Deixar de fumar

Deixar de fumar

16 passos para ficar mais saudável.

Deixar de fumar não é fácil mas é possível. Acredite: os sacrifícios compensam. Logo vinte minutos depois, a pressão arterial e a frequência cardíaca normalizam.

Deixar de fumar tem muitos benefícios e, ao contrário do que pensa, são quase imediatos. Nas primeiras horas os níveis de monóxido de carbono e de nicotina reduzem para metade, nas vinte e quatro horas seguintes, o primeiro começa a ser libertado e os pulmões libertam os resíduos tabágicos. Quarenta e oito horas depois, o seu paladar e olfato melhoram significativamente. Entre duas e doze semanas, a circulação sanguínea melhora e, entre três e nove meses a sua função respiratória sai reforçada em 10%.

Porque espera para deixar de fumar? Sabia que o tabaco é responsável por mais de 5 milhões de mortes todos os anos? Sabemos que, provavelmente, mais do que um vício, o cigarro dá-lhe prazer mas não queira fazer parte das estatísticas. Comece hoje o traçar o seu plano para deixar de fumar. Se não sabe como, experimente as nossas dicas e seja mais saudável e feliz.


16 Passos para deixar de fumar


1. Acredite. Não consegue deixar de fumar se estiver sempre a pensar ou a dizer que não vai conseguir. Nem a lembrar-se das vezes que tentou e não conseguiu.

2. Comprometa-se. Não é real se não contar aos seus amigos, aos familiares e aos colegas de trabalho. Esqueça as desculpas e assuma publicamente o compromisso de deixar de fumar.

3. Escreva as suas razões para deixar de fumar e coloque-as nos seus locais de fumo ou grave-as numa nota no smartphone. Quando tiver vontade de fumar, leia. 

4. Avalie o seu grau de dependência. É importante saber o que o motiva a fumar e a quantidade de cigarros que fuma diariamente para poder definir um plano. 

5. Tem que estar preparado para esta mudança e a única forma de o fazer é escrever todos os passos e objetivos a conquistar. Assim como definir os prémios por cada patamar alcançado.

6. Comece por diminuir os cigarros gradualmente. Mude para uma marca que gosta menos e deixe o maço em casa. Leve apenas um número mínimo de cigarros para fumar durante o dia.

7. Marque no calendário o dia em que vai deixar de fumar e vá-se mentalizando, enquanto diminui o número de cigarros. Para o compromisso ser ainda mais forte, faça uma festa para apagar o último cigarro.

8. Tomada a decisão, não fume nunca! Nunca significa jamais, em tempo nenhum, nenhuma vez. Fomos claros? O primeiro cigarro vai levar ao segundo, que leva ao terceiro e depois não consegue parar. 

9. Faça uma limpeza dentária e, se possível, um branqueamento. Depois de investir em dentes brancos, não vai querer manchá-los de novo, pois não?

10. Tenha um sistema de prémios para compensar o seu esforço. Deixar de fumar é dureza e você merece. Pode ser um jantar, um perfume, uma roupa nova ou junte tudo que poupa por não fumar e faça aquela viagem que sempre sonhou.

11. É importante ter um grupo de apoio. Pode ser a sua família, um amigo que está a deixar de fumar ou num fórum online. A partilha de experiências ajuda. Assim como não se sentir sozinho nesta caminhada.

12. Quando lhe apetecer fumar, não ceda. Inspire e expire profundamente as vezes necessárias, beba água, coma uma peça de fruta, fale com o seu grupo de apoio, faça exercício mas não fume. Adie o mais que possa e o desejo vai acabar por passar.

13. Comece a fazer exercício no mesmo dia em que vai deixar de fumar. Substitua um vício por outro mais saudável. O exercício físico alivia o stress, a tensão e vai ajudar o seu corpo a livrar-se dos danos causados pelo tabaco.

14. Beba muita água. Mas não exagere! Um litro e meio por dia é suficiente para eliminar as substâncias químicas deixadas pelo cigarro e para o distrair da vontade de fumar.

15. É fundamental saber o que lhe provoca a necessidade de fumar para evitar essas ânsias. Pode ser o café depois da refeição, o stress diário, ver outras pessoas a fumar. Evite estas situações ou procure uma alternativa para as ultrapassar, como manter as mãos ocupadas.

16. Se nada disto funcionar, procure a ajuda do seu médico de família ou experimente terapias alternativas, como a acupuntura.


Veja também: