O seu filho sofre de escoliose infantil? Saiba tudo sobre este problema

O sucesso do tratamento da escoliose infantil depende da deteção precoce do problema. É importante que os pais estejam alertados para a importância de estarem atentos à postura dos filhos.

O seu filho sofre de escoliose infantil? Saiba tudo sobre este problema
A escoliose provoca desvios em forma de "S" na coluna.

A escoliose pode surgir ainda durante a infância, provocando desvios em forma de “S” na coluna. Se não for realizado qualquer tratamento, a escoliose infantil pode ter um grave impacto na função respiratória e aumentar a probabilidade de vir a sofrer de dores na coluna durante a idade adulta.

O que é a escoliose infantil?


A escoliose é definida na literatura médica como um desvio tridimensional da coluna vertebral. Esta é uma patologia que pode afetar indivíduos de qualquer faixa etária, no entanto, é mais comum entre os 7 e os 10 anos de idade, quando se inicia o pico de crescimento.

Quando surge desde o nascimento até aos 3 anos de idade, é denominada escoliose infantil, e os pais são os principais responsáveis pela deteção do problema sendo que devem procurar aconselhamento médico o mais rapidamente possível.

A grande maioria dos casos de escoliose infantil é de origem genética e, por este motivo, surge mais frequentemente entre indivíduos da mesma família. Contudo, existem alguns quadros em que a patologia pode estar associada a defeitos congénitos, musculares, doenças do tecido conjuntivo, causas neurológicas ou a outras patologias da coluna vertebral.

Sintomas da escoliose infantil


escoliose infantil

É importante relembrar que a criança que sofre de escoliose infantil raramente sente dores ou outro desconforto na coluna vertebral, exceto em quadros da doença com maior gravidade. Por este motivo, os sinais e sintomas iniciais da doença podem facilmente passar despercebidos.

É importante que os pais estejam atentos à postura do filho e, caso seja detetada qualquer assimetria no tronco da criança, deve ser agendada uma consulta com um médico especialista, o mais brevemente possível.

Nos casos de maior gravidade, a escoliose infantil pode provocar deformações na coluna, ombros e quadris. Para além disto, quando não é realizado qualquer tratamento até à idade adulta, podem surgir dores vertebrais. Também podem manifestar-se problemas cardiorespiratórios nos casos em que o desvio da coluna é superior a 70º. A deterioração progressiva das vértebras também pode desenvolver-se.

Tratamento da escoliose infantil


menino em fisioterapia

Tratamento conservador

Na grande maioria dos casos de escoliose infantil, é possível o tratamento através do recurso à fisioterapia,realização de exercício físico e utilização de colete de correção postural. O tratamento mais adequado deve ser escolhido de acordo com as especificidades do diagnóstico.

Uma das técnicas mais eficiente da fisioterapia é a Reeducação Postural Global, ou RPG. Esta técnica contribui para a estabilização ou redução da deformação, sendo que está indicada para a fase mas inicial da escoliose infantil, ou seja, casos em que a curvatura é inferior a 20º.

A Reeducação Postural Global atua na autocorreção da postura, tendo em consideração não só a coluna vertebral, mas também todos os grupos de articulações e músculos envolvidos na sustentação do corpo.

Tratamento cirúrgico

Quando a curvatura é superior a 50º e não há melhoria do quadro através do tratamento fisioterápico, existe a necessidade de recorrer ao tratamento cirúrgico para restabelecer a fisiologia normal da coluna vertebral.

O procedimento cirúrgico consiste numa artrodese. Nesta cirurgia é feito o realinhamento e reintegração das vértebras através de enxertos especificos e implantação de parafusos. O resultado final da cirurgia irá depender da flexibilidade da curvatura. Quanto maior a flexibilidade, maior será o sucesso da correção obtido através da cirurgia.

A maioria dos indivíduos submetidos a cirurgia como tratamento da escoliose infantil obtêm curvaturas inferiores a 25º. Este tipo de curvatura é esteticamente imperceptível e não constitui qualquer risco para o sistema respiratório.

Veja também:

Isabel Silva Isabel Silva

Isabel Silva é enfermeira por paixão, licenciada pela Escola Superior de Enfermagem do Porto. Sempre quis seguir a área da saúde e acredita que a informação é uma ferramenta essencial para a saúde da população, e que cabe aos profissionais de saúde transmiti-la de forma relevante e fidedigna para que cada indivíduo seja capaz de tomar decisões importantes relativamente à sua saúde e ao seu bem-estar.