Publicidade:

Hoje assinala-se o Dia de Consciencialização do Stress

O Dia de Consciencialização do Stress foi criado pela International Stress Management Association (ISMA) em 1998, no Reino Unido.

 
Hoje assinala-se o Dia de Consciencialização do Stress
O stress é um dos maiores problemas da sociedade contemporânea

Está constantemente preocupado? Não consegue desligar do trabalho? Não sabe como relaxar ou desfrutar dos momentos de descontração? Não está sozinho e é para isso que serve o Dia de Consciencialização do Stress.

A efeméride é a oportunidade ideal para ter noção do quanto este fator pode afetar a qualidade de vida, a todos os níveis, seja pessoal ou profissional. Assuma este dia como uma oportunidade para começar a tomar conta de si mesmo, para tirar tempo para identificar as pressões a que está sujeito e de que forma pode reduzi-las ou até mesmo eliminá-las.

É um problema quase invisível, na medida em que pode ser difícil de diagnosticar e é, muitas vezes, ignorado pelo próprio indivíduo, que tende a desvalorizar o que está a sentir.

Daí que, datas como esta ajudem a alertar para a importância do bem-estar de cada um, de partilhar estratégias de combate ao stress ao nível pessoal e organizacional.

Dicas para aprender a lidar com o stress


dia de consciencializacao do stres homem stress trabalho

São conselhos genéricos e abrangentes que podem não surtir o efeito esperado, pois cada pessoa reage ao stress e respetivas formas de controlo de forma diferente. Se se sente num estado de descontrolo, não perca mais tempo e peça ajuda médica.

No dia-a-dia, pode experimentar as seguintes dicas, de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS) (3):

  • Inspirar e expirar profundamente durante alguns segundos;
  • Fazer pausas ao longo do dia de trabalho e afastar-se da secretária, preferencialmente;
  • Não acumular demasiado trabalho – pedir ajuda sempre que necessário;
  • Apontar todos os compromissos e tarefas, para não estar a sobrecarregar o cérebro com esse tipo de informação;
  • Trabalhar num espaço limpo e organizado, e, por que não, decorado com objetos que o façam sentir-se bem e feliz;
  • Praticar exercício físico com regularidade – nem que seja uma simples caminha diária;
  • Ter uma alimentação equilibrada;
  • Ser positivo e não começar de imediato a pensar nos piores cenários possíveis quando algo de errado acontece;
  • Fazer meditação;
  • Ouvir música.

 

OMS classifica o stress como uma epidemia mundial


A OMS destaca o stress laboral como uma epidemia à escala mundial. Para isso, é importante apelar à compreensão dos fatores que contribuem para a adaptação das pessoas aos diferentes e cada vez mais exigentes contextos de trabalho, que é, de acordo com a instituição, o principal motivo que leva ao aparecimento de stress.

Os principais fatores de stress estão associados com:

  • A qualidade das relações profissionais, seja com os colegas de trabalho, chefias ou clientes;
  • A forma como é tratado pela empresa onde trabalha;
  • As condições de trabalho existentes;
  • Exigências e pressões a que o indivíduo está sujeito;
  • A ausência de oportunidades de progressão na carreira;
  • A baixa remuneração ou remuneração injusta para o trabalho desempenhado.

Em casos extremos, o excesso de stress pode levar ao burnout, classificado como uma doença dos tempos modernos pela OMS. Trata-se de um quadro de esgotamento profissional identificado por três sinais clássicos:

  • Esgotamento físico e psíquico;
  • Indiferença e perda de personalidade;
  • Baixa satisfação profissional.

Ao nível físico, podem também ocorrer algumas alterações como o aparecimento de dores de cabeça, dores de coluna e musculares.

Veja também:

Fontes:

1. Calendarr
2. Serviço Nacional de Saúde
3. World Health Organization

Mónica Carvalho Mónica Carvalho

Mónica Carvalho é licenciada em Jornalismo e Ciências da Comunicação, com Pós-Graduação em Comunicação, Assessoria e Marketing. Vê na produção de conteúdos uma forma de tornar o mundo um lugar mais interessante, curioso e acessível. Os livros, filmes, séries, música, desporto e, acima de tudo, as histórias das pessoas inspiram-na a querer sempre fazer mais e melhor.

O Vida Ativa disponibiliza e atualiza informação, não presta serviços de aconselhamento nutricional, de saúde ou de treino. O Vida Ativa não é proprietário nem responsável pelos produtos e serviços de terceiros apresentados, por conseguinte não será responsável por quaisquer perdas ou danos que possam resultar de quaisquer imprecisões ou omissões. A informação está atualizada até à data apresentada na página e é prestada de forma geral, tratando-se de textos meramente informativos, pelo que não constitui nem dispensa a assistência profissional qualificada e individualizada. Caso pretenda sugerir uma atualização, por favor, envie-nos a sua sugestão para: [email protected].