Publicidade:

A vitamina C previne constipações? Descubra a verdadeira resposta!

Sempre ouvimos dizer que a vitamina C previne constipações, mas será que é mesmo assim? Ou será que apenas ajuda no tratamento dos sintomas? Veja.

A vitamina C previne constipações? Descubra a verdadeira resposta!
No caso das gripes e constipações, a prevenção é, sem dúvida, o melhor remédio.

Com o inverno e o frio, chegam as habituais gripes e constipações. Consequentemente, surge também a habitual publicidade a medicamentos e / ou suplementos para prevenir estas condições. Um dos mais frequentes, senão o mais popular, é a vitamina C.

Mas será que a vitamina C previne constipações? Ou será uma mera ilusão e estratégia de marketing? Vejamos.

Como se transmitem as gripes e constipações?


vitamina C previne constipacoes transmissao constipacao

Antes de respondermos à questão se a vitamina C previne constipações, é importante referir como se transmite esta condição.

A constipação é provocada por cerca de duas centenas de vírus diferentes, sendo os mais comuns os Rhinovirus. Ao contrário da gripe, a constipação raramente causa problemas de saúde graves, embora seja considerada a doença infeciosa mais frequente do mundo.

A transmissão dos vírus que provocam gripes e constipações é sempre de pessoa para pessoa, normalmente através da tosse, dos espirros, das mãos ou do contacto direto com superfícies ou objetos partilhados com uma pessoa que esteja doente.

Uma vez que estes vírus conseguem sobreviver cerca de 48 horas nos objetos contaminados, a aplicação de medidas para prevenção de gripes e constipações ajuda a que a minimizar a propagação do vírus e a diminuir a prevalência destas condições, que se não forem devidamente cuidadas, podem evoluir para situações mais graves.

Sendo uma doença provocada por um vírus, é importante alertar que não se trata com antibióticos.

Então, será que a vitamina C previne constipações?


vitamina C previne constipacoes laranja

Certamente que desde pequeno ouve dizer que a vitamina C previne constipações. Mas qual a verdadeira evidência científica sobre este assunto?

A evidência científica mais recente sobre este tema refere que a suplementação em vitamina C não diminui a incidência de constipações, mas pode ajudar na diminuição da duração e sintomas das mesmas.

Com efeito, a suplementação com vitamina C apesar de não prevenir as constipações, ajuda no seu tratamento, diminuindo a duração de cada episódio em cerca de seis horas no caso dos adultos e dez horas no caso das crianças.

No entanto, e para conseguir estes efeitos, não necessita de recorrer à suplementação de vitamina C, visto que alimentos como o kiwi e a laranja possuem quantidades muito interessantes desta vitamina (200mg de vitamina C é o equivalente a três laranjas ou três kiwis médios).

Efeitos nocivos da suplementação crónica com vitamina C

Por outro lado, existe sempre a tendência de dizer que no caso da suplementação vitamínica mesmo que não se obtenha resultados, também não advêm consequências nocivas da sua toma.

Contudo, se há nutrientes em que isso é verdade, com a vitamina C e outros nutrientes com capacidade antioxidante a história é diferente, podendo a suplementação ser mais prejudicial do que benéfica.

Com efeito, a suplementação crónica de grandes quantidades de vitamina C pode aumentar o risco de cálculos renais e até de mortalidade.

Mesmo em atletas, esta suplementação não é benéfica, pois limita grande parte dos benefícios e adaptações ao treino, incluindo a hipertrofia muscular.

Também a toma de suplementos de zinco, muitas vezes utilizada para prevenir estas condições, parece, na verdade, ter um efeito negligente na sua prevenção.

8 MEDIDAS PARA A PREVENÇÃO DE CONSTIPAÇÕES


vitamina C previne constipacoes tossir para lenco

A incidência de gripes e constipações tende a diminuir com a idade, sendo condições muito comuns sobretudo em crianças menores de dois anos. No entanto, as perturbações de sono e os elevados níveis de stress podem aumentar o risco nos adultos.

Pequenos gestos do seu dia-a-dia podem fazer a diferença para evitar que apanhe uma constipação, tais como:

  • Lavar as mãos: As mãos são um veículo de contacto com todo o tipo de microrganismos. Lavá-las com sabonete ou solução de base alcoólica, de forma frequente, ajuda a eliminar os microrganismos responsáveis pelas infeções;
  • Ao tossir ou espirrar, deve proteger boca e nariz com um lenço de papel ou com o braço;
  • Limpar com maior assiduidade, quaisquer objetos sujeitos ao manuseamento muito frequente de várias pessoas;
  • Arejar frequentemente os espaços fechados, seja a sua casa, o local de trabalho, a escola ou o infantário;
  • Roupa: É essencial utilizar sempre roupas adequadas à temperatura. No inverno, as mudanças bruscas de temperatura, por vezes, acompanhadas de chuva ou neve, podem originar constipações. Opte por utilizar cachecóis, gorros e luvas e agasalhe-se bem;
  • Descansar e dormir: O sono e o repouso adequado ajudam a manter o sistema imunitário fortalecido;
  • Evitar o contacto com pessoas infetadas: Evitar o contacto muito próximo com pessoas que apresentem sintomas;
  • Praticar exercício físico: A prática de exercício físico parece ajudar a prevenir as gripes e constipações, embora sejam necessários mais estudos para comprovar, de forma mais consistente, esta teoria.

 

Em conclusão: A vitamina C previne mesmo constipações?


vitamina C previne constipacoes alimentos ricos em vitamina C

Não. Pode ajudar na resolução da situação, através da diminuição dos sintomas e da sua duração, mas não ajuda a prevenir.

Contudo, salienta-se a inclusão de legumes e frutas ricos nesta vitamina na rotina alimentar diária, juntamente com alimentos com atividade anti-inflamatória, de modo a combater os sintomas desta condição e reforçar o sistema imunitário.

Entre estes destacam-se:

  • Hortícolas de cor verde escura (por ex. couve-galega, couve-bruxelas, brócolos, espinafres);
  • Hortícolas de cor verde alaranjada (por ex. cenoura, abóbora, beterraba);
  • Fruta variada (incluir frutas cítricas como por ex. laranja, kiwi, limão, tangerina);
  • Frutos oleaginosos (por ex. nozes, avelãs, amêndoas);
  • Peixe gordo (por ex. sardinha, salmão, cavala, atum, arenque);
  • Leguminosas (por ex. feijão, grão de bico, lentilhas);
  • Cereais e seus derivados integrais (por ex. pão escuro, arroz e massa integral) e a água.

Veja também:

Nutricionista Rita Lima Nutricionista Rita Lima

Rita Lima é nutricionista, licenciada em Ciências da Nutrição pela Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação da Universidade do Porto em 2016 e frequentou o Curso de Nutrição no Desporto na mesma faculdade. É membro efetivo da Ordem dos Nutricionistas.

O Vida Ativa disponibiliza e atualiza informação, não presta serviços de aconselhamento nutricional, de saúde ou de treino. O Vida Ativa não é proprietário nem responsável pelos produtos e serviços de terceiros apresentados, por conseguinte não será responsável por quaisquer perdas ou danos que possam resultar de quaisquer imprecisões ou omissões. A informação está atualizada até à data apresentada na página e é prestada de forma geral, tratando-se de textos meramente informativos, pelo que não constitui nem dispensa a assistência profissional qualificada e individualizada. Caso pretenda sugerir uma atualização, por favor, envie-nos a sua sugestão para: [email protected].