Exposição solar é sinónimo de cancro de pele?

Exposição solar é sinónimo de cancro de pele?

Uma combinação provável na falta de proteção!

O cancro de pele associado à exposição solar é cada vez mais frequente, e a percentagem de incidência tem vindo a aumentar exponencialmente. Posto isto, todos os cuidados são poucos quando nos expomos muito tempo ao sol. 

É certo e sabido que deve evitar apanhar um escaldão, mas quem já não apanhou pelo menos um ou dois escaldões na vida? Provavelmente muitos de nós. Agora, será que sabe realmente quais são as consequências que um ou dois escaldões podem causar?
 
De facto, os escaldões são algo muito perigoso, especialmente para crianças e adolescentes visto que, nessa fase da vida, os escaldões aumentam de imediato a probabilidade de poderem vir a ter cancro da pele em idade adulta. Falando em números e casos mais especificos, se apanhar 5 escaldões entre os 15 e os 20 anos de idade, o risco de ter melanoma (um tipo de cancro de pele) aumenta em 80%. Quanto a outros tipos de cancro de pele o risco aumenta cerca de 68%. Apesar de os protetores solares protegerem contra os raios UV, e por sua vez contra possíveis cancros da pele que possam advir devido à exposição solar sem proteção, o seu uso em pleno ano de 2015 ainda é negligenciado por uma elevada percentagem da população. 
 

Proteja a sua saúde!
Receba conteúdos exclusivos e habilite-se a um check-up completo. Registe-se já.

Não é só a pele que está em risco


A maioria dos cancros de pele são causados pela exposição aos raios Ultra Violeta, mas há também uma outra parte do corpo que pode estar em risco: os olhos.
Um problema não tão frequente (inclusive para os portugueses, pois a maioria tem olhos escuros) mas que ainda assim ocorre, nomeadamente o aumento do risco de cancro nos olhos e o risco de desenvolver cataratas. Sendo assim, pessoas com olhos claros não devem dispensar os óculos de sol em dias de muito calor e radiação Ultra Violeta.
 

Os raios Ultra Violeta


Existem 3 tipos de raios Ultra Violeta:
 
  • UVA são o tipo de radiação mais comum e não são absorvidos pela camada de ozono.
  • UVB são maioritariamente absorvidos pela camada de ozono, no entanto alguns raios ainda são capazes de penetrar na terra.
  • UVC são muito perigosos mas não precisa de se preocupar visto que são absorvidos pela camada de ozono.

Como se sabe, a principal fonte de raios Ultra Violeta é o sol, contudo existem lâmpadas e outros sistemas, como os solários, que tentam "imitar" a radiação solar. Utilizar estes métodos para obter um bronzeado perfeito só não é contra producente como aumenta o risco de desenvolver cancro de pele.
 

Porque é que os raios UV são perigosos?


Os raios UV são perigosos devido ao que é conhecido como radiação ionizante. Este tipo de raios podem penetrar a pele e danificar o DNA, podendo causar cancro.
 
 
Quererá isto dizer que deve nunca mais pode apanhar sol? Não, nada disso! Aliás, o sol é vital para a nossa saúde e é importante garantir uma exposição solar diária (nas horas de menos calor e radiação) para a devida produção de vitamina D pelo nosso organismo. Não se deixe enganar por alguma informação que possa ter circulado nas redes sociais sobre os protetores solares não serem importantes fontes de proteção da pele. O risco associado à exposição aos raios UV é real e a proteção é fundamental.


*Guest post de Tiago Soares, autor do website Step up my body
 


Veja também: