Mónica Carvalho
Mónica Carvalho
09 Out, 2020 - 09:51

Pandemia reduz cuidados de saúde mental em todo o mundo

Mónica Carvalho

Pesquisa da Organização Mundial de Saúde destaca necessidade de aumentar o investimento no setor.

Cuidados de saúde mental: mulher de máscara a olhar pela janela

No âmbito do Dia Mundial da Saúde Mental que se assinala este sábado, dia 10 de outubro, a Organização Mundial de Saúde (OMS) divulgou uma pesquisa mundial que aponta uma redução dos cuidados de Saúde Mental em mais de 93% dos países, apesar do aumento da procura.

A pesquisa feita em 130 nações mostra o impacto da pandemia no acesso aos serviços de saúde mental, destacando a necessidade urgente de mais financiamento.

Luto, isolamento, perda de renda e medo são os problemas mais registados. Juntam-se níveis elevados de uso de álcool e drogas, quadros de insónia e de ansiedade.

Crianças e adolescentes são os mais afetados

Menino com sintomas de ansiedade

Nesta pesquisa, foi apurada uma completa interrupção de mais de 60% dos Estados-membros nos serviços para pessoas vulneráveis; crianças e adolescentes foram afetados em 72%; os adultos mais velhos em 70%; e as mulheres que precisam de serviços pré-natais ou pós-natais em 61%.

Além disso, 67% das nações viram interrompidas as sessões de aconselhamento e psicoterapia, 65% para serviços críticos de redução de danos e 45% ao tratamento de manutenção para dependência de opioides.

Quase um terço dos países diminuiu também as intervenções de emergência, incluindo para pessoas com convulsões prolongadas e síndromes de abstinência delírio.

Por outro lado, cerca de 89% dos países relataram que a saúde mental e o apoio psicossocial fazem parte de seus planos nacionais de resposta, todavia apenas 17% têm financiamento para cobrir essas atividades.

Portugal reforça apoio à Saúde Mental

Em Portugal, a linha de apoio psicológico registou, desde o dia 1 de abril, 38.912 chamadas, 3.229 das quais feitas por profissionais de saúde.

Este é um tema-chave para o Governo, de tal forma que serão recrutados mais profissionais para integrar as Equipas Comunitárias de Saúde Mental.

O projeto-piloto tem como objetivo aproximar os serviços de Saúde Mental da população e assegurar “respostas focadas na prevenção, permitindo uma intervenção mais efetiva nos problemas”.

O projeto irá iniciar-se a 31 de outubro e irá decorrer durante 12 meses, no âmbito do Plano Nacional da Saúde Mental.

Fontes

  1. ONU News: “COVID-19 interrompe serviços de saúde mental na maioria dos países”. Disponível em: https://news.un.org/pt/story/2020/10/1728672
  2. Serviço Nacional de Saúde: “Reforço do SNS24”. Disponível em: https://www.sns.gov.pt/noticias/2020/10/02/reforco-do-sns24/
  3. Serviço Nacional de Saúde: “Equipas Comunitárias de Saúde Mental”. Disponível em: https://www.sns.gov.pt/noticias/2020/09/30/equipas-comunitarias-de-saude-mental/
Veja também