Mariana Falcão de Castro
Mariana Falcão de Castro
10 Jun, 2017 - 14:46

Primavera Sound: os sorrisos e a magia do 2.º dia

Mariana Falcão de Castro

O recinto estava cheio de gente, não tivesse a venda de bilhetes para este dia esgotado, oficialmente, há uma semana.

Primavera Sound: os sorrisos e a magia do 2.º dia
O artigo continua após o anúncio

O São Pedro continua de folga e, contrastando com o céu acinzentado do primeiro dia, o sol brilhava e nem uma brisa corria, definindo o mood e proporcionando um final de tarde fabuloso e quase etéreo para os aficionados do por do sol.

Quanto aos concertos…
Sleaford Mods subiu ao palco às 20h30 (destaque para o cumprimento rigoroso e louvável do horário em todos os concertos durante esta edição do festival), começando, desde logo, a partilhar as suas indignações com a política britânica e as recentes eleições.

Assim como a atuação do primeiro dia de Run The Jewels, jaz aqui a prova de que os concertos são, cada vez mais, um palco para os artistas expressarem as suas opiniões antissistema e o seu descontentamento, para além de darem a conhecer a sua música, testando o público com temas novos e agraciando-o com os crowd pleasers.

Primavera_Sound_2int

Bon Iver foi mágico (a lua cheia emoldurou o momento). Conseguiu a proeza da noite: que se fizesse silêncio para ouvir todos os pormenores da sua música. Não houve coros nem palmas fora de tempo. Assobios só nos momentos certos. A plateia estava in sync com Bon Iver e a sua entrega foi total. Com o sintetizador ou com a guitarra, teve uma abordagem um pouco country nalguns temas, usando e abusando dos filtros na voz, como já nos habituou.

O início do concerto foi inteiramente dedicado ao novo álbum “22, A Million” (7 músicas!). Agradando a todos, Bon Iver fechou com uma versão acústica do tema “Skinny Love” e deixou a vontade de o ver num cenário mais intimista. Uma vez mais, um jogo de luzes que só acrescentou ao concerto.

Primavera_Sound_2int2

Nicolas Jaar confundiu os mais céticos no início do seu concerto, com o seu arranque demorado. Os primeiros 20 minutos foram experimentais e pouco empolgantes, levando ao abandono de algumas pessoas (King Gizzard & The Lizard Wizard foi o principal beneficiado), e só se tornaram dançáveis a partir daí.

Os fashion trendsetters do Primavera
Quando dizemos que há pessoas que têm um outfit específico para o NOS Primavera Sound não o fazemos de ânimo leve. Desde oversized bomber jackets com tarjas e padrões diversos, passando pelas meias de rede fishnet de cinta subida, aos óculos de sol “emprestados” pela tia hippie-chic.

O Primavera dá as boas vindas à diversidade e originalidade e é, indubitavelmente, um momento festivo onde as pessoas se podem expressar através do que vestem.

O artigo continua após o anúncio
Primavera_Sound_2int3

De copo na mão (e não no chão, como referimos ontem) e coroa de flores na cabeça (para os que chegam cedo ou para os que não se assustam facilmente com filas longas), o look do festivaleiro do Primavera é descontraído, boémio e hippie-chic.

Os festivaleiros do Primavera são, por isso, risk takers. Querem ver o que se passa mas também se querem dar a ver. Afinal de contas, aqui é “a” altura de experimentar todas as dicas cool que acumularam nos seus boards de moda/vestuário/festivais do Pinterest e atualizar as suas contas de Instagram.

Dicas para usufruir ao máximo do Primavera – vai querer ler isto:
1. Jante cedo
Desde o 2.º dia que há sobreposição de concertos, logo, tem que fazer uma análise custo benefício sobre que bandas prefere ver em detrimento de outras, encontrando tempo para jantar. O nosso conselho: a partir das 20h, as filas para qualquer banca na restauração ficam impossíveis. Jante por volta das 19h30 e poderá sentar-se na relva, relaxado, a guardar lugar para os concertos que quer realmente ver.

2. Selecione previamente os concertos que quer ver na App NOS Primavera Sound
A App necessita de dados móveis e Bluetooth, no entanto, envia-lhe notificações por push de cada vez que um concerto escolhido como favorito por si está a começar. Se não conseguir encontrar os palcos mais alternativos, espreite no mapa da App.

3. Escolha o seu lugar com antecedência
“Com licença! Dê-me um jeitinho. Olhe, pode-se chegar um bocadinho para a esquerda? Não consigo ver com a sua cabeça à frente.” Sejamos francos. Ninguém gosta de pessoas que chegam à última da hora ou de empurrões (suaves ou não), apesar de ser eventual e expectável que aconteçam num espaço que agregue milhares de pessoas. Evite isto – também não ia gostar que lho fizessem a si. Vá 15 minunitos mais cedo para o espaço perto do Palco que lhe interessa e sente-se. O Primavera é quase um anfiteatro natural, dando visibilidade para os concertos em praticamente todos os pontos.

4. Leve um agasalho
Este ano, estamos com sorte. Não choveu uma única pinga até agora! No final da noite, há alguma morrinha, mas quase não merece menção. Por isso, leve crop tops, calções, tops com as costas à mostra, saias, o que quiser. Não obstante, não deixe o casaco em casa – a partir das 21h30, começa a fazer frio e vai agradecer a todos os santos ter apertado o casaco à cintura. Se optar por levar as pernas descobertas, guarde uns collants na carteira (pro tip).