Cólicas menstruais: até que ponto são normais?

Sofre de cólicas menstruais? Podem ser normais ou significar uma condição médica subjacente que merece atenção. A cólica primária é de natureza desconhecida e inata ao organismo feminino, sendo a mais comum. No entanto, a cólica secundária pode ser provocada por doenças como inflamações pélvicas, endometriose e miomas.

Cólicas menstruais: até que ponto são normais?
Como distinguir as cólicas menstruais?

Cólicas menstruais são dores no abdómen da mulher que ocorrem quando o período menstrual começa (ou imediatamente antes) e podem continuar durante 2 a 3 dias. Os sintomas podem variar em gravidade, desde um ligeiro aborrecimento até dores intensas que interferem com as atividades normais.

Mais de metade das mulheres que têm menstruação sentem algum desconforto e cerca de 10% ficam temporariamente incapacitadas pelos sintomas.

Sintomas das cólicas menstruais


colicas menstruais e dores no fundo da barriga

1. Sintomas de cólicas menstruais primárias

  • Dor leve a moderada na parte inferior da pélvis ou nas costas;
  • Dor que ocorre no dia anterior ao inicio da menstruação, ou nos primeiros um a dois dias;
  • Dor que melhora com uma ou duas doses de ibuprofeno;
  • Dor que não interfere nas suas atividades diárias;
  • Pode causar náusea leve ou diarreia.

A dismenorreia primária é causada pela libertação de prostaglandinas. Também responde muito bem a tratamentos simples de diminuição de prostaglandinas, como o ibuprofeno, o magnésio e uma dieta alimentar anti-inflamatória.

2. Sintomas de cólicas menstruais secundárias

  • Dor latejante, ardente, lancinante ou penetrante;
  • Dor na parte inferior da pélvis, nas costas ou nas pernas;
  • Dor que dura três ou mais dias;
  • Dor que ocorre por muitos dias antes do inicio da menstruação;
  • Dor que ocorre após o final da menstruação;
  • Dor que ocorre nos outros dias (ou todos os dias) do ciclo menstrual;
  • Dor que não melhora com a toma de ibuprofeno;
  • Dor que impede a rotina diária (trabalho ou escola).

Sofrer recorrentemente destes sintomas não é normal, não devendo esta dor ser ignorada, consultando um médico.

O motivo mais comum para a cólicas menstruais secundárias é a endometriose. A endometriose é comum e afeta até 10% das mulheres.

DIAGNÓSTICO DAS CÓLICAS MENSTRUAIS


ida ao ginecologista

Para as sortudas as cólicas menstruais nem dão as caras, para outras trata-se apenas de um pequeno incómodo, já para algumas torna-se uma verdadeira tortura.

Nesses casos mais severos é importante procurar um ginecologista para que, através de exames clínicos e laboratoriais, possa realizar um diagnóstico correto sobre o motivo das dores mais fortes.

Cólicas menstruais sem causa patológica (primárias), ou seja, que são exclusivamente provocadas pelas contrações uterinas normais do período menstrual, têm início de 6 a 12 meses após a primeira menstruação na vida de uma mulher (menarca), ocorrem de 8 a 72 horas do início do fluxo sanguíneo e são diagnosticadas através do exame clínico em consultório e conversa com a paciente.

Procurar ajuda médica quando as cólicas menstruais passam de um simples incómodo para um problema que afeta a sua rotina é o primeiro passo para obter um diagnóstico. As dores muitas vezes escondem problemas que podem até mesmo afetar a fertilidade feminina, mas que quando diagnosticados precocemente são resolvidos com o uso de medicamentos ou intervenções cirúrgicas simples.

PREVENÇÃO DAS CÓLICAS MENSTRUAIS


exercicio fisico ao ar livre

É possível prevenir ou amenizar as cólicas menstruais ao longo de todo o mês. Manter uma alimentação saudável e equilibrada, ingerindo todos os nutrientes necessários e sem saltar refeições auxilia a saúde como um todo.

Praticar exercício físico com frequência também colabora para a redução do fluxo menstrual e de possíveis processos inflamatórios.

Uma técnica antiga, simples e eficiente é colocar uma bolsa de água quente na região pélvica quando a cólica começar a dar sinais, pois o calor dilata os vasos sanguíneos, relaxando e diminuindo a dor.

Veja também:

Farmacêutica Cátia Rocha Farmacêutica Cátia Rocha

Cátia Rocha é farmacêutica. Como apaixonada pela profissão, acredita na importância da educação para a saúde e num papel interventivo dos profissionais de modo a transmitir conhecimentos que considera importantes e fundamentais para o bem-estar da população. É Mestre em Ciências Farmacêuticas pelo Instituto Superior de Ciências da Saúde do Norte e exerce atualmente o cargo de farmacêutica na Farmácia Agra.