Endometriose: causas e consequências

Endometriose: causas e consequências

176 milhões de doentes no mundo.

Os médicos chamam à endometriose a doença dos quatro “dês”: dor menstrual, dor sexual, dor a urinar e dor a defecar. Saiba mais e esteja atenta ao seu corpo.

O endométrio é a mucosa que reveste a parede do útero e permite a implantação de um embrião no útero. Quando a gravidez não acontece, o endométrio é expelido no período menstrual. A endometriose é uma doença benigna que acontece quando o endométrio sai do útero e cresce noutras zonas do corpo, nomeadamente, na bexiga, no intestino, no reto, nos ovários e no peritoneu (membrana que reveste as paredes profundas do abdómen e envolve os órgãos abdominais).

Esta é uma doença mais comum do que se julga, porém, é de difícil diagnóstico mas é importante estar alerta porque além de causar dor (dor menstrual, dor sexual, dor a urinar e dor a defecar) e sangramento irregular pode provocar infertilidade nas mulheres. Apesar de, como dissemos, ser benigna, pode trazer várias complicações nos casos mais agudos
 

Saiba reconhecer os sintomas da endometriose


Proteja a sua saúde!
Receba conteúdos exclusivos e habilite-se a um check-up completo. Registe-se já!
Como referimos, a endometriose é uma doença difícil de diagnosticar e, infelizmente, nem todos os médicos estão atentos a esta condição.

Muitas vezes a doença não apresenta sintomas, no entanto, se sentir algum destes sintomas ou uma conjugação de vários, insista com o seu médico até que descubram a causa da dor.
 
  • Cólicas menstruais agudas (ao ponto de condicionarem a sua vida)
  • Dor nas relações sexuais (especialmente no fundo da vagina)
  • Diarreia, prisão de ventre ou sangramento anal durante o período menstrual 
  • Sangramento na urina ou excesso de micções durante o período menstrual 
  • Dor contínua mesmo fora do período menstrual
  • Dificuldade para engravidar
  • Infertilidade

O diagnóstico é feito através de exames, nomeadamente, ecografia endovaginal, ressonância magnética, ecocolonoscopia, entre outros, e também do exame pélvico (toque), fundamental para detectar a doença.
 

Quais são as causas da endometriose?


Como se não bastasse, as causas e fatores de risco da endometriose não são claras e, até ao momento, não há grandes certezas quanto à sua origem. No entanto, os médicos apontam algumas causas para este doença, a saber:
 
  • Menstruação retrógrada
  • Menstruação precoce
  • Crescimento de células embrionárias
  • Sistema imunológico deficiente
  • Familiares diretas de pacientes com endometriose (filhas e irmãs)
  • Histerectomia
  • Não ter filhos
  • Ciclos menstruais frequentes
  • Menstruações longas (mais de 7 dias)
  • Hímen não perfurado
  • Anormalidades no útero
 

Como tratar a endometriose?


O tratamento da endometriose depende de vários fatores, como a idade, a gravidade dos sintomas e estado da doença ou se pretende ter filhos. Analisados esses fatores, as opções de tratamento podem passar por medicação, tratamento hormonal ou cirurgia.

Com recurso a medicamentos, há vários no mercado que ajudam a tratar ou a diminuir o desconforto da endometriose. Com este tratamento, consegue diminuir a dor e os restantes sintomas mas não cura. 

No caso da última, a cirurgia, a endometriose é removida com recurso à laparoscopia. Por vezes, basta remover os focos da doença e as complicações (quistos, por exemplo), porém, em causas mais graves pode ser necessário remover os órgãos pélvicos afetados. Já o tratamento hormonal, serve para impedir que a doença progrida. 

 

E se quiser engravidar?


É recomendado que contacte uma clínica de reprodução para avaliar a possibilidade de avançar com tratamento de  fertilização in vitro, uma vez que, a endometriose não afeta as taxas de gravidez quando escolhido esse método.

Para saber mais sobre a doença, na primeira pessoa, recomendamos que assista a estes dois testemunhos.


 

Veja também:

Artigos em Destaque