Gratidão: essencial para ser feliz?

Já parou para pensar no quanto tem para agradecer? Costuma fazê-lo com alguma frequência? Pois fique a saber que se não o faz, deveria! A gratidão parece estar realmente associada a maiores níveis de felicidade. Compreenda melhor este fenómeno da gratidão e aprenda algumas técnicas simples para se tornar o mais grato possível.

Gratidão: essencial para ser feliz?
Já pensou quão boa é a sua vida?

Ultimamente ouvimos falar imenso da gratidão, da importância de estarmos gratos por tudo quanto temos e pelo bem-estar que a gratidão nos traz. Mas será que a gratidão afeta realmente a nossa vida, as nossas relações e o nosso bem-estar? Vamos descobrir!

O que é a gratidão?


gratidao pela vida

Quando pensamos em gratidão pensamos automaticamente em bondade, na beleza de dar e receber, de partilhar, ser gentil e generoso. Mas afinal o que é a gratidão?

Na realidade parece não haver consenso. Tem sido descrita de diversas formas: uma emoção; um estado de espírito; uma virtude moral; um traço de personalidade; um hábito; ou simplesmente um modo de estar na vida.

Sentimos gratidão quando temos consciência daquilo que de bom nos acontece, não tomando tudo como garantido. Implica reconhecer que houve alguém que nos presenteou de algum modo com a sua bondade.

Também é possível que nos sintamos gratos face a acontecimentos negativos, com os quais aprendemos e evoluímos como pessoas.

Gratidão: essencial para ser feliz?


bem estar e felicidade pura

A relação entre a gratidão, como forma de estar na vida, e o bem-estar e a felicidade tem sido tema de várias investigações.

De facto, tudo parece apontar para o facto de que, através da prática regular de gratidão as pessoas sentem vários benefícios, nomeadamente psicológicos, físicos e interpessoais, sendo que para algumas pessoas a experiência de gratidão modificou a sua vida. Traz paz de espírito, bem-estar individual, felicidade, saúde e fortalecimento de relações pessoais, tornando-as mais profundas e satisfatórias.

Pessoas que se sentem gratas apreciam mais as suas vidas, apresentam um maior otimismo face ao futuro, e mostram-se mais alegres, felizes, carinhosas e entusiasmadas. Pelo contrário, evitam sentimentos mais destrutivos, como a ganância, a inveja e o rancor.

A felicidade das pessoas que praticam a gratidão não está ligada aos bens materiais, ou seja, não avaliam o seu êxito com base nos bens materiais, o que faz com que não sintam tanta inveja daquilo que os outros possuem.

Também as relações pessoais das pessoas gratas parecem ser mais felizes, mais estáveis e mais resistentes. A gratidão implica uma relação, uma partilha, daí que pessoas gratas não sejam pessoas isoladas, mas sim pessoas altamente conectadas com os outros.

Quando estamos gratos, sentimo-nos bem e sentimos necessidade de partilhar o nosso bem-estar e a nossa felicidade com quem nos rodeia. Sentimo-nos mais próximos, mais úteis e desfrutamos mais da companhia uns dos outros.

Assim sendo, as pessoas que sentem e expressam gratidão parecem realmente ser mais felizes. Sentem-se mais autoconfiantes, acarinhadas, amadas e menos deprimidas.

Como me posso tornar mais grato?


gratidao pelo outro

1 – Não dê nada como garantido;

2 – Tenha momentos de pausa durante o seu dia, nos quais reflete sobre tudo o que de bom lhe aconteceu;

3 – Lembre-se de estar grato por todos os dias, independentemente de acontecerem coisas menos positivas; lembre-se que o dia de hoje não se volta a repetir;

4 . Identifique as pessoas que enriquecem e tornam a sua vida melhor;

5 – Mostre-se grato pelas pequenas coisas que os outros fazem por si e vai ver a sua rede de relacionamentos aumentar;

6 – Aprecie as pequenas coisas da vida e seja grato por elas; imagine como a sua vida seria mais pobre sem as pequenas alegrias do dia-dia;

7 – Pense em tudo o que concretizou até hoje, desde as mais pequenas vitórias: identifique as pessoas, as situações e os eventos que o ajudaram a alcançar essas concretizações;

8 – Escreva, e posteriormente leia, uma carta de gratidão a alguém, ainda vivo, que tenha sido particularmente bondoso consigo ou que tenha sido a causa de uma mudança verdadeiramente positiva na sua vida, mas que até agora nunca recebeu o devido agradecimento.

Veja também:

Psicóloga Ana Graça Psicóloga Ana Graça

Mestre em Psicologia, pela Universidade do Minho, com a dissertação “A experiência de cuidar, estratégias de coping e autorrelato de saúde”. Especialização (Pós-Graduada) em Neuropsicologia Clínica, Intervenção Neuropsicológica e Neuropsicologia Geriátrica. Membro efetivo da Ordem dos Psicólogos Portugueses, com especialidade em Psicologia Clínica e da Saúde e Neuropsicologia. Para além da Psicologia é apaixonada por viagens, leitura, boa música, caminhadas ao ar livre e tudo o que proporcione felicidade!