Publicidade:

Toxoplasmose e grávidas: cuidados a ter se tem gatos em casa

Toxoplasmose e grávidas é um tema que continua a dar que falar pela questão de ter gatos e poderem ser incompatíveis, pelos riscos que podem trazer ao bebé.

 
Toxoplasmose e grávidas: cuidados a ter se tem gatos em casa
Saiba quais as precauções a ter se está grávida e tem gatos em casa.

Toxoplasmose e grávidas é um assunto debatido desde há muito tempo. No entanto as dúvidas continuam a surgir e muita gente ainda continua a culpar o gato enquanto principal transmissor. Mas será mesmo assim? Vamos descobrir!

Toxoplasmose e grávidas: o que é afinal a toxoplasmose?


Toxoplasmose e gravidas teste ao sangue

A toxoplasmose é um doença causada por um protozoário Toxoplasma gondii. Este microorganismo em pessoas saudáveis não causa grande problema, no entanto, pode trazer sérias complicações em certos grupos de risco, como as grávidas e pessoas imunodeprimidas (com as defesas baixas).

Ciclo de vida do Toxoplasma gondii

Para entender melhor como ocorre a contaminação, deve conhecer melhor o ciclo de vida deste protozoário.

Durante a sua fase de vida, este parasita apresenta 3 fases infectantes, ou seja, 3 fases da sua vida em que é possível que seja transmitido entre seres:

  • O ciclo inicia-se sempre através da ingestão de carne contaminada pelo gato por exemplo, ingerindo um rato contaminado;
  • Quando a carne com o parasita chega ao estômago do gato que se alimentou, é libertado, desce para o intestino e reproduz-se no seu interior ao final de 5 dias;
  • Durante este processo de reprodução há formação de pequenos ovos (oócitos) que são expulsos através das fezes ao final de 9 dias;
  • Já no exterior, este oócito esporula, ou seja, torna-se infecioso, capaz de se tornar transmissível a qualquer animal;
  • Quando outro animal que não um gato ingere este oócito infecioso este processo é ligeiramente diferente. Em vez de haver reprodução do toxoplasma e saída pelas fezes, migram para os músculos e ficam como que adormecidos no seu interior, adotando a forma a que se chama de cisto;
  • Caso seja um animal como estes cistos no seu músculo e outro animal ou uma pessoa o ingira cru ou mal passado, vai-se infetar, voltando a acontecer o mesmo processo.

Como é feita a transmissão?

A transmissão humana ocorre então por 4 formas:

  • Ingestão de oocistos através de gatos afetados que os expelem nas fezes: contaminam o ambiente (solo, jardins, água, caixas de areia) e alimentos;
  • Ingestão de cistos através de animais que ingeriram outros animais com cistos ou ingeriram oocistos no ambiente;
  • Congénita: mulheres que se infetaram durante a gravidez geralmente transmitem a infeção aos seus filhos;
  • Muito raramente pode ocorrer através da ingestão leite.

Quais os sinais mais comuns?

Em pessoas não gestantes com um sistema imunitário normal, os sintomas são inespecíficos e semelhantes a uma gripe:

  • Febre;
  • Mialgia (dor muscular);
  • Linfoadenopatia (aumento dos gânglios/linfonodos);
  • Fadiga.

Em pessoas com o sistema imunitário mais frágil pode causar sintomas mais graves e exacerbados.

Em mulheres gestantes o problema recaí nas consequências para o feto, que irão variar conforme a idade fetal aquando o momento da infeção, variando de assintomática (sem qualquer manifestação de sintomas) a letal.

Toxoplasmose e grávidas: a culpa é dos gatos?


Toxoplasmose e gravidas gato na janela e gravida

Olhando para o ciclo de vida de Toxoplasma gondii, é possível entender que os gatos têm um papel fundamental na disseminação deste protozoário. Os gatos são os únicos animais em que ocorre a reprodução deste microorganismo e que o dissemina através das suas fezes.

No entanto, a forma mais comum das pessoas se contaminarem é por falta de higiene da água e alimentos. É preciso salientar que apenas gatos infetados transmitem a infeção, e só excretam este parasita durante 15 dias.

Portanto, se o seu gato não estiver infetado com este parasita não é possível que lhe transmita toxoplasmose apenas por ser um gato!

Ser imune ou não à toxoplasmose

É importante também a gestante realizar um exame médico que lhe permite saber se é ou não imune à toxoplasmose, pois também só terá que ter preocupação relativamente a esta doença caso não seja imune. Por norma, se pensa em engravidar ou descobriu recentemente que está grávida, é um dos exames obrigatórios que o seu médico irá pedir.

Com este exame irá saber se é ou não imune à toxoplasmose. Mas afinal o que é que isto significa?

Ser imune à toxoplasmose significa que já teve em contacto com este parasita e, portanto, desenvolveu anticorpos contra o mesmo. Assim, os cuidados para não entrar em contacto com a toxoplasmose não se aplicam. No entanto, existem outros cuidados com a alimentação que deverá ter durante a gravidez.

Se não for imune à toxoplasmose significa que o seu organismo nunca esteve em contacto com o parasita, e dessa forma deve aconselhar-se com o seu médico acerca dos cuidados a ter para evitar essa infeção.

Toxoplasmose e grávidas: cuidados a ter


Como o gato é um dos possíveis disseminadores da doença, caso tenha gatos pode e deve ter alguns cuidados, de forma a proteger-se a si, ao feto e ao seu gato, pois também devemos ter em conta que toxoplasmose nos gatos pode causar problemas sérios.

Cuidados a ter com a grávida

Toxoplasmose e gravidas jardinagem com luvas

O ideal é ter sempre cuidado relativamente ao meio ambiente e à sua alimentação:

  • Frutas e legumes devem ser muito bem lavados;
  • A água para consumo deve ser sempre filtrada ou fervida;
  • Não deve ingerir carne crua ou mal passada em nenhuma circunstância;
  • Utilizar luvas a fazer jardinagem ou mexer na terra;
  • Consultar o seu médico logo que descubra que está gestante e fazer análises ao sangue com regularidade, conforme as indicações que lhe forem dadas;
  • Evitar fazer a limpeza da caixa de areia do gato, o ideal é que alguém o faça por si. Se não houver opção lembre-se de utilizar luvas e lavar muito bem as mãos;
  • Limpe a caixa de areia do gato diariamente, pois quando o oocisto está no exterior demora cerca de 24 horas a esporular, ou seja, a tornar-se infecioso e transmissível;

Cuidados a ter com o gato

Toxoplasmose e gravidas gato a janela a dormir

Se tem um gato deve ter alguns cuidados de saúde com ele sempre. No entanto, caso esteja a pensar em engravidar ou esteja grávida ou cuidados deve prestar ainda mais atenção:

  • Evite que o seu gato tenha acesso ao exterior, pois pode contaminar-se;
  • Faça consultas regulares com o seu gato no médico veterinário. É possível fazer análises ao sangue para saber se o gato tem a infeção ou não;
  • Mantenha o gato em ambientes limpos e sem fontes de contaminação;
  • Alimente o gato com ração apropriada e nunca lhe dê alimentação de pessoas, muito menos carnes cruas.

Se tem um gato e está grávida ou pensa em engravidar, não tem que se livrar do seu gato! Deve sim ter cuidados com a sua saúde e do seu animal de forma a proteger-se a si, ao seu filho e ao seu melhor amigo!

Veja também:

Dra. Patrícia Azevedo Dra. Patrícia Azevedo

Patrícia Azevedo é médica veterinária natural de Braga. Desde a sua infância que é apaixonada por animais e sempre teve a ambição de ser médica veterinária. Trabalhou como voluntária em associações de proteção e ajuda a animais errantes desde os 11 anos de idade . Iniciou o seu percurso como estudante desta área na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro e concluiu os seus estudos no Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar. Tem três gatos e uma cadela retirados da rua. Trabalha atualmente na sua cidade natal, em medicina e cirurgia de pequenos animais.

O Vida Ativa disponibiliza e atualiza informação, não presta serviços de aconselhamento nutricional, de saúde ou de treino. O Vida Ativa não é proprietário nem responsável pelos produtos e serviços de terceiros apresentados, por conseguinte não será responsável por quaisquer perdas ou danos que possam resultar de quaisquer imprecisões ou omissões. A informação está atualizada até à data apresentada na página e é prestada de forma geral, tratando-se de textos meramente informativos, pelo que não constitui nem dispensa a assistência profissional qualificada e individualizada. Caso pretenda sugerir uma atualização, por favor, envie-nos a sua sugestão para: [email protected].