A prematuridade influencia o desenvolvimento do seu bebé?

A prematuridade influencia o desenvolvimento do seu bebé?

Os graus, as causas e as complicações.

A prematuridade não é uma sentença para o seu bebé, na maioria dos casos, tudo corre bem. Saiba quais as complicações que podem surgir.

Em Portugal, a prematuridade afeta cerca de 1000 bebés por ano. Os bebés que nascem antes das 37 semanas são considerados prematuros e precisam de cuidados especiais nos primeiros tempos de vida. Quanto menor for o período de gestação, maiores serão os cuidados. Um bebé que nasça com 32 semanas precisa de cuidados diferentes daquele que nasça às 25 semanas, por exemplo.

Qualquer bebé prematuro pode ter uma vida normal mas é fundamental que sejam acompanhados, desde o berço,  em programas de seguimento multidisciplinar para rastreio e intervenção precoce para promover um desenvolvimento saudável desde o nascimento até à fase adulta.
 

Os graus de prematuridade


 
Tome nota:
A ligação que existe entre uma mãe e um filho é a mais poderosa! Receba já todas as dicas para si e o seu bebé.
Um bebé nascido antes das 37 semanas é considerado um bebé prematuro, porém, como já dissemos acima, há diferentes graus de prematuridade. Um bebé precisa de um tempo específico para que os seus orgãos atinjam a maturidade e é esse tempo que determina os cuidados a ter.
  • Pré-termo limiar: entre 33 e as 36 semanas e/ou entre 1,500 kg e 2,5 kg;
  • Prematuro moderado: entre as 28 e 32 semanas e/ou entre 1 kg e 2,5 kg;
  • Prematuro extremo: antes das 28 semanas e/ou menos de 1 kg;
 

Causas da prematuridade



Pode ser difícil determinar quais são as razões exatas para o nascimento de um bebé prematuro, no entanto, sabemos que existem alguns fatores que estão na sua origem:
  • Stress;
  • Maus tratos;
  • Consumo de álcool;
  • Droga;
  • Tabaco;
  • Mal formação da placenta; 
  • Gravidez múltipla;
  • Hipertensão;
  • Diabetes;
  • Infeções;


Cuidados especiais com bebés prematuros


bebe nas mãos
Especialmente os bebés que nascem antes das 35 semanas precisam de cuidados especiais para que consigam amadurecer cá fora todos os orgãos. Será admitido na numa unidade especial de cuidados para bebés prematuros para que consiga alcançar a capacidade de controlar a sua temperatura corporal, a respiração e alimentação.

Para isso, será colocado numa incubadora para se manter quente, terá a ajuda de um ventilador para respirar e será alimentado por um tubo colocado no nariz, no estômago ou numa veia.

 

Quais são as possíveis complicações da prematuridade?



Os bebés prematuros precisam de um acompanhamento rigoroso tanto pelos pais como pelos profissionais de saúde. Aos últimos exigem-se cuidados de saúde e aos primeiro apenas carinho, mimo e amor.

A prematuridade leva a que os bebés que nascem antes das 37 semanas tenham mais probabilidade de desenvolver problemas de saúde, pelo facto de não terem tido tempo suficiente para formar todos os orgãos. Nas primeiras semanas de vida, é possível que surjam algumas destas complicações:

 

Pulmões

  • Problemas ao nível do ritmo cardio-respiratório;
  • Doença das membranas hialinas ou síndrome de dificuldade respiratória;
  • Taquipneia transitória ou “pulmão húmido”;
  • Fugas de ar; 
  • Displasia broncopulmonar;
 
 


Coração

  • Canal arterial patente.
 
 


Cérebro 

  • Hemorragias intraventriculares;
  • Lesões do tecido cerebral (leucomalácia e paralisia cerebral);
 
 


Olhos

  • Retinopatia da prematuridade e estrabismo.
 
 


Ouvidos

  • Surdez;
 
 


Intestinos

  • Enterocolite necrotizante;
 
 


Outras complicações

  • Anemia;
  • Bradicardia; 
  • Icterícia;
  • Problemas de açúcar no sangue;
  • Tensão arterial baixa;
 


Como será influenciado o desenvolvimento do bebé pela prematuridade?


bebe prematuro
Em princípio, os bebés prematuros têm um desenvolvimento normal e saudável e, no futuro, não se distinguem dos demais. Contudo, os prematuros de extremo baixo peso, com um peso inferior a 1000 gramas no nascimento, têm maiores riscos de ter problemas no desenvolvimento. O peso, a semana a que nasce e as complicações são determinantes.

 

Estatura

Os bebés que nascem muito pequenos, nos primeiros 2 a 3 anos de vida vão procurar recuperar o crescimento. É importante estar atento ao seu peso e estatura, bem como à harmonia entre ambos. A recuperação começa no perímetro cefálico, depois será na estatura e por fim no peso até que atinha os limites da normalidade dos valores de referência. 

Contudo, pode manter-se um adolescente pequeno até atingir a estatura normal na idade adulta. Os bebes que tenham sofrido de displasia broncopulmonar ou que apresentam um estado de nutrição inadequado vão ter mais dificuldades no crescimento nos primeiros anos de vida. 
 
 
 

Desenvolvimento

O desenvolvimento é mais afetado pelo tempo de gestação e depende de vários fatores biológicos e ambientais e da forma como afetam o cérebro imaturo destes bebés. A maioria dos distúrbios desaparece ou diminuiu com o tempo e aqui a interação com os familiares e a própria personalidade da criança são fundamentais.

Os bebés nascidos com menos de 26 semanas estão mais sujeitos a sequelas como paralisia cerebral, cegueira e surdez, estas são diagnosticadas nos primeiros 2 anos de vida. O atraso no desenvolvimento cognitivo é o mais frequente nos primeiros anos de vida. É possível que surjam problemas de aprendizagem e comportamentais.

Chegados à adolescência, regra geral, estes problemas começam a desaparecer.
 
 
 

Outros fatores de risco

O meio em que a criança está inserida e os estímulos que recebe são muito importantes para uma criança que tenha nascido prematura. Uma participação ativa dos pés, um lar estável, cheio de amor e atenção são essenciais para o desenvolvimento da criança (qualquer criança, na verdade).


Para apoio e  mais informações, contacte a Associação Portuguesa de Apoio ao Bebé Prematuro.
Receba aqui mais dicas para si e para o seu bebé !


Veja também: