Exercício na gravidez: sim ou não?

Exercício na gravidez: sim ou não?

Saiba o que dizem os especialistas.

Se há uns anos o exercício na gravidez era algo impensável, hoje a conversa parece ser outra. Esclareça a sua dúvida, porque o exercício físico é fundamental em qualquer fase da vida!   
 

A pergunta que se impõe: exercício na gravidez, sim ou não?

A questão pode parecer simples de responder, mas ainda é motivo de dúvidas e muitas reticências para muitas pessoas. A prática regular de exercício físico é sempre benéfica para a saúde, mas a verdade muitas mulheres se questionam se devem ou não fazer exercício durante a gravidez.

No entanto, as mentalidades estão a mudar em relação a este assunto. Se há uns anos atrás se dizia que as grávidas não podiam fazer exercício físico, hoje a conversa é bem diferente.

Afinal exercício na gravidez, sim ou não?

Tome nota:
A ligação que existe entre uma mãe e um filho é a mais poderosa! Receba já todas as dicas para si e o seu bebé.
Os especialistas parecem não ter dúvidas. Grávidas podem e devem fazer exercício e são muitas as vantagens, tanto para elas como para o bebé.

Mas vamos por partes. São vários os estudos realizados em mulheres grávidas que atestam os benefícios do exercício na gravidez, mas há que ter alguns cuidados.

Apesar de todas as vantagens que o exercício físico possa ter, há que ter em conta a preparação física da mulher ainda antes de engravidar. Isto irá, obviamente, condicionar o tipo de exercícios e a carga de exercícios que a grávida pode ou não fazer.  

Além disso, a gravidez acarreta muitas alterações para o organismo da mulher e que vão obviamente condicionar a prática de exercício. Para quem nunca praticou exercício físico e leva um estilo de vida sedentário, esta não será a melhor altura para se preparar para uma maratona ou começar a treinar para uma competição (note-se a ironia).

Mas, para essas mulheres, a prática regular de exercícios de baixa intensidade tem vários benefícios e é amplamente aconselhada pelos especialistas de ginecologia/obstetrícia. A título de exemplo, o American College of Obtetrics and Gynecology recomenda mesmo uma caminhada diária de meia hora.

Para as mulheres que já antes da gravidez praticavam de forma regular exercício físico e que apresentam uma melhor preparação física, o recomendado é que mantenham a prática regular, mas com alguma moderação e desde que isso não acarrete qualquer risco para o feto.

Há algum risco para o feto?

Numa gravidez normal, de baixo risco, a prática de exercício físico não aumenta o risco de aborto. No entanto, o ideal é que as grávidas se aconselhem junto do seu médico para saber se existem ou não, dependendo do seu caso, contraindicações à prática desportiva durante a gravidez.

No caso das “futuras mamãs” mais sedentárias, devem ainda informar-se sobre a altura mais indicada para começar a praticar exercício com regularidade. Nestes casos, os especialistas dizem que se deve apenas começar a treinar a partir das 12 semanas de gestação.  

De qualquer das formas, cada caso é um caso e por isso mesmo – voltamos a insistir que – o ideal é falar com o seu médico para saber o que é ou não aconselhável para si e procurar apoio de um profissional especializado para acompanhar os seus treinos.

Os benefícios do exercício na gravidez


São vários:

  1. Contribui para a melhoria da condição física global da grávida;
  2. Permite controlar o aumento de peso e adiposidade durante a gravidez;
  3. Contribui para a promoção de uma postura correta durante a gravidez e, consequentemente, ajuda a prevenir lombalgias;
  4. Prevenção da diabetes gestacional e do aparecimento de varizes;
  5. Diminui o tempo de trabalho de parto;
  6. Melhora a qualidade do sono;
  7. Diminui o stress e estados de ansiedade.
  8. Contribui para uma melhor adaptação cardiovascular à nova situação hemodinâmica;
  9. Reduz o risco de sofrer de hipertensão;
  10. Diminui a dor lombar, edemas e a prisão de ventre;
  11. Diminui o tempo de recuperação no pós-parto.

Treine com profissionais


Treinos aconselháveis para grávidas

Durante a gravidez aconselham-se treinos de baixo impacto. Uma boa aposta são os treinos de resistência muscular que ajudem a fortalecer a zona lombar (as costas), os glúteos, as pernas e o tronco. É importante que estes treinos ajudem a manter uma postura correta durante a gestação.

Espreite aqui 7 Exercícios para grávidas

Algumas recomendações

Deve evitar treinos de alto impacto, com risco de queda, atividade competitivas ou outras práticas desportivas que possam oferecer riscos de traumas para a grávida e o bebé. Outra indicação é evitar as posições de decúbito dorsal (deitada de costas após o primeiro trimestre), já que esta posição pode provocar tonturas e náuseas e está associada a uma diminuição no aporte de sangue ao feto.

Durante a gravidez deve ainda evitar exercícios de torções e rotações do tronco. Deve reforçar a hidratação e ter uma alimentação saudável.

Esteja atenta aos sinais de alarme!

Nestes casos, deve parar de imediato com o exercício físico e procurar um médico.
  • Perda de líquido ou sangue vaginal
  • Inchaço repentino de tornozelos, mãos e face
  • Tromboflebite - inchaço, dor e vermelhidão nas pernas
  • Perda de líquido amniótico
  • Fadiga excessiva
  • Palpitações ou dor de peito
  • Perdas momentâneas ou perturbações da visão
  • Fortes dores de cabeça persistentes ou tonturas
  • Dores abdominais sem causa aparente

Exercício sim, mas com todos os cuidados!

A gravidez não é nem deve ser entendida como um estado limitativo e durante o qual não se pode praticar exercício físico. Até porque a prática de exercício físico por grávidas é bastante incentivada nos dias de hoje por vários profissionais da área da saúde.

Mas é importante que se tenha em consideração que cada mulher é um caso específico e, como tal, deve aconselhar-se com o seu médico obstetra para perceber se existe alguma contraindicação que as impeça de fazer desporto. Caso não exista, então, bons treinos!

Veja também: