Recuperação pós-parto: quando vou voltar ao "normal"?

Se durante a gravidez manteve um regime alimentar equilibrado, um nível adequado de exercício físico e cuidou do seu corpo, a recuperação pós-parto irá ser um processo relativamente rápido,.

Recuperação pós-parto: quando vou voltar ao
Descubra dicas importantes para esta recuperação.

Após 9 meses em que o corpo ganhou novos contornos, é compreensível que a mulher sinta a necessidade de recuperar a silhueta física anterior, desta forma, deve de iniciar o processo de recuperação pós-parto, nunca descurando a maternidade, mas sim procurando-a viver na sua plenitude.

O puerpério é o período que começa imediatamente a seguir ao nascimento do bebé e se prolonga por 6 semanas após o parto, correspondendo com o período de recuperação física e psicológica da mãe.

Este período carateriza-se por ser um espaço de tempo cheio de alterações no papel da mulher e família, levando a um conjunto de adaptações ao novo papel de mãe, nas diferentes vertentes, quer física, psíquica, social, económica, etc.

O caminho que se faz para atingir a recuperação pós-parto nem sempre é fácil, pois é evidente que o tempo necessário para esta recuperação varia consideravelmente de mulher para mulher, sendo muitas das vezes necessário o recurso a um tratamento e acompanhamento adequado.

É importante, antes de iniciar este passo, que as rotinas da família estejam adaptadas à existência e exigências do novo membro da família.

O que deve fazer para acelerar o processo?


Em seguida iremos abordar um conjunto de hábitos de vida saudáveis que surgem como elementos facilitadores na recuperação física e psicológica da mulher.

Exercício físico na recuperação pós-parto

1. Quando deve recomeçar o exercício físico após o parto

exercicio pos gravidez

As mulheres devem de retomar a prática de exercício físico logo que o seu médico/ginecologista reconheça que já é seguro.

Tome nota:
A ligação que existe entre uma mãe e um filho é a mais poderosa! Receba já todas as dicas para si e o seu bebé.

Geralmente, quando se trata de um parto normal, poderá iniciar a recuperação pós-parto três semanas depois do nascimento do bebé.

No caso de cesariana, são necessárias cerca de seis semanas. No entanto deve sempre consultar previamente o seu médico.

2. Que tipos de exercícios pode fazer

pilates na gravidez

O exercício ajuda a mulher a recuperar o corpo que tinha previamente ao parto, bem como promovem a sensação de bem-estar (devido à estimulação da libertação de endorfinas), melhoram a auto-estima e confiança, prevenindo a depressão no pós-parto.

Traz como benefícios suplementares, aumentar os níveis de energia, promover um sono mais tranquilo, reforçar a sustentação da bexiga e do intestino, promover o fortalecimento da vagina e reduzir a probabilidade de desenvolver incontinência urinária ou prolapso uterino (queda do útero).

As modalidades de exercícios que pode arriscar são várias, por exemplo, hidroginástica, natação, pilates, caminhadas ou exercícios que tonifiquem os músculos pélvicos e abdominais.

Em casa, ou fora dela, deve de realizar os exercícios de Kegel ou exercícios do períneo pélvico. Tratando-se de uma forma muito simples de, lentamente, ir trabalhando toda a musculatura da parte vaginal e ânus que estiveram particularmente sobrecarregadas durante a gravidez.

Para fazer os exercícios de Kegel corretamente deve de seguir os seguintes passos:

  1. Esvaziar a bexiga;
  2. Identificar o músculo pubococcígeo: para isso, tente interromper o jato de xixi enquanto urina;
  3. Voltar a contrair esse músculo depois de urinar para se certificar que o sabe contrair corretamente;
  4. Realizar 10 contrações seguidas do músculo e em seguida, relaxar por alguns instantes;
  5. Retomar o exercício, fazendo, pelo menos, 10 séries de 10 contrações todos os dias.
  6. Os exercícios de kegel podem ser realizados sentado, deitado ou de pé, e podem inclusive ser realizados com o auxílio de bolas de ginástica.

Esse tipo de exercício ajuda na prevenção e resolução de problemas como a incontinência urinária, contribuem também para uma melhoria da circulação, ajudando a melhorar o prazer durante as relações sexuais. Nas mulheres, estes exercícios combatem o vaginismo.

Após 4 meses do parto, pode iniciar exercícios cardiovasculares, como por exemplo, ténis, natação desportiva, ciclismo e corridas.

Após o período de “quarentena” aconselhado pelos médicos, poderá iniciar a atividade sexual, pois além de ajudar na luta contra a perda de peso, traz benefícios ao seu físico, à semelhança de um exercício cardiovascular, contribuindo para o aumento da auto-estima e bem-estar da mulher e casal.

Conselhos importantes para a prática de exercício:

  • Nunca se esqueça de aquecer antes de iniciar qualquer tipo de exercício;
  • Se algum dos exercícios lhe provocar dor, pare imediatamente e se a dor persistir contacte o seu médico;
  • Utilizar um soutien próprio para desporto, ajustado ao tamanho do peito após a gravidez;
  • O uso da cinta deverá ser aconselhado em casos que realmente o necessitem, quando a mãe sente algum desconforto ou por conselho médico, caso contrário não o faça só porque a sua mãe ou amigas o fizeram;
  • A mãe que fez cesariana deverá tomar mais cuidado com alguns exercícios como a prática de abdominais e exercícios de maior intensidade, pois a recuperação é mais demorada.

