Porque é que algumas pessoas são canhotas?

Cerca de um décimo da população mundial é canhota. Mas porque é que existe apenas uma proporção tão pequena de pessoas canhotas e a que é que se deve esta característica? Neste artigo vamos tentar dar resposta a todas estas questões e desmistificar ideias erradas, que ainda possam persistir acerca deste fenómeno comum.

Porque é que algumas pessoas são canhotas?
Ser esquerdino não é uma desvantagem.

Num passado não muito distante uma pessoa canhota era vista com uma conotação negativa. Habitualmente, logo desde criança, uma pessoa canhota era obrigada a escrever e a comer com a mão direita, como se houvesse uma mão “certa” e uma mão “errada”.

Desde sempre existiram pessoas canhotas e na realidade a mão dominante não é algo que possamos escolher, é algo natural, que pode ser prevista ainda antes do nascimento, tendo em conta a posição do feto no útero.

Porque é que algumas pessoas são canhotas?


pessoas canhotas

As hipóteses de uma pessoa ser destra ou canhota são determinadas pela destreza manual dos pais:

  • Se o pai for canhoto e a mãe for destra, há 17% de hipóteses de nascer uma pessoa canhota;
  • Se ambos os pais forem destros, têm 10% de hipóteses de ter um filho canhoto.

Contudo, em alguns casos a dominância lateral pode ser determinada por fatores sociais, já que algumas famílias e professores tentam influenciar a criança a utilizar a mão direita em vez da esquerda.

Mas, porque é que a proporção de pessoas canhotas é menor e se tem mantido ao longo do tempo?


desportista canhoto

Existem imensas teorias que tentam explicar o porquê da maioria das pessoas ser destra e o porquê da dominância manual. Uma das teorias mais recentes refere que a proporção existente entre pessoas canhotas e destras reflete um equilíbrio entre as pressões competitivas (atividades que envolvem um adversário; luta; desporto) e cooperativas (não competitivas) da evolução humana.

Nas atividades competitivas ser canhoto pode ser uma vantagem e funcionar como elemento surpresa. Como os canhotos são a minoria, os seus adversários passam a maior parte do tempo a praticar e a enfrentar com pessoas destras. Assim, quando uma pessoa canhota e uma pessoa destra se defrontam, o esquerdino está em vantagem.

Podemos assim pensar que se a evolução humana fosse feita apenas de lutas e competições os canhotos teriam vantagem e não seriam uma minoria.

Mas segundo esta teoria nem tudo na evolução humana se baseia em competição e luta, existindo uma vertente cooperativa.

Não recorrendo à luta e à competição, os canhotos podem ter mais dificuldades, já que a maior parte dos instrumentos que todos utilizamos estão pré-concebidos para serem utilizados por destros (tesoura; ferro de engomar; abre-latas).

O cérebro de uma pessoa canhota é diferente do cérebro de um destro?


A lateralidade (dominância de um dos lados do corpo) é a preferência da utilização de uma das partes simétricas do corpo (mão, olho, ouvido, perna).

A lateralidade é importante, no sentido em que pode interferir no processo de aprendizagem de maneira decisiva: quanto mais consistente e homogénea for a lateralidade, mais facilmente as habilidades são desenvolvidas.

Na verdade, o que determina se a pessoa será destra ou canhota é o cérebro, que está dividido em 2 hemisférios: hemisfério esquerdo do cérebro controla o lado direito do corpo, enquanto o hemisfério direito controla o lado esquerdo.

A preferência pela mão direita na maioria das atividades do dia-a-dia aponta para uma dominância do hemisfério cerebral esquerdo em funções motoras e de linguagem. Por sua vez, os canhotos têm dominância cerebral direita ou mista (isto é, distribuída entre os hemisférios direito e esquerdo) para a linguagem.

Ambas as estruturas mentais, de canhotos e de destros, funcionam qualitativamente ao mesmo nível, ou seja, não há diferenças intelectuais.

Cada hemisfério cerebral é responsável por diferentes funções. A maioria dos canhotos tem uma dominância do hemisfério direito logo, é natural que possam ter um melhor desempenho nas funções pelas quais esse hemisfério é responsável.

Assim, os canhotos podem ser mais propensos, por exemplo, a serem mais criativos, terem melhor perceção tridimensional, terem bom desempenho em desportos em que tenham que interagir com adversários (por exemplo, ténis e boxe).

Os canhotos podem também ter, na sua maioria, uma melhor capacidade de conexão entre os dois hemisférios, o que pode contribuir para uma capacidade de processamento da informação superior.

Veja também:

Ana Graça Ana Graça

Mestre em Psicologia, pela Universidade do Minho, com a dissertação “A experiência de cuidar, estratégias de coping e autorrelato de saúde”. Especialização (Pós-Graduada) em Neuropsicologia Clínica, Intervenção Neuropsicológica e Neuropsicologia Geriátrica. Membro efetivo da Ordem dos Psicólogos Portugueses, com especialidade em Psicologia Clínica e da Saúde e Neuropsicologia. Para além da Psicologia é apaixonada por viagens, leitura, boa música, caminhadas ao ar livre e tudo o que proporcione felicidade!