Ortorexia: saiba o que é

Ortorexia: saiba o que é

Quando a alimentação saudável se torna uma obsessão

A ortorexia é um novo tipo de disúrbio alimentar que põe em causa o quão a sério devemos levar a alimentação saudável.

A ortorexia é o novo tipo de distúrbio alimentar do século XXI e está a tornar-se, infelizmente, cada vez mais comum.

Quando a maioria das pessoas pensa em distúrbios alimentares, imaginam raparigas magríssimas que se forçam a passar fome ou o vómito. Contudo, esta não é a imagem típica de um ortoréxico.

Todos os nutricionistas e profissionais de saúde promovem a alimentação equilibrada, como forma de melhorar a qualidade de vida, mas o que acontece quando isso se torna numa obsessão?

Ortorexia: o que é afinal?


A ortorexia é um distúrbio caracterizado por uma preocupação exagerada com o tipo de alimentos consumidos.
Tudo para manter a forma
Tenha acesso às melhores dicas de nutrição! Receba já conteúdo exclusivo!

O ortoréxico permite-se apenas a ingerir alimentos saudáveis e escrutina a informação nutricional de tudo o que ingere, sendo que qualquer alimento que contenha um componente não permitido (corantes, conservantes, gorduras trans, sal, açúcar ou outros), é rejeitado.

Ao contrário daquilo que acontece na anorexia ou bulimia, o ortoréxico permite-se a comer, mas fica tão obcecado com o tipo de alimentos que ingere que todos os seus pensamentos giram em volta da dieta.

A principal diferença entre a ortorexia e os demais distúrbios, é que nela a preocupação não está relacionada com o peso do corpo ou com a quantidade de alimentos ingerido, e sim com a qualidade da dieta.

Embora todos possamos beneficiar ao adotar esta atitude de forma mais habitual, os ortoréxicos levam a obsessão pelos alimentos ao extremo, e não se permitem, em circunstância alguma, a um desvio do seu plano alimentar. Quando o desvio não consegue ser evitado, estes sofrem crises de pânico, como se a refeição em questão oferecesse riscos graves para a sua saúde.

Para conseguir manter a dieta, o ortoréxico inicia uma busca obsessiva por regras alimentares. Muitas vezes, até o modo de preparação, confeção e os utensílios utilizados fazem parte das preocupações de quem tem ortorexia.

A dificuldade de lidar com a ortorexia cria-se com o facto das regras defendidas pelos ortoréxicos fazerem, maioritariamente, sentido e basearem-se em informações verdadeiras: é, por exemplo, correto realizar uma alimentação pobre em açúcares e sal.
 

A que sinais de alerta deve estar atenta?


sentimento de culpa
Está possivelmente perante um ortoréxico, quando este:
 
  • Só se permite a comer alimentos saudáveis e rejeita todos os que não o são;
  • Envolve a alimentação em todas as conversas;
  • Sente dificuldade ou recusa-se a ingerir uma refeição preparada por outra pessoa;
  • Observa e comenta de forma crítica a forma como outros preparam as refeições;
  • Verifica a informação nutricional de todos os alimentos;
  • Refere que seguir uma dieta saudável é a sua prioridade;
  • Coloca o trabalho e o lazer em segundo plano;
  • Se irrita ou sente-se culpado quando comete um erro alimentar.
Estes são apenas alguns sinais de alerta, mas são fundamentais para avaliar a presença do distúrbio.

Se tiver algum destes sintomas ou conhecer alguém que os tenha, procure ajuda e aconselhamento de um médico.
 

Quais são as consequências e os perigos?


Quando os ortoréxicos não conseguem seguir as suas regras alimentares desencadeiam processos de frustração, podendo mesmo chegar à depressão.

A ortorexia não se trata de uma preocupação normal em fazer uma alimentação saudável, trata-se de um comportamento radical que condiciona toda a vida pessoal, profissional e social.
 

1. Capacidade de concentração

Para alguns, a capacidade de concentração no trabalho ou na escola pode começar a declinar, à medida que os seus pensamentos se ocupam cada vez mais com a alimentação, em como articular os alimentos permitidos no dia-a-dia, quantas vezes deve mastigar, entre outros.

Quando a mente fica totalmente fixada na alimentação, a concentração e a motivação acabam por ficar em segundo plano.
 
 


2. Deficiências nutricionais

Por se submeter a diversas restrições, chegando até a excluir determinados grupos alimentares da dieta, o portador de ortorexia corre sérios riscos de apresentar deficiência de algum nutriente essencial ao bom funcionamento do organismo.

Deste modo, a ortorexia pode acarretar graves prejuízos à saúde, caso o ortoréxico não substitua os alimentos que evita consumir por outros que lhe ofereçam os mesmos nutrientes.

Entre as consequências físicas das deficiências nutricionais, encontra-se a anemia, por exemplo.
 
 


3. Isolamento social

Outro dano inevitável causado pela ortorexia é o isolamento social. Visto que é muito difícil encontrar quem compartilhe dos mesmos hábitos, o portador do distúrbio prefere faltar a compromissos que envolvam comida, como um almoço em família, a ter que justificar as suas limitações alimentares.

Muitas vezes, também deixa de realizar algumas atividades para que possa se dedicar com mais afinco à descoberta de novas preparações e combinações alimentares.

É também possível que o ortoréxico perca a capacidade de comer de forma intuitiva, ou seja, não perceber quando tem fome, quanto precisa comer ou quando está satisfeito.

Muitas vezes, o isolamento social é um prejuízo mais difícil de reparar que os próprios danos físicos.
 
 


4. Jejum prolongado

O jejum prolongado é muito típico da ortorexia, principalmente aquando da ingestão de algum alimento indesejável, alegando então a necessidade de uma desintoxicação.

Adicionalmente, quando os ortoréxicos se encontram fora de casa, por exemplo, preferem muitas vezes ficar em jejum a ingerir algum alimento que possa ser indesejável.
 

E há tratamento?


nutricionista
Tal como noutros distúrbios alimentares, a ajuda de profissionais especializados é fundamental. Contudo, como a ortorexia não é um distúrbio alimentar conhecido por todos os profissionais, não há um tratamento específico para esta.

Geralmente, é utilizada uma combinação de terapia nutricional e psicologia, por forma ajudar o paciente a desmistificar os conceitos estabelecidos sobre o que é uma dieta saudável. Só assim, é possível alterar os padrões alimentares sem prejudicar a auto-estima.

Se necessitar de ajuda, o seu médico poderá indicar-lhe onde encontrar ajuda especializada.
 
Saiba as melhores dicas para ficar em forma !

 

Veja também: