fantásticas ao cacau e no que respeita a propriedades terapêuticas são conhecidas e relatadas mais de 500!

Saiba ainda que o cacau também é rico em polifenois, antioxidantes como flavonoides, procianidinas, catequinas e epicatequinas. Estes dois últimos compostos, também presentes no chá verde, vinho tinto e uvas, encontram-se em maior concentração no cacau.

Os benefícios do Cacau


saude cardiovascular

Umas das ações terapêuticas destas substâncias acima referidas é a sua influência no sistema cardiovascular. Atuam como vasodilatadores e hipotensores, aumentam a fluidez do sangue e reduzem a agregação plaquetária. Diminuem ainda os níveis colesterol LDL e aumentam o HDL.

Mas não ficamos por aqui, na semente do cacau encontram-se ainda a teobromina e a tão conhecida cafeína, substâncias estimulantes tal como a feniletilamina (alcaloide da família das anfetaminas) que estimula a secreção de endorfinas a nível encefálico. Daí a tão famosa frase “Sou viciado em chocolate!”.

Estudos sobre os benefícios do Cacau


chocolate e cacau

Uma tribo de Índios Kuna que habita no arquipélago da costa rica do Panamá deu mesmo origem a um estudo muito interessante elaborado por uma equipa de médicos investigadores da Harvard Medical School (Boston), publicado no Journal of the American Society of Hipertension.

Todos os membros pertencentes à tribo apresentam uma pressão arterial regular, ausência de acidentes cardiovasculares ou cerebrovasculares, raríssimos casos de diabetes ou cancro e uma longevidade acima da média. Estes factos suscitaram o interesse dos investigadores que, acabaram por relacionar estes dados ao hábito de ingestão diária de cacau.

Os Kuna continuam desde sempre a ingerir o cacau seguindo um método tradicional implementado pelos Maias e Aztecas: fermentação, secagem, tostagem, trituração dos grãos e adição de água quente. Ingerem-no como uma infusão, cerca de 1 L ao dia.

Depois de este estudo ser publicado foram variadíssimos os estudos clínicos efetuados por investigadores de todo o globo. O interesse pelos benefícios do cacau deu origem a conclusões como:

  • 2007 – Hospital Universitário de Colónia (Alemanha), estudo coordenado pelo Dr. Taubert – “A ingestão de 6,3 gr diários de chocolate preto atua sobre a pressão arterial chegando a baixar 3 milímetros a sistólica”.
  • 2008 – John´s Hopkins University, coordenado pelo Dr. Hamed – “A ingestão de 700 miligramas diárias de flavonoides durante uma semana é o suficiente para se observarem efeitos hipotensores e uma significativa melhoria nos níveis de colesterol, diminuição na agregação plaquetária e diminuição dos níveis da inflamação (proteína C reactiva)”.
  • 2009 – University Hospital de Zurich (Suíça), coordenado pelo Dr. Corti – “ A ingestão de cacau reduz o risco de acidentes coronários e enfartes ao diminuir a pressão arterial, agregação plaquetária e a resistência à insulina”. A equipa do Dr. Corti foi a primeira a alargar os benefícios do cacau, comprovando científicamente a eficácia como anti-inflamatório, antioxidante e ativador do óxido nítrico.
  • 2010 – Universidad de L´Aquila (Itália), coordenado pelo Dr. Grassi – “A ingestão de chocolate negro melhora a atividade endotelial diminuindo 4,5 milímetros a pressão sistólica e 2,5 a diastólica”.
  • 2011 – Harvard Medical School, coordenado pelo Dr. Djoussé – “O consumo diário de chocolate negro inibe o aparecimento de placas de ateroma nas artérias coronárias”.

Muitos estudos depois destes vieram comprovar a efetividade das propriedades do cacau na melhoria da circulação periférica, na obesidade, no Alzheimer, em patologias hepáticas como hepatite e cancro do fígado, na hiperplasia benigna da próstata, como protetor dos raios UVs, e para as cataratas.

Cacau ou chocolate negro – qual escolher?


Perante tais benefícios fica a pergunta: devemos consumir cacau ou chocolate negro? Pois bem, se quiser comprar cacau puro pode consumir em infusões ou adicionar a bebidas. Faça-o com água ou adicione à sua bebida vegetal.

Se quiser comprar pronto a comer, é sugerido que compre os chocolates negros com maior percentagem de cacau possível. O mínimo recomendado é o chocolate negro com 70% de cacau, mas atenção, certifique-se que os outros 30% são substâncias neutras e não prejudiciais à sua saúde.

Para evitar esta situação deve dar preferência ao chocolate com 90% cacau e também já encontra 99% cacau, mas claro esqueça qualquer semelhança com o sabor do chocolate a que está habituado! Qualquer chocolate, chocolate em pó para confeção de pastelaria, achocolatado para o leite, etc., com menos de 50 % de cacau apresenta raríssimas ou nenhumas propriedades terapêuticas. O chocolate branco não é, sequer, considerado de chocolate.

Quando decidir comprar cacau com o intuito de tirar partido da riqueza que o cacau lhe oferece, consulte a composição e decida qual o melhor. Deixamos-lhe aqui um exemplo: os achocolatados comerciais para colocar no leite do pequeno-almoço do seu filho têm em média entre 15% a 25% de cacau, 30% de açúcar, 25% de leite em pó, a restante percentagem é constituída por farinha de trigo, farinha de milho, fécula de batata, lecitina de soja, gomas…

Quando deve comer? Se optar por adicioná-lo à sua alimentação, prefira-o na primeira parte do seu dia, no pequeno-almoço, lanche da manhã ou lanche da tarde. Se decidir bebê-lo, faça-o ao longo do dia, até às 17h ou antes se não beber café. Evite consumir à noite se não é tolerante à cafeína, a menos que queira fazer serão!

Veja também:

Dra. Sandra Elói Dra. Sandra Elói

Naturopata, Especialista em Medicina Ortomolecular. Terapeuta Clark (Diplomada por Dr. Clark Research Association, San Diego- USA), Laserterapeuta – Lesões desportivas(Certificada pela European TCM laser Academy – Alemanha). Colaborada em estudos clínicos na área da Medicina Natural e Ortomolecular. Docente no Instituto de Medicina Tradicional (IMT). Preparadora física de atletas de competição. Diretora Técnica do Killograma Clínica. Campeã nacional de fitness. Campeã nacional de judo.