Líquido amniótico: a resposta às dúvidas mais frequentes

Se está grávida já deve ter ouvido falar no líquido amniótico. Este fluido, transparente e sem cheiro, envolve o bebé durante toda a gravidez e é essencial para o seu desenvolvimento.

Líquido amniótico: a resposta às dúvidas mais frequentes
A sua função principal é proteger o bebé e favorecer o seu desenvolvimento.

Durante a gestação, o bebé flutua no líquido amniótico. Este líquido é eliminado pela vagina quando há rotura de membranas (quando o saco amniótico rompe).

Ainda é desconhecido por muita gente, que o líquido amniótico tem várias funções vitais para a proteção e desenvolvimento adequado do bebé. Se houver alguma alteração no líquido, isto pode ter consequências na saúde do bebé.

O que é o líquido amniótico?


O líquido amniótico é um fluido claro e transparente que está contido no saco amniótico, e envolve o bebé durante toda a gestação. O saco amniótico é comummente conhecido como “bolsa de água”, uma vez que a composição do líquido é maioritariamente água (99%).

Quando o saco amniótico rompe, o líquido sai pela vagina. Isto constitui um dos sinais de início do trabalho de parto.

Qual a função do líquido amniótico?


liquido amniotico e bebes na barriga da mae

O líquido amniótico várias funções essenciais para a proteção e desenvolvimento adequado do bebé:

Novidades Vertbaudet
Aproveite os melhores preços em roupas para pré-mamãs, bebés e crianças, brinquedos, puericultura e muito mais! Espreite já esta oportunidade.

  • Protege contra traumas como movimentos movimentos bruscos e choques;
  • Protege o cordão umbilical de compressões que poderiam impedir o fornecimento de oxigénio e nutrientes para o bebé;
  • Protege o bebé contra infecções, uma vez que tem propriedades antibióticas;
  • Estimula o desenvolvimento do sistema digestivo do bebé, uma vez que este deglute o líquido amniótico;
  • Estimula o desenvolvimento do sistema respiratório do bebé dado que existem componentes no líquido amniótico que favorecem o crescimento e maturação dos pulmões;
  • Assegura uma temperatura constante e ideal na cavidade uterina;
  • Proporciona mais espaço para os movimentos do bebé para que este desenvolva os ossos e os músculos, reduzindo também o gasto de energia derivado desses movimentos.

 

Como é a produção de líquido amniótico?


Por volta da segunda semana de gestação forma-se o saco amniótico, que contém uma pequena quantidade de líquido amniótico. Até aos 4 meses de gravidez, as membranas e a placenta encarregam-se de produzir mais líquido.

A partir dos 4 meses os rins do bebé começam a funcionar. A partir deste momento a produção do líquido amniótico passa a ser feita pelo bebé. O líquido passa a ser constituído, essencialmente, por urina fetal.

Qual a quantidade líquido amniótico?


quantidade de liquido amniotico

A quantidade de líquido amniótico varia de acordo com a idade gestacional. Nas primeiras semanas, há apenas poucos mililitros de líquido. Essa pequena quantidade vai aumentando até cerca das 37 semanas de gestação, altura em que atinge seu volume máximo entre 800 a 1000 mililitros. A partir daí, vai diminuindo gradualmente a quantidade de líquido até ao momento do parto, uma vez que o bebé necessita de mais espaço dentro do útero.

A produção de líquido amniótico pode ser inferior à necessária – oligodramnia – prejudicando o crescimento do bebé e desenvolvimento e maturação dos pulmões.

Se o volume de líquido for superior ao necessário – polidramnia – pode levar à excessiva distensão do útero, provocando um parto prematuro.

A rotura do saco amniótico é um sinal de início de parto?


A rotura do saco amniótico depois das 37 semanas de gestação é um dos sinais que indica o início do trabalho de parto. No entanto, existem mulheres que podem ter contrações antes do rompimento do saco ou outras até em que o saco não se rompe durante o trabalho de parto, fazendo com que esta tenha de ser rompida artificialmente.

Normalmente, quando há rotura de membranas, o bebé nasce durante as próximas 48 horas. No entanto, existem alguns casos raros, em que os bebés nascem ainda dentro do saco amniótico.

Como saber se o saco amniótico rompeu?


mulher gravida no sofa

A rotura de membranas normalmente acontece espontaneamente após as 37 semanas de gestação, constituindo um sinal de início de trabalho de parto. Este acontecimento não provoca dor ou desconforto, podendo até ocorrer enquanto a mulher dorme ou tornar-se imperceptível se esta estiver a tomar banho, por exemplo.

Quando o saco rompe é comum haver saída de uma grande quantidade de líquido pela vagina. Contudo, existem casos em que a saída de líquido ocorre mais lentamente, podendo passar despercebido.

E se o saco amniótico romper antes do tempo?


O rompimento prematuro de membranas põe a vida o bebé em risco, aumentando o risco de prematuridade. Esta situação necessita de acompanhamento médico. Apesar do rompimento, a produção do líquido mantém-se equilibrando-se, assim, entre o ganho e as perdas.

As causas mais comuns da rotura prematura são:

  • Trauma violento;
  • Stress;
  • Excesso de exercício físico;
  • Infecção urinária;
  • Placenta baixa;
  • Posicionamento incomum do bebé.

Na maior parte dos casos, ocorre saída de pequenas quantidades de líquido amniótico pela vagina. Muitas vezes, o líquido é confundido com a urina. É importante certificar que o líquido é incolor e sem cheiro, ao contrário da urina que apresenta coloração mais amarelada e tem um cheiro característico.

Assim que a rotura for detetada, a mulher deve consultar o médico imediatamente e seguir as suas recomendações para assegurar a sua saúde e bem-estar e do seu bebé.

Novidades Vertbaudet: roupinhas pré-mamã, bebé e criança aos melhores preços. Veja tudo aqui!

Veja também:

Ler mais
Isabel Silva Isabel Silva

Isabel Silva é enfermeira por paixão, licenciada pela Escola Superior de Enfermagem do Porto. Sempre quis seguir a área da saúde e acredita que a informação é uma ferramenta essencial para a saúde da população, e que cabe aos profissionais de saúde transmiti-la de forma relevante e fidedigna para que cada indivíduo seja capaz de tomar decisões importantes relativamente à sua saúde e ao seu bem-estar.