Gravidez ectópica

Gravidez ectópica

Como reconhecer os sintomas.

A gravidez ectópica facilmente é confundida com uma gravidez normal. Se sentir qualquer sintoma estranho deve, imediatamente, contactar  o seu médico.

A gravidez ectópica acontece quando o ovo fecundado se implanta fora do útero, normalmente, numa das trompas de Falópio mas também pode acontecer no ovário, no colo do útero ou no abdómen. Uma gravidez ectópica não pode chegar a termo e pode levar a grandes perdas de sangue, representando um grande risco de vida para a mulher. Cerca de 1,5% a 2% das gravidezes são ectópicas.
 
Uma gravidez ectópica anterior, endometriose, clamídia, anomalias ou cirurgia nas trompas, conceção durante o uso do DIU ou da toma da pílula, tratamento de fertilidade ou ser fumadora são alguns dos fatores de risco para uma gravidez ectópica.
 

Quais são os sintomas da gravidez ectópica?

 
Uma gravidez ectópica é muito semelhante a uma gravidez normal. Vai faltar-lhe o período, vai sentir alguma náusea, tensão mamária, fadiga, a bexiga sempre cheia e o teste de gravidez dará o resultado positivo. Para além destes, é possível que sinta sangramento escuro e aguado, cãibras, dor abdominal e uma massa dolorosa nas trompas ou ovários.
 
Se as trompas de Falópio sofrerem uma rutura, sentirá dor aguda no abdómen, pélvis, pescoço ou ombro, vertigens, tensão baixa e tonturas. Neste momento, deve dirigir-se imediatamente às urgências. A rutura de uma trompa pode provocar uma hemorragia interna e representar risco de vida.
 

Tratamento

 
Se a gravidez ectópica for descoberta no início, são administrados medicamentos que impedem o crescimento e destroem as células existentes. Após este tratamento, será necessário controlar as hormonas, através de análises de sangue, para garantir que já não há gravidez.
 
Se a gravidez já estiver avançada ou se os medicamentos não resolverem, pode ser necessário fazer uma laparoscopia. Neste procedimento, é feita uma incisão no baixo ventre onde é introduzido um pequeno tubo, com câmara, para remover o tecido. Dependendo dos danos, pode ser preciso remover a trompa de Falópio. Em caso de rutura da trompa, pode ser necessário fazer cirurgia.
 
Por vezes, o tratamento pode levar à perda dos órgãos reprodutores e, inclusive, à infertilidade. Perdendo uma trompa de Falópio, as possibilidades de engravidar diminuem em 50%. Depois de uma gravidez ectópica, tem cerca de 15% a 20% de hipótese de ter outra.  Nestes casos, é fundamental, numa próxima gravidez, fazer a primeira ecografia pelas sete semanas.
 
Por fim, uma gravidez ectópica, ainda que detetada muito cedo, é sempre uma perda. É natural que se sinta triste e frágil. Dê tempo à tristeza, se precisar de chorar, chore, se quiser gritar, grite. Não pode é carregar a dor sozinha, partilhe-a com quem ama e a ama a si.


 

Veja também: