Engravidar aos 40 anos é arriscado?

Engravidar aos 40 anos é arriscado?

Conheça os riscos e as dicas para engravidar aos 40.

De acordo com o INE, em 2009, 20% das mulheres que deram à luz tinham 35 anos ou mais e a tendência tem sido para aumentar. Gravidez aos 40: há riscos ou não?

Uma gravidez aos 40 tem alguns riscos, porém, a grande maioria das gravidezes nesta idade são perfeitamente normais. Sabemos que o pico de fertilidade anda pelos 25, por isso, é recomendado que a primeira gravidez de uma mulher aconteça até aos 30 anos ou, não sendo absolutamente possível, até aos 35 anos. Apesar destas recomendações, nada impede que uma gravidez aos 40 corra dentro da normalidade ou que, inclusive, engravide na primeira tentativa.
 

A fertilidade feminina


Uma mulher nasce com um número finito de óvulos e não produz mais nenhum após o seu nascimento. Portanto, é errado dizer que a mulher deixou de produzir óvulos, o que acontece é que estes vão envelhecendo e perdendo qualidade. Para ter uma ideia, aos 40 anos, uma mulher tem apenas 5% dos óvulos que tinha à data do seu nascimento, ainda assim, uma gravidez não é impossível.
 


Quais são os riscos de uma gravidez aos 40 anos?


Existem alguns riscos associados a uma gravidez após os 40 anos, contudo, se a mulher for saudável e ativa, esses riscos são significativamente reduzidos. Ou seja, se praticar exercício diariamente, se fizer uma alimentação equilibrada e não tiver problemas como colesterol elevado ou diabetes, terá mais chances de ter uma gravidez sem sobressaltos.
 
Tome nota:
A ligação que existe entre uma mãe e um filho é a mais poderosa! Receba já todas as dicas para si e o seu bebé.

1. Envelhecimento dos óvulos

Não é bem um risco mas há uma maior dificuldade maior em engravidar, precisamente, pelo envelhecimento dos óvulos. Esta perda de qualidade acentua-se a partir dos 35 anos e há uma queda significativa após os 40 anos.
 


2. Aborto espontâneo

No caso de engravidar após os 40 anos, há mais riscos de hemorragias e abortos espontâneos. Acontece, normalmente, relacionado com anomalias dos cromossomas. O seu corpo percebe que se trata de uma gravidez não evolutiva e acontece o aborto.
 


3. Diabetes gestacional

A diabetes gestacional é muito comum e acontece por causa do aumento dos níveis de glicose no sangue. Normalmente, após o parto esta condição desaparece mas esteja atenta porque pode desenvolver diabetes tipo 2.
 


4. Eclampsia

Como consequência da hipertensão, a eclampsia é uma consequência grave da pré-eclampsia, que pode acontecer a qualquer momento após a 20ª semana de gravidez e até 12 semanas após o parto.
 


5. Alterações cromossómicas

Há maiores riscos de alterações dos cromossomas que podem levar a malformações do bebé, que originam doenças genéticas, sendo a mais frequente e conhecida, a Síndrome de Down. Contudo, se engravidar aos 20 anos, o risco de ter um bebé com Síndrome de Dow é de 1 para 2000, se for aos 40 anos, o risco aumenta mas, ainda assim, os números são de 1 para 100 bebés, cerca de 1%.
 


6. Prematuridade

No caso de uma gravidez aos 40 anos, há maior risco de o bebé nascer antes do termo. Isto pode representar risco de vida para o bebé e aumenta os riscos de saúde após o nascimento.
 


7. Endometriose

É um problema frequente nas gravidezes tardias e caracteriza-se pelo crescimento  de tecido endométrio fora do útero. Pode também ocorrer o aparecimento de mimosa, que resultam em sangramento e dor abdominal excessiva.
 


6 Dicas para  engravidar aos 40




1. Olá, vida saudável!

Tenha 40, 30 ou 25 anos há alguns cuidados que deve ter para conseguir engravidar. Melhorar a alimentação é o primeiro, procurando fazer uma alimentação mais equilibrada e variada, ingerindo na medida certa os alimentos indicados pela roda dos alimentos.
 


2. Adeus, porcarias!

Depois, é tempo de se livrar de tudo o que lhe faça mal como, álcool, cafeína, refrigerantes, gorduras saturadas, drogas, tabaco e excesso de stress que podem dificultar o processo e, mais tarde, prejudicar o seu bebé.
 


3. O médico como melhor amigo  

É importante que, independentemente da sua idade, consulte o médico antes de começar a tentar engravidar. Antes de engravidar, há cuidados que deve ter, nomeadamente, com a toma de suplementos essenciais, como o ácido fólico (3 meses antes), e exames de despiste que são absolutamente necessários.
 


4. Está na hora de ginasticar

Com as devidas cautelas mas, sim, mexa-se! Dê mais atenção ao seu corpo, faça exercício diário com, pelo menos, uma caminhada acelerada. Yoga também pode ser uma boa opção. Se já é uma pessoa ativa não pare agora porque não há motivos para isso, pelo contrário. 
 


5. Conheça o seu corpo

Passamos a vida a ouvir que basta uma vez para engravidar mas, na verdade, não é bem assim. A janela fértil é bastante curta, dura apenas 5 ou 6 dias, por isso, é muito importante que os saiba identificar e que tenha relações sexuais nesse período.
 


6. Livre-se do stress e da ansiedade

Sabemos que é mais fácil dizer do que fazer mas estes dois podem ser os seus maiores inimigos. Se não o fez até agora, está na hora de adotar técnicas que lhe permitam abstrair-se dos problemas e relaxar. A acupuntura ou a prática de exercício como o tai chi pode ajudar. 
 

Veja também: