Dieta sem glúten para emagrecer: sim ou não?

Atualmente, uma dieta sem glúten já não se destina só a celíacos. Há quem aposte nesta dieta para perder peso.

Dieta sem glúten para emagrecer: sim ou não?
Tudo o que precisa de saber sobre uma das dietas da moda.

Nos últimos anos, temos vindo a assistir a uma crescente “febre” em torno do glúten e das dietas sem glúten.

De facto, longe vai o tempo em que apenas os celíacos (intolerantes ao glúten) seguiam uma dieta livre desta proteína. Atualmente, a maioria das pessoas não celíacas, recorrem a esta dieta para emagrecer.

Mas será que uma dieta sem glúten deve ser seguida por qualquer pessoa? Será saudável fazer uma restrição de glúten não sendo celíaco?

O que é o glúten?


dieta sem gluten

O glúten é uma proteína existente na composição de alguns cereais, nomeadamente o centeio, trigo ou cevada, constituído por gliadina, a componente responsável pela maioria dos sintomas, e a glutenina.

Calcule o seu IMC
Descubra o seu peso ideal e como atingir o seu objetivo! Calcular já.

É uma proteína de difícil e demorada digestão, o que potencia a sua acumulação a nível intestinal. Esta acumulação pode provocar alteração da flora intestinal (o que pode comprometer a imunidade e reações dependentes da microbiota intestinal), flatulência, obstipação e até retenção de líquidos.

Os alimentos que contêm glúten são pão, bolos, bolachas, cereais e barras de cereais, massas, cerveja, entre muitos outros.

O que é a doença celíaca?


mulher doente celiaca

doença celíaca é uma doença autoimune desencadeada pelo glúten que interfere na absorção dos nutrientes pela danificação do epitélio intestinal.

A doença celíaca já é considerada comum e afeta cerca de 1% das pessoas dos países desenvolvidos. Neste caso, o único tratamento para a doença é a eliminação total do glúten da dieta.

Atualmente, é já reconhecida outra forma de sensibilidade ao glúten, chamada de sensibilidade ao glúten não celíaca, que se manifesta pelos mesmos sintomas (desconforto abdominal, diarreia, gases, dores de cabeça, etc.) mas não se verifica a danificação intestinal.

Neste contexto, a indústria alimentar desenvolveu produtos sem glúten destinados a quem sofre desta patologia, mais precisamente pão, massas, cereais, de modo a melhorar a qualidade de vida dos doentes celíacos.

Mas se até há pouco tempo a dieta sem glúten era preocupação exclusiva de quem sofria desta intolerância, atualmente há já muitos seguidores deste tipo de dieta com objetivo de perda de peso e de mais saúde.

DIETA SEM GLÚTEN PARA EMAGRECER: SIM OU NÃO?


dieta sem gluten e perda de peso

Como já referido, a moda da exclusão do glúten estendeu-se à perda peso, tendo surgido o mito de que alimentos sem glúten não engordam ou ajudam a emagrecer.

De forma simples, uma dieta sem glúten consiste na substituição de alimentos onde se encontra essa proteína, por outros onde não esteja presente, sejam eles naturais (arroz, batata, legumes) ou processados (produtos sem glúten desenvolvidos pela indústria).

No entanto, quando o objetivo é a perda de peso, pode não ser uma estratégia eficaz. Vejamos porquê.

1. Não é o glúten que engorda

Em primeiro lugar, é importante salientar que não é o glúten que provoca o aumento de massa gorda, mas sim os hidratos de carbono, açúcares e gordura presentes nos alimentos onde se inclui.

Neste sentido, se cortar nos cereais refinados, produtos açucarados e fast food certamente irá perder peso, pois não está a ingerir as calorias associadas a estes alimentos. Mais, os especialistas alertam que até ao momento não existem dados científicos que comprovem que a eliminação de glúten da alimentação esteja relacionada com a perda de peso.

2. Não sendo intolerante, não há motivo para eliminar o glúten

Tal como já referido anteriormente, o glúten é uma proteína de difícil digestão que pode provocar distúrbios a nível intestinal.

No entanto, se não for celíaco ou intolerante a esta proteína e se o consumo de alimentos com glúten for moderado e essencialmente proveniente de cereais integrais não processados (aveia, pão e flocos de centeio, cevada), não há motivos para a exclusão do glúten. Até porque, fazer uma dieta sem glúten pode comprometer a ingestão de alimentos ricos em vitaminas, minerais e fibras importantes para a saúde, nomeadamente os cereais integrais e a aveia.

3. Muitos alimentos sem glúten têm ainda mais hidratos de carbono e/ou gordura

De facto, muitos dos alimentos sem glúten (tanto naturais como processados) são igualmente calóricos, possuem igualmente (ou até mais!) hidratos de carbono e / ou gordura.

Por outro lado, no caso dos produtos sem glúten processados, contam ainda com a adição de aditivos alimentares para ganharem melhor consistência e se conservarem durante mais tempo, assim como de sal, gordura hidrogenada e açúcar para ganharem melhor sabor.

Como tal, o valor energético destes produtos, principalmente de bolachas, pães e cereais de pequeno-almoço, é significativamente mais elevado do que os tradicionais.

Em suma…


  • Para perder peso o segredo não está na eliminação do glúten da sua alimentação, mas sim a adoção de hábitos alimentares saudáveis e na moderação da ingestão dos alimentos que o contêm.
  • Dentro dos alimentos que possuem glúten, prefira os mais naturais e pouco processados.
  • A única forma possível de perder peso com uma dieta sem glúten, é trocar alimentos processados (como bolachas, cereais e pães embalados) por outros frescos, como legumes, frutas, leguminosasfrutos secos, peixe e carnes magras, de forma equilibrada e orientada.
  • Desta forma, se quiser realmente avançar com uma dieta sem glúten, o melhor procurar aconselhamento junto de um nutricionista, de modo a obter um plano alimentar indicado para as suas necessidade e objetivos, evitando dietas desequilibradas.

Calcule o seu IMC, descubra o seu peso ideal e a melhor forma de atingir os seus objetivos!

Veja também:

Ler mais
Rita Lima Rita Lima

Rita Lima é nutricionista e trabalha, atualmente, nos ginásios Urban Fit de Ermesinde, Antas Prime Fitness e CulturaFit Club no Porto. Durante 2 anos colaborou no projeto Dragon Force do Futebol Clube do Porto e com o Boavista Futebol Clube. É licenciada em Ciências da Nutrição pela Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação da Universidade do Porto e frequentou o Curso de Nutrição no Desporto na mesma faculdade.