Como fomentar o gosto pelo estudo desde cedo?

Quanto maior a nossa motivação e o gosto pelo estudo, melhor será a aprendizagem. Quando estudamos desmotivados, sem gosto pelo que estamos a fazer, os resultados são certamente inferiores. É importante colocar em prática, desde cedo, algumas técnicas para combater o desânimo, e estudar de forma motivada e concentrada.

Como fomentar o gosto pelo estudo desde cedo?
Quanto mais cedo estimulada melhor é o desenvolvimento de uma criança.

A desmotivação dos alunos é um dos grandes obstáculos à compreensão e aprendizagem dos conteúdos escolares. Daí que seja tão importante fomentar, desde cedo, o gosto pelo estudo.

Quando confrontados com determinadas tarefas escolares, alguns alunos aumentam o seu esforço, envolvem-se e persistem na tarefa, enquanto outros, pelo contrário, tentam escapar-se dela.

Estes dois tipos de comportamento trazem, naturalmente, diferentes resultados escolares, mais satisfatórios no primeiro caso e menos no segundo.

Estas diferenças de atitude parecem estar relacionadas com o nível de motivação apresentado por cada aluno.

A importância da Motivação


Gosto pelo estudo e crianca sem vontade de estudar

A motivação é um dos principais fatores que justifica o sucesso ou insucesso escolar, sendo determinante para a aprendizagem dos alunos. É aquilo que nos move e nos põe em ação. É a capacidade de iniciar e dirigir o comportamento de forma a atingir as nossas metas e objetivos.

Existem dois tipos de motivação: extrínseca e a intrínseca. Ambas existem em cada um de nós, motivando-nos de forma diferente.

  • Motivação Extrínseca: tem origem em fatores externos ao aluno; o aluno realiza a tarefa para ser recompensado ou para não ser castigado; o aluno não gosta da tarefa em si, mas sim da recompensa; quando retirada a recompensa ou o castigo o aluno deixa de realizar a tarefa, visto que não tem nada a ganhar nem a perder; este tipo de motivação é muito inconstante dado que depende de fatores externos; este tipo de motivação é necessária pois nem todas as tarefas que temos que realizar são gratificantes;
  • Motivação Intrínseca: tem origem em fatores internos ao aluno; relaciona-se com a sua forma de ser, os seus interesses e gostos pessoais; não há necessidade de recompensas dado que a tarefa por si só tem interesse para o aluno; este tipo de motivação é constante, pois depende unicamente do aluno e não de fatores externos; os alunos motivados intrinsecamente têm mais sucesso.

 

Quando começa a aprendizagem?


bebe com mapa mundo

O processo de desenvolvimento cognitivo, ou seja, tudo aquilo que a criança vai aprender, começa nos reflexos do recém-nascido e vai progredindo por fases. Este facto mostra a importância da estimulação cognitiva começar desde cedo.

Os pais devem procurar que os seus filhos aprendam desde os primeiros meses de vida. Crianças que não são estimuladas nesta fase crucial tendem a ver o seu desenvolvimento prejudicado. Esta estimulação deve ser constante e ir progredindo em nível de dificuldade passo a passo com a evolução do desenvolvimento da criança.

Assim, se temos capacidade de aprender tão precocemente, faz sentido que os pais procurem motivar os seus filhos para a aprendizagem e estimulem o gosto pelo estudo desde muito cedo.

De que forma podem os pais fomentar o gosto pelo estudo?


1. Através da brincadeira

menino a brincar ao ar livre

A criança descobre o mundo através da brincadeira. Durante a brincadeira as crianças aprendem umas com as outras e desenvolvem-se como seres sociais, que pensam, que defendem pontos de vista, que geram novas capacidades de descoberta do mundo.

Nos jogos de “faz de conta”, a criança tem oportunidade de experimentar ser aquilo que não é, ser o que imagina vir a ser. Através da imaginação, a criança age como se fosse adulta e desenvolve a capacidade de compreensão dos papéis sociais.

As brincadeiras potenciam a aprendizagem das regras de convivência, conceitos matemáticos como noções de tempo e espaço, linguagem, autonomia e criatividade.

O ato de brincar é de enorme importância para o desenvolvimento da criança e para o processo de aprendizagem. Não se trata apenas de um momento de diversão, mas de um momento onde também tem lugar a assimilação de conhecimentos, que serão úteis na vida futura.

Brincar exercita a imaginação, desenvolve a personalidade e as habilidades, permite expressar a autonomia da criança, trabalha o lado emocional e amplia os horizontes. Brincar é o mais completo dos processos educativos.

Através de estratégias motivacionais

crianca a pedir ajuda para estudar

  • Dê incentivos encorajadores;
  • Comece com pequenos passos: é difícil mudar radicalmente os hábitos e o gosto pelo estudo de uma vez;
  • Garanta que em casa e na escola o seu filho usufrui de um ambiente afável, onde o seu sentimento de pertença seja potenciado;
  • Garanta que todas as suas dúvidas são legitimadas e os pedidos de ajuda atendidos;
  • Procure que o seu filho se envolva na tarefa escolar tendo o genuíno objetivo de dominar os conteúdos, pois só com esse nível de motivação atingirá o empenho total e investirá o tempo e a energia necessários;
  • Procure que o seu filho entenda a importância de aquisição de conhecimentos e do potencial que tem para os adquirir: ter consciência das suas capacidades vai aumentar o gosto pelo estudo, a auto confiança e valorização pessoal;
  • Reforce a postura ativa do seu filho;
  • Ajude-o a implementar métodos de estudo eficazes: resumos; esquemas; liberdade total para tirar dúvidas; gestão equilibrada do tempo de estudo;
  • Ajuste o nível de exigências das tarefas escolares e discuta esta estratégia com o professor: vai evitar persistir nos fracassos e dificuldades, diminuir o desânimo e criar oportunidades para que o seu filho experiencie o sucesso; invista em tarefas de complexidade crescente;
  • Evite comparar com os resultados de outros colegas: encoraje e analise com o seu filho a sua evolução; estimule a capacidade de auto avaliação;
  • Estimule a curiosidade, a autonomia e a proatividade: auto-regulação da aprendizagem; tomada de iniciativa; oportunidades de decisão e escolha;
  • Disponibilize tarefas, materiais e atividades relevantes e úteis para o seu filho, de forma que se identifique com as mesmas e se sinta mais motivado para a sua realização; tenha em conta as preferências pessoais do seu filho;
  • Garanta que o seu filho usufrui de atividades diversificadas, com recurso a materiais inovadores;
  • Torne as tarefas mais divertidas;
  • Mostre interesse e entusiasmo! Se não se mostrar entusiasmado o seu filho também não o vai fazer.

 

Em conclusão


É essencial, em todas as fases do desenvolvimento, oferecer à criança um ambiente de qualidade para o seu desenvolvimento. Um ambiente de qualidade é aquele que combina estratégias motivacionais com estimulação das interações sociais e da imaginação.

Veja também:

Psicóloga Ana Graça Psicóloga Ana Graça

Mestre em Psicologia, pela Universidade do Minho, com a dissertação “A experiência de cuidar, estratégias de coping e autorrelato de saúde”. Especialização (Pós-Graduada) em Neuropsicologia Clínica, Intervenção Neuropsicológica e Neuropsicologia Geriátrica. Membro efetivo da Ordem dos Psicólogos Portugueses, com especialidade em Psicologia Clínica e da Saúde e Neuropsicologia. Para além da Psicologia é apaixonada por viagens, leitura, boa música, caminhadas ao ar livre e tudo o que proporcione felicidade!