Hidroterapia: o que sabe sobre esta terapia?

A hidroterapia facilita a recuperação funcional ao fornecer um ambiente que aumenta a habilidade da pessoa na execução das intervenções terapêuticas.

Hidroterapia: o que sabe sobre esta terapia?
O uso da água para fins terapêuticos remonta de há vários séculos atrás.

A hidroterapia, ou terapia através da água, refere-se ao uso da água nos seus diversos estados para aliviar o desconforto e promover o bem-estar.

A água sempre desempenhou um papel vital para todas as culturas, desde as mais antigas civilizações como os gregos e os romanos. Os efeitos da hidroterapia começaram a ser investigados cientificamente na Europa, o que levou progressivamente ao aumento do reconhecimento das suas vantagens. Hoje em dia, a hidroterapia é indicada para o tratamento de uma grande variedade de problemas de saúde.

Hidroterapia: o que é e como funciona?


hidroterapia e mulher sorridentes na piscina

Esta é uma área bastante abrangente, mas o termo hidroterapia está commumente associado à aplicação de várias intervenções de cariz terapêutico dentro de uma piscina sob orientação de um fisioterapeuta.

Estas intervenções podem incluir desde exercícios de alongamento, fortalecimento, mobilização articular, equilíbrio, resistência cardiovascular e treino de marcha.

Mas como funciona afinal a hidroterapia? Essencialmente através da influência que as propriedades únicas da água acarretam a nível corporal.

Propriedades da água e a sua influência
Flutuação É a força oposta à força de gravidade. Permite diminuir a carga sobre as articulações, trazendo uma maior sensação de leveza e facilidade na realização dos movimentos ativos.
Pressão hidrostática Pressão exercida nos corpos imersos na água. Ajuda no retorno venoso, na diminuição dos batimentos cardíacos e aumenta o período de reação antes de se perder o equilíbrio. Portanto, representa uma excelente forma de se ganhar a confiança da pessoa, ideal para a implementação de programas de reeducação de equilíbrio e treino de marcha.
Viscosidade É a força que resiste ao movimento através da água e que aumenta de acordo com a velocidade.
Tensão superficial A superfície de um fluído atua como uma membrana sob tensão. O movimento realizado à superfície da água exigirá um maior esforço por parte da pessoa. Usar equipamentos à superfície da água também aumentará a resistência.
Temperatura A água retém o calor 1000 vezes mais que o ar, o que altera significativamente a regulação da temperatura pelo organismo. Com a imersão menos pele fica exposta ao ar e a dissipação do calor através da transpiração diminuirá. Normalmente a temperatura da água da piscina ronda os 35 graus celsius, o que leva ao relaxamento muscular, alívio da dor e encorajamento da circulação sanguínea e, por conseguinte, ao aumento da amplitude dos movimentos.

 

Assim, pelas suas propriedades únicas, a água proporciona o ambiente ideal para a reabilitação de determinadas condições. Por vezes, o suporte extra que a água oferece é a única alternativa que algumas pessoas têm para continuarem a praticar exercício físico, ou até mesmo para que os profissionais de saúde possam implementar os seus programas de reabilitação.

Hidroterapia: quais os seus benefícios e quem pode fazer?


recuperacao de crianca com hidroterapia

A hidroterapia apresenta uma grande variedade de benefícios, dos quais se destacam:

  • Alívio da dor;
  • Redução do espasmo muscular;
  • Aumento da amplitude de movimento das articulações;
  • Fortalecimento dos músculos fracos;
  • Estimulação da circulação sanguínea;
  • Melhoria do equilíbrio e coordenação;
  • Reabilitação de músculos paralisados;
  • Melhoria da resistência cardiovascular;
  • Promoção do relaxamento muscular.

Por todos estes benefícios a hidroterapia revela-se extremamente útil em casos de artrite, dor nas costas, condições musculoesqueléticas (como o ombro “congelado”, entorses, etc), fibromialgia, condições neurológicas (como a paralisia cerebral, Parkinson, acidentes vasculares encefálicos – AVE, etc), entre outros.

No entanto, em certas circunstâncias a hidroterapia não é recomendada, como por exemplo:

  • Estados inflamatórios;
  • Febre;
  • Doenças do coração e hipertensão – o aumento da circulação sanguínea pode colocar o coração sob stress;
  • Doença vascular periférica severa;
  • Doença renal severa;
  • Cancro;
  • Perigo de hemorragia.

Antes de iniciar a prática da hidroterapia é fundamental aconselhar-se com o seu médico e seguir as suas orientações.

Hidroterapia: como e onde fazer?


idosa a recuperar na piscina

A piscina da hidroterapia deverá ser retangular e variar em profundidade. Dessa forma é possível explorar na íntegra todas as propriedades da água e, assim, realizar todo o tipo de atividades.

Uma vez que se trata de uma terapia, deverá ser estabelecido um plano de intervenção, que é baseado em objetivos definidos e personalizados para cada pessoa. O fisioterapeuta é o profissional de saúde que, geralmente, mais usufrui desta ferramenta terapêutica. Mas outros profissionais, como os terapeutas ocupacionais e psicomotricistas, podem igualmente aproveitar as vantagens da reabilitação na água.
Estes profissionais deverão conhecer muito bem as propriedades da água e as suas influências no corpo humano, pois isso determina as abordagens terapêuticas a seguir e o despiste das situações em que não é recomendável praticar hidroterapia.

Não saber nadar não impede a prática da hidroterapia, pois a altura da piscina permite-lhe exercitar-se adequadamente. Terá igualmente o acompanhamento de um profissional dentro da água e podem ser usados utensílios que o ajudam a flutuar, o que aumentará a sua confiança dentro de água. As sessões são geralmente realizadas em grupo e ocorrem sobretudo em meio hospitalar.

Veja também:

Ler mais
Ana Vicente Ana Vicente

Ana Vicente é fisioterapeuta, instrutora de pilates clínico e pós graduada em terapia assistida por animais no papel. Na realidade é apaixonada por pessoas, animais, palavras e pelas maravilhas da natureza. Motivada a deixar uma marca positiva no seu mundo e no dos outros, compromete-se a contribuir para o conhecimento e bem-estar das pessoas.