Linfocitose: causas e tratamento

O aumento de linfócitos no sangue tem o nome de linfocitose. Essa situação pode surgir como consequência de várias doenças e tem efeitos no organismo.

Linfocitose: causas e tratamento
Saiba o que é a linfocitose e quais são as suas causas.

A linfocitose resulta de uma contagem aumentada de linfócitos. Os linfócitos são glóbulos brancos que fazem o reconhecimento de organismos estranhos (como bactérias, vírus e outras toxinas), iniciando o processo de ativação do sistema imunitário.

Existem três tipos principais de linfócitos: as células B, as células T e as células NK (natural killers).

Os valores de referência dos linfócitos são 1,00 – 3,20 (10^9/L), ou seja, entre 1000 e 3200 por milímetro cúbico de sangue. A elevação da contagem de linfócitos acima deste nível é mais comumente devido a uma linfocitose reativa, ou seja, a resposta normal do organismo a uma infeção aguda ou a uma condição inflamatória.

Uma etiologia menos comum de uma contagem elevada de linfócitos é a linfocitose maligna, onde a contagem de linfócitos se eleva devido a uma doença linfoproliferativa aguda ou crónica.

LINFOCITOSE: O QUE É?



Plano de Saúde Grátis
Cuide da sua saúde. Obtenha consultas de clínica geral, medicina dentária e especialidade médicas gratuitas.Peça aqui o seu plano grátis.
A avaliação da quantidade de linfócitos no sangue é feita através de um hemograma, ou seja, uma análise ao sangue. Se os valores forem mais altos do que o intervalo suposto, estamos perante uma linfocitose.

Entre sexos e etnias os valores normais não alteram, mas relativamente às idades surgem diferenças. Enquanto nos adultos os valores são considerados altos quando a contagem absoluta de linfócitos é superior aos 4000 por mililitro, em crianças é diferente. Nas mais velhas é quando passa os 7000 por mililitro e em crianças mais novas apenas quando é mais alta do que os 9000 por mililitro.

QUAIS AS CAUSAS DE LINFOCITOSE?


linfocitose e infecao bacteriana

Níveis elevados de linfócitos podem ser evidência de uma das seguintes condições:

  • Infeção (bacteriana, viral ou outra);
  • Cancro do sangue ou do sistema linfático;
  • Distúrbio autoimune que causa inflamação (crónica);

As causas específicas da linfocitose incluem:

  • Leucemia linfocítica aguda;
  • Leucemia linfocítica crónica;
  • Linfomas;
  • Infeção por citomegalovírus (CMV) – vírus da mesma família do herpes;
  • Mononucleose infeciosa (ou doença do beijo, é uma doença contagiosa muito prevalente e em geral benigna causada pelo vírus Epstein-Barr);
  • HIV/SIDA;
  • Gripe;
  • Outras infeções virais.

 

A LINFOCITOSE CAUSA SINTOMAS?


febre alta

Mesmo com contagens de linfócitos altamente elevados, é incomum que os pacientes desenvolvam sinais e sintomas diretamente atribuíveis à linfocitose.

No entanto, os sinais e sintomas resultantes da condição responsável pela elevada contagem de linfócitos podem ser pistas importantes para ajudar a identificar a doença subjacente. Por exemplo, um jovem paciente com linfocitose no cenário de febre, faringite, cansaço e esplenomegalia (aumento do volume do baço) levaria a preocupação com a mononucleose infeciosa.

Em contraste, um paciente idoso com linfocitose, anemia (diminuição do número de glóbulos vermelhos) e trombocitopenia (diminuição do número de plaquetas) causaria suspeita de leucemia linfocítica crónica.

Assim, muitas vezes a linfocitose é diagnosticada quando o paciente se queixa de uma doença infeciosa, uma vez que o desenvolvimento do processo infecioso provoca um aumento de linfócitos.

Como regra, os sintomas dependem completamente dos motivos que causaram a doença, podendo não aparecer ou serem leves em relação à doença que causou linfocitose. A manifestação dos sintomas depende também do sistema imunitário do organismo.

TRATAMENTO DA LINFOCITOSE


tratamento intravenoso

É improvável que uma elevada contagem de linfócitos seja prejudicial. Portanto, identificar a causa subjacente é essencial, pois o tratamento diferirá substancialmente entre causas reativas e malignas.

Por exemplo, a linfocitose reativa devido a uma infeção viral, como na mononucleose infeciosa, não requer nenhum tratamento específico além do cuidado de suporte.

Em contraste, a leucemia linfocítica aguda (LLA) pode apresentar uma contagem elevada de linfoblastos que pode ser facilmente confundida com linfocitose. Reconhecer o porquê de uma elevada contagem de linfócitos é importante, pois no caso desta doença, por exemplo, requer um tratamento rápido com quimioterapia intensiva.

O tratamento da linfocitose dependerá, assim, inteiramente da causa que contribuiu para o seu desenvolvimento. Em regra, medicamentos anti-inflamatórios, antibióticos e antivirais são prescritos. Após curar a doença subjacente, os níveis de linfócitos normalizam.

Em casos mais raros, na presença de neoplasias malignas, a quimioterapia é prescrita ou o transplante de medula óssea é realizado.

Cuide da sua saúde. Consiga aqui consultas de clínica geral, medicina dentária e especialidade médica gratuitas!

Veja também:

Ler mais
Cátia Rocha Cátia Rocha

Cátia Rocha é farmacêutica. Como apaixonada pela profissão, acredita na importância da educação para a saúde e num papel interventivo dos profissionais de modo a transmitir conhecimentos que considera importantes e fundamentais para o bem-estar da população. É Mestre em Ciências Farmacêuticas pelo Instituto Superior de Ciências da Saúde do Norte e exerce atualmente o cargo de farmacêutica na Farmácia Agra.