Linfócitos altos e baixos: funções e valores de referência para interpretar as análises

Os linfócitos são um dos responsáveis pelas defesas do organismo, pelo que é preciso estar alerta sobre os seus os valores. Fique a saber mais sobre linfócitos altos e baixos.

Linfócitos altos e baixos: funções e valores de referência para interpretar as análises
O que são linfócitos? Quais os valores normais?

Os linfócitos são as células que fazem o reconhecimento de organismos estranhos (como bactérias, vírus e outras toxinas), iniciando o processo de ativação do sistema imunitário, podendo ser designados por linfócitos altos e baixos, dependendo dos seus valores de referência.

Em condições normais são o segundo grupo de leucócitos (glóbulos brancos) mais comum em circulação, representando 15 a 45% do total de leucócitos no sangue.

Os três tipos principais de linfócitos são as células B, as células T e as células NK (natural killers). Qualquer molécula reconhecida pelo organismo como estranha chama-se antigénio. Os linfócitos são responsáveis pela produção de anticorpos que irão lutar contra esses antigénios.

Quando temos um processo viral em decurso, é comum que o número de linfócitos aumente, excedendo mesmo o número de neutrófilos, tornando-se o tipo de leucócitos mais presentes em circulação.

Na presença do vírus do HIV (Vírus da imunodeficiência humana – SIDA), as células atacadas pelo vírus são os linfócitos. Daí o termo vírus da imunodeficiência, pois estando o número de linfócitos diminuído, o sistema imunitário fica comprometido e, portanto, o organismo fica sujeito a infeções oportunistas.

Assim, podemos ter 2 situações anómalas no que toca à contagem de linfócitos:

  • Linfocitose – é o termo usado quando há um aumento no número de linfócitos.
  • Linfopenia – é o termo usado quando há uma redução no número de linfócitos.

Os valores de referência dos linfócitos são 1,00 – 3,20 (10^9/L), ou seja, entre 1000 e 3200 por milímetro cúbico de sangue.

QUAL A FUNÇÃO DE CADA UM DOS 3 TIPOS DE LINFÓCITOS


 Linfócito B

linfocito B

Provenientes de medula óssea, representam cerca de representam 5% a 10% dos linfócitos. São as células que mais rapidamente respondem a uma repetida exposição ao mesmo antigénio (nos casos de varicela ou sarampo, por exemplo).

Linfócito T

linfocito T

São cerca de 65 % a 75% dos linfócitos. Estas células atuam sobre as células estranhas e infetadas por vírus, direcionam a resposta imune e mantêm a resposta imune controlada (impedem o desenvolvimento de doenças autoimunes, fazendo com que os glóbulos brancos não combatam células do próprio organismo).

Células NK (Natural Killers)

celulas NK

Representam cerca de 10% a 15% da população total de linfócitos circulantes. Têm como alvo células neoplásicas (tumorais) e protegem contra uma ampla variedade de microrganismos infeciosos.

COMO INTERPRETAR OS RESULTADOS DAS ANÁLISES CLÍNICAS?


interpretar os resultados de analises clinicas

Apenas o seu médico pode fazer uma avaliação correta do hemograma. O hemograma é um dos exames sanguíneos mais prescritos, uma vez permite ter uma visão muito global do estado de saúde da pessoa.

Ainda que, assim que receber as análises clínicas, espreite os resultados, só o médico poderá fazer o diagnóstico correto e, se for caso disso, indicar o tratamento mais adequado.

Se ao abrir verificar que os valores são superiores ou inferiores aos de referência, não deve ficar de imediato alarmado, pois pode ter múltiplos significados, mas é importante solicitar a avaliação médica dos mesmos de forma a explicar a causa.

CAUSAS DE VALORES DOS LINFÓCITOS ALTOS E BAIXOS


LINFÓCITOS ALTOS

linfocitos altos e gripe

Quando o organismo passa por uma situação de stress, de convalescença ou após uma infeção, o número de linfócitos no sangue aumenta. Isso também acontece em caso de doenças como:

  • Brucelose (doença que pode ser contraída pelo consumo leite ou laticínios não pasteurizados, provenientes de animais infetados);
  • Linfomas;
  • Mononucleose infeciosa (ou doença do beijo, é uma doença contagiosa muito prevalente e em geral benigna causada pelo vírus Epstein-Barr);
  • Sífilis (doença sexualmente transmissível);
  • Tuberculose (doença infeto-contagiosa que afeta os pulmões);
  • Hepatite (inflamação no fígado);
  • Gripe.

LINFÓCITOS BAIXOS

linfocitos baixos e HIV

Valores abaixo dos valores de referência podem estar relacionados com:

  • Cirrose hepática;
    Imunodeficiência (sistema imunitário deprimido);
  • Infeção por HIV;
  • Doenças autoimunes como o lúpus;
  • Radioterapia.

Cuide da sua saúde. Consiga aqui consultas de clínica geral, medicina dentária e especialidade médica gratuitas!

Veja também:

Ler mais
Cátia Rocha Cátia Rocha

Cátia Rocha é farmacêutica. Como apaixonada pela profissão, acredita na importância da educação para a saúde e num papel interventivo dos profissionais de modo a transmitir conhecimentos que considera importantes e fundamentais para o bem-estar da população. É Mestre em Ciências Farmacêuticas pelo Instituto Superior de Ciências da Saúde do Norte e exerce atualmente o cargo de farmacêutica na Farmácia Agra.