Edulcorantes nutritivos: serão os bons ou maus da "fita"?

Com a evolução da indústria alimentar existe uma necessidade de encontrar alternativas ao açúcar, como é o caso dos edulcorantes nutritivos. Mas serão estes benéficos?

Edulcorantes nutritivos: serão os bons ou maus da
Saiba mais sobre este tipo de edulcorantes.

A evolução da indústria alimentar e a adição de açúcar a muitos alimentos incluídos diariamente na alimentação de algumas pessoas tem sido um problema em constante aumento, sendo que, uma das soluções apresentadas como substitutos do açúcar são os edulcorantes nutritivos.

O sabor doce é, para a maioria das pessoas, altamente prazeroso, sendo muito mais comum encontrar pessoas que preferem o doce ao salgado, e não o contrário.

Tal coisa não é de estranhar, uma vez que desde pequenos/as somos sujeitos ao sabor doce: primeiro através da alimentação da mãe, e depois do leite materno. Não é por acaso que os bebés aceitam mais facilmente cenoura, batata-doce, abóbora e banana, e só depois outros sabores mais amargos, ácidos, etc.

Se fosse pelos alimentos mencionados acima, não haveria problema algum. O problema surge com produtos bastante alterados na indústria alimentar como por exemplo, bolos, bolachas e bebidas açucaradas… tão apelativas como maléficas.

Depois do açúcar os edulcorantes


Com a associação do açúcar e produtos açucarados a várias doenças modernas, como obesidade, diabetes, doenças cardiovasculares e alguns tipos de cancro, a indústria viu-se “obrigada” a arranjar alternativas ao açúcar.

Troque uma caipirinha por uma ida ao ginásio
Treine no Solinca por apenas 3,99€ por semana e volte a ficar em forma. Aproveite já!

Então arranjaram açúcar disfarçado de substâncias com nomes estranhos.

Essas substâncias podem dividir-se em dois grupos, de acordo com o seu valor energético: os edulcorantes nutritivos e os não nutritivos.

Edulcorantes nutritivos


frutose

São aditivos alimentares que podem substituir total ou parcialmente o açúcar, mas que têm um valor energético associado.

Os edulcorantes nutritivos permitidos para alimentação humana são:

1. Frutose

  • Onde se encontra presente: É um açúcar naturalmente presente nas frutas, produtos hortícolas e mel… e assim deveria continuar!
  • A adição de frutose em produtos alimentares parece trazer algumas vantagens para pessoas diabéticas, uma vez que não despoleta grandes alterações na glicemia.
  • Poder adoçante: Valor energético é semelhante ao da sacarose (4kcal/g).
  • Efeitos negativos associados: Há estudos que associam a frutose à obesidade, ao aumento do colesterol-LDL e dos triglicerídeos, à resistência à insulina, ao aumento da massa gorda visceral e total, e ao défice na absorção de alguns minerais, como o cobre.

2. Sorbitol

  • Onde se encontra presente: Presente naturalmente em algumas frutas (maçã, pêssego, ameixa) e algas marinhas.
  • Poder adoçante: Tem apenas metade do poder adoçante da sacarose, mas também quase metade das calorias (2,6kcal/g)
  • Efeitos negativos associados: Tem uma taxa de absorção mais lenta em relação à glicose, mas tem efeitos diuréticos e laxantes, acima de 20-30g/dia e de 30-70g/dia, respetivamente.

3. Manitol

  • Onde se encontra presente: Encontra-se em frutas, algas marinhas e cogumelos.
  • Poder adoçante: É semelhante ao sorbitol em termos de poder adoçante, mas ainda menos calórico: 1,6kcal/g.
  • Efeitos negativos associados: Tal como esse, também pode ter efeito laxante.

4. Isomalte

  • Onde se encontra presente: É usado para conferir volume, textura e doçura, sobretudo em produtos de pastelaria.
  • Poder adoçante: Tem metade das calorias e do poder adoçante da sacarose.
  • Efeitos negativos associados: Parece não ter efeitos adversos em humanos.

5. Lactitol

  • Poder adoçante e Efeitos negativos associados: Muito semelhante ao isomalte, mas pode causar diarreia.

6. Xilitol

  • Onde se encontra presente: É usado em produtos de dietética e pastilhas elásticas.
  • Poder adoçante: Possui 2,4kcal/g e tem 70% do poder adoçante da sacarose.
  • Efeitos negativos associados: Tal como a maioria dos outros polióis, tem efeitos laxativos em doses baixas.

Boa alternativa ao açúcar?


Não! Os edulcorantes nutritivos são menos calóricos, mas também menos doces, pelo que, para atingir a mesma doçura, vai ser necessário o dobro da quantidade, acabando por se equiparar, em termos calóricos, ao açúcar.

O ideal mesmo será (re)educar o seu paladar, habituando-se gradualmente a ingerir menos e menos açúcar.

Obviamente que não vai conseguir largar o açúcar de repente, mas há estratégias que pode usar: no café, por exemplo, experimente juntar canela em pó ou aromatizar com um pau de canela.

Em sobremesas, use fruta para adoçar, como maçã, pera ou banana.

Procure opções naturais e evite os nomes estranhos nos rótulos.

Troque uma saída à noite por uma ida ao ginásio. Inscreva-se já no Solinca por apenas 3,99€ por semana!

Veja também:

Ler mais
Ana Monteiro Ana Monteiro

Ana Isabel Monteiro é nutricionista, atleta e autora do blog Laranja-lima. Trabalha atualmente na Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão (Gabinete de Saúde Pública e Casa da Juventude), tendo colaborado anteriormente no projeto Dragon Force e no Centro Social de Paramos. É licenciada em Ciências da Nutrição pela Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação da Universidade do Porto e membro efetivo da Ordem dos Nutricionistas (C.P.2815N) desde Abril de 2016.