Porque está sempre com fome?

Porque está sempre com fome?

Saiba porquê!

Está sempre com fome? Há várias razões que podem justificar essa fome constante. O mais certo é estar a fazer algo de errado. 
 

Passa o dia com fome? OK. É normal ter fome, mas não é normal sentir-se constantemente esfomeado. A verdade é que os seus níveis de stress ou aquilo que come (por exemplo) podem estar na origem do seu problema. Quer a solução? É simples. Identifique as causas possíveis e corrija os seus hábitos. Vai ver que não tarda está a sentir-se mais saciado.

Consulta Gratuita de Nutrição
Faça a sua consulta gratuita de nutrição. Fale já com a nutricionista online!

7 Razões para ter sempre fome

 

1. Anda a saltar refeições


Saltar refeições não é boa ideia. Por isso, nada de sair de casa sem tomar o pequeno-almoço ou ficar sem o lanche (ou qualquer uma das outras refeições diárias). Se o fizer o seu organismo vai ripostar. Ou seja, quando salta uma refeição e permanece de estômago vazio durante muito tempo, vai verificar-se uma maior produção de grelina, a hormona da fome, que – obviamente – vai aumentar (e muito) a sua fome. O ideal é que nunca fique mais de quatro a cinco horas (no máximo) sem comer – o ideal é que coma de três em três horas. E mesmo que não tenha muito tempo, por exemplo, opte por “petiscar” algo como um iogurte, frutos secos ou umas bolachas. 
 

2. Não ingere uma quantidade de proteína suficiente


Sim, pode dar-se o caso de necessitar de comer mais proteínas, já que estas ajudam a reduzir o apetite e prolongam a sensação de saciedade. Carnes magras, ovos e cereais integrais são algumas das (boas) fontes de proteína que tem ao seu dispor.
 

3. Não ingere gordura suficiente


Pode parecer estranho estarmos a sugerir que ingira gorduras, mas a verdade é que também o podem ajudar a reduzir (ou controlar) o apetite. Mas atenção: falamos de gorduras insaturadas, as mais saudáveis, que não só prolongam a saciedade, como ainda intervêm na prevenção de doenças cardiovasculares e redução do mau colesterol (LDL). Pode encontra-las em alimentos como abacate, frutos secos, azeite ou óleo de coco, por exemplo.
 

4. Está desidratado


Pode não se dar conta, mas há uma possibilidade de estar a confundir a sensação de sede com fome. O que acontece é que em situações de desidratação ocasional, pode ocorrer uma “confusão” a nível do hipotálamo, que regula a fome e a sede. Para evitar esta "trapalhada", nada como estar sempre hidratado. Comece logo pela manhã e beba água ao acordar. E depois não se esqueça: 1,5 a dois litros de água por dia são fundamentais para que se mantenha hidratado e usufrua de todos os benefícios da água (que são muitos, diga-se).
 

5. “Empanturra-se” com hidratos de carbono simples


Se lhe acontece (com alguma frequência) devorar por completo uma caixa de biscoitos ou um pacote de bolachas, sem dar por isso, saiba que pode estar a provocar essa fome insaciável de que parece padecer. Os hidratos de carbono são essenciais para o seu organismo, porque são convertidos em energia, mas no caso dos hidratos de carbono simples há que ter alguns cuidados. Isto porque esse tipo de alimentos são ricos em hidratos de carbono simples, que são – nada mais, nada menos – que amidos ou açúcares, por exemplo. Ao ingerir hidratos de carbono simples (que são absorvidos rapidamente pelo organismo) vai estar a sobrecarregar o seu organismo com açúcar, provocando os chamados picos glicémicos (devido à descompensação de açúcar no sangue) e, consequentemente, o aumento da fome – em particular pelo mesmo tipo de alimento. A solução: opte por alimentos mais saudáveis e ricos em hidratos de carbono complexos, que demoram mais tempo a ser absorvidos pelo organismo. Amêndoas, maçãs ou sementes de chia, são boas opções.
 

6. Anda muito stressado


Que o stress era um dos seus piores inimigos, já devia saber. Pois agora saiba que também pode afetar o seu apetite. Quando uma pessoa está submetida a fortes níveis de stress, aumenta a produção de adrenalina e cortisol, as chamadas hormonas do stress. Perante a elevada concentração destas hormonas o organismo assume que necessidade mais energia e, em consequência, o apetite “dispara”. Para além disso, o stress também contribuiu para a redução da serotonina, uma substância que controla a libertação de certas hormonas que regulam a fome ou o sono, por exemplo. Agora já sabe: relaxe e diga adeus a essa fome constante.
 

7. Vê demasiado Food Porn


Está na moda e é uma das hashtags mais usadas nas redes sociais nos dias que correm. Mesmo sem se dar conta ao espreitar o seu feed do Instagram (por exemplo) é "atacado" por fotos de pratos deliciosos e o apetite faz-se notar. Um estudo de 2012, comprova que ver imagens de comida contribui para o aumento da produção de grelina, a hormona da fome, que já aqui referimos. E o mesmo acontece com o cheiro da comida, quanto mais apetitosos os odores, maior a fome. 

 

Veja também: