Trealose: o açúcar que aumenta o número de infeções

A trealose é um tipo de aditivo usado no processamento de alguns alimentos. Estudos relacionam o seu consumo com o aparecimento de infeções.

Trealose: o açúcar que aumenta o número de infeções
Estudo correlaciona o uso deste açúcar com o aparecimento de infeções hospitalares.

Usada como aditivo em alguns produtos alimentares, a trealose foi relacionada com o aparecimento de infeções ao nível hospitalar, segundo um estudo da revista “Nature”. Encontra-se ainda naturalmente presente, e em reduzidas quantidades, em alimentos como os cogumelos, produtos de panificação, mel, milho, mandioca, soja, entre muitos outros.

Do ponto de vista da indústria alimentar, a trealose tem várias funcionalidades:

  • Previne a degradação das moléculas de proteína e a oxidação das gorduras;
  • Melhora o sabor dos alimentos;
  • Evita a formação de gelo em alimentos congelados;
  • Reduz o sabor amargo do adoçante stevia;
  • Neutraliza o sabor e melhora solubilidade de alguns minerais;
  • Mascara aromas e sabores desagradáveis.

 

Estudo existente relativamente à trealose


trealose aditivo alimentar

Segundo um estudo realizado, a trealose aumenta a virulência de super bactérias, fazendo com que as mesmas produzam maior quantidade de toxinas, contribuindo para o aparecimento de infeções intestinais e hospitalares na Europa e nos Estados Unidos da América.

Em causa está uma bactéria, Clostrifium difficile, que depois de se multiplicar pode causar diarreias associadas ao uso de antibióticos e infeções ao nível intestinal. Esta bactéria foi estudada nos anos 30, em que se detetaram colónias nas fezes dos recém-nascidos, após a sua colonização no intestino dos bebés, logo após o nascimento.

Como iniciou o estudo sobre a trealose

No início da década de 2000, surgiram espécies mais virulentas destas bactérias e a sua incidência aumentou na Europa e nos Estados Unidos da América. Anteriormente acreditava-se que a origem destas infeções e sintomas intestinais estariam no facto de terem surgido variantes resistentes a alguns antibióticos, no entanto, o estudo em causa conclui que a razão pode estar no açúcar trealose adicionados aos alimentos.

Neste estudo realizado nos EUA, foram analisados genes de duas variantes virulentas desta bactéria, identificadas anteriormente como causa de muitas infeções hospitalares. Ambas as bactérias desenvolveram mecanismos para se alimentarem de trealose quando estão em carência de outros nutrientes. Todas as bactérias foram alimentadas com glicose (também um tipo de açúcar), no entanto, quando se utilizou trealose, apenas sobreviveu a variante que causa as ditas infeções e tem maior capacidade virulenta.

Conclusão do estudo sobre a trealose

O estudo conclui que a trealose não faz com que as bactérias se multipliquem mas produz mais toxinas que podem aumentar a infeção.

Este estudo é a prova de que algumas mudanças introduzidas pelos humanos, nomeadamente do ponto de vista da indústria alimentar, com a introdução de alguns aditivos, podem ter consequências ao nível da saúde e na expansão de agentes tóxicos com poder infecioso.

Veja também:

Nutricionista Margarida Beja Nutricionista Margarida Beja

Margarida Beja é Nutricionista (1859NE) e trabalha atualmente no Reino Unido na área da gestão de peso. Anteriormente, trabalhou também no âmbito da nutrição comunitária e nutrição clínica e esteve envolvida em projetos ligados à prevenção da obesidade infantil, coaching e marketing nutricional. É licenciada em Dietética e Nutrição pela Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa.