Vigorexia: a constante insatisfação com o corpo

A vigorexia é um transtorno mais comum do que se julga. É caracterizada pela obsessão com exercício físico e apresenta sérias consequências.

Vigorexia: a constante insatisfação com o corpo
Exercício deverá ser feito com moderação.

A vigorexia, também chamada de transtorno dismórfico muscular ou síndrome de Adónis, é um transtorno obsessivo-compulsivo que se caracteriza pela constante insatisfação com o corpo.

Acredita-se que a vigorexia é uma das mais novas patologias emocionais estimuladas pela cultura atual. Crê-se que surgiu fruto de estarmos inseridos numa sociedade crescentemente competitiva onde o culto da imagem é cada vez mais estimulado.

Encontra-se mais presente nos homens entre os 18 e os 35 anos e é caracterizado pela excessiva realização de exercício físico e obsessão por seguir um regime alimentar rigoroso, com ênfase no consumo exagerado de proteínas e frequentemente associado a consumo de substâncias anabolizantes que potenciem o aumento e definição da massa muscular.

Vigorexia: sintomas, consequências e tratamento


1. Sintomas da vigorexia

vigorexia

Pessoas que sofram deste transtorno, são caracterizadas pela obsessão em consumir alimentos ricos em proteínas, para além de um número elevado de suplementos desportivos, indo a casos extremos de consumo de substâncias anabolizantes, devido ao facto de por mais massa muscular que possuam, se encontrarem eternamente insatisfeitos com a sua imagem.

A sua auto-imagem é sempre a de alguém que está magro e que possui pouca massa muscular, acarretando constantes complexos de inferioridade.

Os principais sintomas são:

  • Dores musculares persistentes
  • Cansaço frequente
  • Irritabilidade
  • Depressão
  • Dieta muito restritiva
  • Insónias
  • Aumento da frequência cardíaca ao repouso
  • Menor desempenho sexual

2. Consequências da vigorexia

atleta preocupado

Sendo este considerado um transtorno obsessivo-compulsivo, caracterizado pela elevada ingestão de proteínas, excesso de exercício e por vezes abuso de substâncias anabolizantes, irá representar a médio-longo prazo uma “agressão” ao organismo.

Estes fatores conjugados irão causar um desgaste no corpo, pois para além do facto dos abusos acima mencionados, o descanso irá ficar comprometido devido ás frequentes insónias.

Trata-se de uma bola de neve que irá ter sérias repercussões tanto em termos psicológicos, como em termos físicos, havendo um sério comprometimento das estruturas vitais, com risco acrescido de problemas como doenças cardiovasculares, problemas articulares, renais, hepáticos, entre outros.

Em termos sociais tem também sérios impactos, sendo frequente uma pessoa que apresenta este transtorno abandonar atividades sociais ou recreativas para que não saia da rotina do exercício e da dieta.

O desconforto constante que apresenta, causam-lhe complexos de inferioridade, levando a isolamento social e problemas de ansiedade em casos mais problemáticos.

Tudo isto representa um círculo vicioso no qual a pessoa afetada poderá ou não ter consciência do problema que tem, mas continua a exercitar-se e a fazer uso de todo o tipo de substâncias ergogénicas que visem melhorar performance, aumentar massa muscular e/ou perder massa gorda.

3. Tratamento da vigorexia

tratamento multidisciplinar

O tratamento para a vigorexia deverá ser feito numa abordagem multidisciplinar, o que significa que várias vertentes terão de ser abordadas no sentido de controlar a progressão da mesma.

Entre eles, é importante controlar fatores como:

  1. Dieta equilibrada com nutrientes e vitaminas necessárias para o corpo.
  2. Eliminar esteroides anabolizantes caso estejam a ser usados.
  3. Psicoterapia.
  4. Em casos extremos, nos casos em que a depressão poderá estar instalada, poderá ser necessário o recurso a terapia medicamentosa a fim de regular os níveis de serotonina e controlar a ansiedade.

 

Em suma


A vigorexia é um transtorno dos tempos modernos, fruto da busca pela imagem perfeita, sendo consequência da exagerada exposição a que diariamente estamos expostos por diversos meios, nomeadamente televisão e redes sociais.

É saudável adotar-se um estilo de vida equilibrado, sendo fundamental haver uma sinergia nas diferentes componentes da vida (social, profissional, saúde, pessoal), não se devendo cair em excessos e levar a parte física ao extremo.

Treine e alimente-se bem, mas não deixe que isso se torne em obsessão e a mesma comprometa todos os outros campos da sua vida.

Veja também:

Prof. Francisco Torres Prof. Francisco Torres

Francisco Torres é Personal Trainer, e trabalha actualmente no ginásio Fitness Hut de Linda-a-Velha. Licenciado em Ciências do Desporto pela Faculdade de Motricidade Humana e Mestre em Gestão do Desporto pela mesma Universidade, possui diversas especializações nomeadamente em Populações especiais e Exercício físico na gravidez e pós-parto, bem como uma Pós-Graduação em Nutrição Desportiva.

Cofidis