Edulcorantes não nutritivos: o que são e quais os efeitos no organismo

Sabia que existem edulcorantes nutritivos e edulcorantes não nutritivos? Neste artigo pode ficar a saber mais sobre os segundos e tirar as suas dúvidas.

Edulcorantes não nutritivos: o que são e quais os efeitos no organismo
Conheça-os melhor no nosso artigo.

Em relação à sacarose (açúcar) e aos edulcorantes nutritivos, os edulcorantes não nutritivos (ENN) têm um poder adoçante muito superior, sem fornecer energia e sem aumentar a glicemia.

Se não sabe o que são, ou acha até que nunca os consumiu, fique a saber que o mais provável é que esteja constantemente exposto a estas substâncias!

É que os ENN são todos aqueles nomes estranhos que aparecem no rótulo dos produtos “sem adição de açúcar”, como o acessulfame-k, o aspartame, o ciclamato, a sacarina, a sucralose e o esteviodídeo.

Soa-lhe familiar?

Efeito dos edulcorantes não nutritivos no organismo


aumento da massa gorda

Há uns anos atrás estes edulcorantes eram vistos como metabolicamente inertes, mas estudos recentes, feitos sobretudo com acessulfame-k, aspartame e sucralose, mostraram que o seu consumo diário e a longo prazo se pode relacionar com:

Calcule o seu IMC
Descubra o seu peso ideal e como atingir o seu objetivo! Calcular já.

  • Aumento do risco de desenvolvimento de alguns tipos de cancro;
  • Aumento do consumo energético;
  • Diminuição da termogénese pós-prandial;
  • Aumento da % de massa gorda;
  • Aumento da glicose em jejum;
  • Hiperinsulinemia (concentração de insulina no sangue acima nos níveis considerados normais);
  • Alterações na microbiota intestinal (diminuição das bactérias benéficas no intestino).

É preciso entender, no entanto, que:

  • Muitos estudos foram feitos em modelos animais, sendo que poucos se verificaram em humanos;
  • Há fatores confundidores que não foram tidos em consideração em alguns estudos, como a adiposidade e a predisposição genética ao desenvolvimento de obesidade;
  • Uma relação/associação não determina causalidade. Ou seja, apesar de se relacionar o aumento do risco de desenvolvimento de Diabetes Mellitus tipo 2 com o consumo contínuo de ENN, por exemplo, não quer dizer que são os ENN que causam a DM2;
  • Há ainda a hipótese de causalidade reversa. Isto é, pessoas que sofrem de obesidade consomem ENN como estratégia para diminuição do consumo energético, sendo que, obviamente, o consumo de ENN vai estar associado a complicações metabólicas típicas da obesidade. Mais uma vez, não implica que sejam a causa dessas complicações.

 

Caracterização dos edulcorantes não nutritivos


edulcorantes nao nutritivos

1. Acessulfame-k

  • Poder adoçante em relação à sacarose: 130-200 vezes superior
  • Dose Diária Admissível: 9mg/kg/dia
  • Efeitos negativos: Desaconselhado a pessoas com hipertensão ou doença renal.

2. Aspartame

  • Poder adoçante em relação à sacarose: 200 vezes superior
  • Dose Diária Admissível: 40mg/kg/dia
  • Efeitos negativos: Consumo contraindicado em situação clínica de fenilcetonúria. Alguns estudos associam o seu consumo ao aumento do risco de cancro, nomeadamente tumor cerebral, linfomas ou leucemia, e reações alérgicas.

3. Ciclamato

  • Poder adoçante em relação à sacarose: 30 vezes superior
  • Dose Diária Admissível: 11mg/kg/dia
  • Efeitos negativos: Desaconselhado a pessoas com hipertensão ou doença renal. Estudos em humanos sugerem que o seu consumo combinado com a sacarina pode estar associado a um pequeno aumento do risco de cancro da bexiga.

4. Sacarina

  • Poder adoçante em relação à sacarose: 300 vezes superior
  • Dose Diária Admissível: 1,5mg/kg/dia
  • Efeitos negativos: Desaconselhado a pessoas com hipertensão ou doença renal.

5. Sucralose

  • Poder adoçante em relação à sacarose: 600 vezes superior
  • Dose Diária Admissível: 15mg/kg/dia
  • Efeitos negativos: Parece não possuir contraindicações.

6. Esteviosídeo

  • Poder adoçante em relação à sacarose: 200-300 vezes superior
  • Dose Diária Admissível: Estudos in vitro não sugerem genotoxicidade nem atividade carcinogénica.
  • Efeitos negativos: Parece não possuir contraindicações.

Tendo em conta toda esta informação, embora não seja totalmente conclusiva, o melhor será reduzir o consumo de alimentos doces, sejam ou não adoçados com edulcorantes, sobretudo se sofrer de obesidade e/ou diabetes.

Em vez disso, reeduque o seu paladar e opte por alimentos que são realmente bons, como legumes e frutas, frutos gordos, cereais integrais, carnes magras e peixe.

Calcule o seu IMC, descubra o seu peso ideal e a melhor forma de atingir os seus objetivos!

Veja também:

Ler mais
Ana Monteiro Ana Monteiro

Ana Isabel Monteiro é nutricionista, atleta e autora do blog Laranja-lima. Trabalha atualmente na Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão (Gabinete de Saúde Pública e Casa da Juventude), tendo colaborado anteriormente no projeto Dragon Force e no Centro Social de Paramos. É licenciada em Ciências da Nutrição pela Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação da Universidade do Porto e membro efetivo da Ordem dos Nutricionistas (C.P.2815N) desde Abril de 2016.