Claustrofobia: entenda os seus sintomas e saiba como dar a volta

Tem medo de estar em espaços fechados? Este é um dos principais sintomas da claustrofobia. Saiba como reconhecer e tratar este problema.

Claustrofobia: entenda os seus sintomas e saiba como dar a volta
Entenda melhor este distúrbio.

A claustrofobia é uma das mais comuns perturbações de ansiedade.

A sensação que provoca pode ir desde um leve desconforto até um pânico intenso e insistente, capaz de impossibilitar várias atividades diárias.

As pessoas que sofrem deste tipo de fobia sentem receio de permanecer em ambientes fechados, de se sentirem presas e com medo de sufocar, podendo ter ataques de ansiedade dentro de elevadores, aviões, salas lotadas e outros. Também espaços sem janelas podem causar um certo desconforto. 
 
Ao entrar numa divisão, as pessoas que sofrem de claustrofobia procuram ficar junto das saídas, para a eventualidade de se sentirem presas. Evitam, ainda, andar de automóvel durante as horas de maior trânsito. 

Plano de Saúde Grátis
Cuide da sua saúde. Obtenha consultas de clínica geral, medicina dentária e especialidade médicas gratuitas.Peça aqui o seu plano grátis.
Na claustrofobia, o ambiente “encolhe”, os teto aproxima-se, as paredes comprimem-se, as pernas e as mãos tremem, o suor escorre, a boca seca e o coração parecer querer furar o peito. 
 
Saiba mais sobre este distúrbio nervoso.
 

Causas da Claustrofobia


As causas da claustrofobia podem estar relacionadas com eventuais episódios traumáticos que os indivíduos possam ter sofrido durante a infância ou até em idade adulta. Também pode estar relacionado com a genética familiar.

Segundo algumas pesquisas, quem sofre de qualquer tipo de ansiedade tem uma tendência maior a apresentar este distúrbio, pois qualquer vivência de um trauma num lugar fechado pode servir como estímulo inicial para desenvolver este género de fobia. 
 

Sintomas da Claustrofobia


tonturas

A claustrofobia pode desencadear vários sintomas, nomeadamente:
 
  • Batimento cardíaco acelerado;
  • Respiração rápida;
  • Calafrios;
  • Suores;
  • Tonturas;
  • Boca seca;
  • Tremores;
  • Desorientação ou confusão;
  • Mau estar abdominal;
  • Perda de sentidos;
  • Desmaios;
  • Formigueiro ou dormência dos membros do corpo;
  • Ansiedade generalizada;
  • Sentimento de medo.


Como tratar a claustrofobia?


psicoterapia

A psicoterapia é uma das formas mais utilizadas para tratar a claustrofobia. Ajuda a identificar e compreender as razões do medo, ao mesmo tempo que promove a aprendizagem de técnicas de relaxamento e respiração, ajudando a diminuir os sintomas da doença e o desenvolvimento de uma depressão.

O alívio dos sintomas provocados pela fobia pode ainda ser combatido com medicamentos prescritos por médicos especialistas em saúde mental. 

Cuide da sua saúde. Consiga aqui consultas de clínica geral, medicina dentária e especialidade médica gratuitas!

 

Veja também:

Ler mais