 

Amamentar em regime livre como beneficio da recuperação pós-parto


amamentar

Está provado que dar de mamar ao bebé em regime livre, ou seja, sempre que o bebé quiser, além de ser benéfica para este, ajuda a mãe a recuperar o seu peso mais rapidamente, devido à grande exigência calórica por parte da amamentação, favorecendo o emagrecimento da mulher e contribuindo para um regresso à boa forma mais célere.

A Organização Mundial da Saúde (OMS), defende que, a prática da amamentação exclusiva durante seis meses, contribui para uma perda de peso por parte da mãe, de forma mais rápida e saudável: cerca de 500g por semana entre a 4.ª e a 14.ª semana pós-parto, o que equivale a uma perda de 5kg aproximadamente.

Nunca deve de descurar a alimentação no período de amamentação, deve ser equilibrada  e ajustada às suas necessidades fisiológicas. Se necessário, recorra a um nutricionista para um plano alimentar personalizado.

Enquanto estiver a amamentar não deve de ingerir bebidas estimulantes como chá preto e café ou bebidas alcoólicas, fumar ou tomar medicamentos sem receita médica.

Como eliminar as dores na região vaginal?


descansar

É normal ficar com dores no corpo depois de dar à luz por parto normal, principalmente na região do períneo, pois essa área foi pressionada pela cabeça do bebé durante o parto.

Como agravante, em alguns casos durante o parto, pode ocorrer fissuras ou lacerações na pele, ou mesmo quando o médico/parteira lhe fazem uma episiotomia, como consequência essa região pode ficar mais dolorosa.

Esta sensação deverá de melhorar em alguns dias, mas há casos em que a dor permanece por algumas semanas. Depois de dois meses o normal é já não sentir dor.

Truques para aliviar esta dor:

  • Varie de posição sempre que se lembrar: de pé, sentada e deitada, para aliviar a pressão da área;
  • Aplique compressas geladas no períneo;
  • Descanse o máximo que puder, para ajudar o seu corpo a se recuperar;
  • Faça os exercícios de kegel referidos anteriormente, pois ajudam a acelerar a cicatrização e aumentam o fluxo sanguíneo na região;
  • Utilize uma almofada em forma de bóia ou a típica almofada para quem sofre de hemorróidas, ou até a almofada de amamentação para se sentar sem pressionar a região dos pontos.

Sempre pode recorrer a aulas de recuperação pós-parto num centro especializado para o efeito, verificando-se que é uma grande ajuda, pois graças a estas sessões, o tratamento será distinto em função da mulher ter feito uma cesariana ou um parto vaginal.

Desta forma, estas sessões permitem que as novas mães partilhem experiências e conselhos (educação pelos pares), ajudando a ganhar auto-estima e confiança nesta fase importante das suas vidas.

Como lidar com as consequências inestéticas da gravidez?


1. Estrias

estrias

O surgimento de estrias na gravidez, é um acontecimento extremamente comum, chegando a acometer 70 a 90% das gestantes, principalmente no terceiro trimestre, época em que a distensão da pele da região abdominal torna-se mais intensa.

As estrias surgem proeminentemente na região abdominal, mas também são comuns nos seios, nas nádegas, nos quadris, região lombar e até nos braços.

É essencial tentar preveni-las durante a gravidez, isto pode ser feito através de uma hidratação oral adequada, controlo do ganho de peso durante a gravidez, pelo que uma alimentação equilibrada é extremamente importante e deve de utilizar cremes/óleos específicos durante e após a gravidez.

Atualmente, existem variados tratamentos cosméticos que ajudam a acelerar a recuperação da forma física. Pode optar por os fazer em casa ou num gabinete de estética.

2. Seios

seios

É outra parte do corpo que fica diferente com a gravidez, pois durante e logo após a gravidez, a tendência do corpo da mulher é sofrer um aumento do volume dos seios e ganhar estrias.

Para além de uma hidratação da pele correta, a escolha de um soutien ideal ajuda a reduzir a flacidez.

O soutien deve de ser escolhido de acordo com o tamanho dos seios, bem como deve de acomodar corretamente os mesmos. As alças do soutien devem de estar ajustadas corretamente, devem de ficar centralizadas no ombro e ajustadas, para que não fiquem largas deixando os seios sem sustentação, nem apertadas causando dores nos ombros e pescoço.

A má postura contribui para os seios flácidos e caídos. Portanto mantenha uma boa postura e alinhamento correto das costas.

3. Varizes

varizes

O risco de aparecimento de varizes durante a gravidez é maior devido ao aumento de peso. Se tem problemas de má circulação as probabilidades aumentam.

O uso recorrente de meias de descanso poderá dar-lhe uma ajuda, assim como a aplicação de cremes específicos estimuladores da circulação.

Temos que ter consciência de que há alterações no nosso corpo que poderemos não conseguir contrariar. O mais importante, na recuperação pós-parto, é ter paciência e tirar o tempo necessário para cuidar de si e aprender a gostar da sua nova forma.

Receba aqui as melhores novidades para si e para o seu bebé

Veja também: