Fertilidade masculina: o que afeta e o que a melhora

A fertilidade masculina pode ser afetada por diversos fatores, mas também pode ser aumentada se tiver em conta os seguintes aspetos.

Fertilidade masculina: o que afeta e o que a melhora
Saiba o que fazer e o que evitar.

O tabaco, o álcool, uma alimentação desequilibrada e o exercício físico são só alguns dos aspetos que têm influência na fertilidade masculina.

Estes fatores podem contribuir para a aumentar ou para a reduzir a fertilidade masculina, consoante a existência e frequência no seu dia-a-dia.

Acima de tudo, nunca se esqueça que não deve recorrer a suplementos vitamínicos nem a medicamentos para aumentar a fertilidade sem recorrer à opinião de um médico. Todas as decisões tomadas sobre este assunto devem em conta a opinião prévia de um especialista.
 

O QUE PREJUDICA A FERTILIDADE MASCULINA?


1. TABACO E CIGARROS ELETRÓNICOS

tabaco
Além de todas as outras razões relacionadas com a saúde em geral, o tabaco reduz a produção e a qualidade dos espermatozoides.

Plano de Saúde Grátis
Cuide da sua saúde. Obtenha consultas de clínica geral, medicina dentária e especialidade médicas gratuitas.Peça aqui o seu plano grátis.
O facto de reduzir a fertilidade masculina é, portanto, mais uma grande razão para começar a pensar deixar de lado este vício.
 
 


2. MÁ ALIMENTAÇÃO

Não precisa de ter o maior controlo do mundo, mas há alguns aspetos que importa ter em atenção para não prejudicar a fertilidade masculina:
 
  • Reduzir o álcool – afeta a qualidade do esperma e dificulta a absorção de nutrientes;
  • Reduzir os hidratos de carbono simples.
 


3. ATIVIDADE FÍSICA EM DEMASIA

atividade intensa
Se a atividade física é parte integrante da sua vida a ponto de a praticar em demasia e com intensidade demasiado elevada, vai ter de repensar esta situação caso esteja a ter problemas de fertilidade.

O exercício extremo aumenta a temperatura local, o que resulta na diminuição da concentração de espermatozoides e na redução dos níveis de testosterona.
 
 


4. VARIOCELE

Esta é a causa mais frequente para a redução da fertilidade masculina e consiste num aumento dos vasos sanguíneos dos testículos que aumenta a temperatura da zona genital e prejudica a produção dos espermatozoides.

A variocele raramente manifesta sintomas (embora possa por vezes provocar dor) e é resolvida através de uma cirurgia simples para retirar os vasos aumentados.
 
 


5. INFEÇÕES

infecoes
Podem ser casos tão simples como infeções urinárias, mas que vão afetar a produção e a qualidade dos espermatozoides, reduzindo assim a fertilidade masculina.

Contudo o tratamento é muito simples: basta recorrer a antibióticos que curem a infeção e, claro, garantir que a mulher também não foi infetada.
 
 


6. PROBLEMAS GENÉTICOS

Esta situação traduz-se no facto de o homem não produzir naturalmente espermatozoides ou produzir em quantidades tão reduzidas que não é possível acontecer a fecundação do óvulo da mulher.

Nestes casos a opção é recorrer à fertilização in vitro, ou seja, os espermatozoides do homem são unidos ao óvulo da mulher em laboratório e formam então um embrião que será colocado no útero da mulher.

Pode também recorrer-se a técnicas de reprodução medicamente assistida, onde os espermatozoides são retirados dos testículos com a ajuda de uma agulha e são posteriormente colocados no útero da mulher para que aconteça a fecundação.
 
 


7. MUDANÇAS HORMONAIS

radioterapia
As alterações hormonais que surgem podem afetar a fertilidade masculina, mas podem ser solucionadas através de injeções de hormonas regularmente.

Prendem-se com causas como:
 
  • Produção elevada da hormona prolactina;
  • Anabolizantes;
  • Produção reduzida de testosterona;
  • Distúrbios na tiroide;
  • Tumores na hipófise;
  • Radioterapia.
 

O QUE AUMENTA A FERTILIDADE MASCULINA?


1. ATIVIDADE FÍSICA REGRADA

atividade fisica regrada
Não atinja extremos, tal como foi referido anteriormente, mas pratique atividades moderadas e leves que não só contribuem para o bem estar geral e para a saúde como um todo, mas também contribuem para aumentar a contagem de esperma.
 
 


2. ALIMENTAÇÃO EQUILIBRADA

alimentacao equilibrada
Há alguns nutrientes que podem contribuir para aumentar a fertilidade masculina:
 
  • Arginina (carne, peixe, cereais integrais, castanhas) – promove a dilatação dos vasos sanguíneos, o que permite um maior fluxo sanguíneo e, consequentemente, um melhor funcionamento do aparelho reprodutor;
  • Zinco (carne, frutos do mar, amêndoas, cereais integrais) - fundamental na motilidade e regulação do esperma;
  • Vitamina A (cenoura, abóbora, espargos, espinafres) – ajudam a produzir mais espermatozoides e mais saudáveis;
  • Vitamina C (laranja, limão, kiwi, brócolos, rúcula) – ajuda a regular a produção de esperma;
  • Vitamina E (nozes e alimentos integrais) – aumenta a mobilidade dos espermatozoides.
 


3. EVITAR O STRESS

relaxar
O stress não só pode interferir com o desejo sexual, como pode provocar alterações hormonais que prejudicam a produção de esperma, reduzindo assim a fertilidade masculina.

Procure aliviar o stress tendo uma vida social ativa que o permita desligar-se dos problemas, faça massagens de relaxamento e tente ser mais racional em relação a tudo aquilo que lhe possa estar a provocar mais tensão.
 

EXAMES PARA AVALIAR A FERTILIDADE MASCULINA


exames para avaliar a fertilidade masculina


1. Espermograma

O esperma do homem é avaliado em laboratório.

 


2. Teste pós-coito

É avaliada uma amostra de muco cervical entre duas a 12 horas depois da relação sexual para verificar a capacidade de movimentação dos espermatozoides.

 


3. Exame de anticorpos contra espermatozoides

Avaliam o efeitos dos anticorpos da mulher nos espermatozoides (se os matam ou imobilizam).

 


4. Fragmentação da cromatina espermática

Avaliar o ADN dos espermatozoides e a sua integridade.

Cuide da sua saúde. Consiga aqui consultas de clínica geral, medicina dentária e especialidade médica gratuitas!

 

Veja também:

Ler mais