O papel do Terapeuta Sexual na sua vida

O terapeuta sexual irá refletir, com o casal ou individualmente, sobre a disfunção ou transtorno sexual que o atinge, para apontar direções e ajudar a ultrapassar os problemas.

 
O papel do Terapeuta Sexual na sua vida
Perceba melhor o papel desde profissional.

O terapeuta sexual é um profissional de saúde, com licenciatura em medicina ou psicologia, especializado no tratamento de distúrbios ou transtornos sexuais, que se encontra apto a esclarecer uma panóplia de problemas orgânicos e/ou emocionais que se manifestam no foro sexual.

Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), a saúde sexual, além de ser um direito, é considerada como um elemento importante para o bem-estar pessoal, por esse motivo não se deve adiar a procura de ajuda, tentando ultrapassar a vergonha ou preconceito associado ao tema sexo ou às disfunções sexuais.

A terapia pode ser realizada a adolescentes, adultos ou idosos, de forma individual ou em casal.

A sexualidade é uma parceria entre pessoas, logo faz todo o sentido incluir em determinados momentos o parceiro, pois a disfunção é-lhe repercutida em maior ou menor grau. No entanto, feita individualmente, também é igualmente eficaz.

Tipo de disfunções sexuais que beneficiam do apoio de um Terapeuta sexual


Existem várias disfunções que podem afetar o bom funcionamento da vida sexual de um casal, levando-o(s) à procura da ajuda de um profissional especializado, tais como:

  • Desejo sexual hipo ou hiperativo;
  • Aversão sexual;
  • Dificuldade em atingir o orgasmo;
  • Disfunção erétil no homem;
  • Disfunção da excitação sexual na mulher;
  • Sensibilidade diminuída da região genital;
  • Anorgasmia (dificuldade ou impossibilidade de alcançar o orgasmo);
  • Impossibilidade de penetração;
  • Ejaculação precoce ou retardada;
  • Anejaculação (ocorrem as sensações orgásmicas normais sem expulsão da ejaculação);
  • Vaginismo (contração da vagina impedindo a penetração);
  • Dispareunia (dor durante a relação sexual);
  • Dor genital não coital;
  • Dificuldades na comunicação do casal sobre a própria intimidade;
  • Falta de sintonia psicológica entre o casal, ou seja, as mulheres e os homens nem sempre terem vontade simultânea de praticar sexo;
  • Parafilias: exibicionismo, fetichismo, pedofilia, masoquismo/sadismo, travestismo, voyeurismo, entre outras parafilias.

Tipos de tratamento


Antes de decidir a linha de tratamento a seguir, o terapeuta sexual necessita de perceber qual a causa da disfunção sexual que afeta o casal, ou seja, se é uma causa medicamentosa, causa orgânica, causa psicológica ou ambas.

Causa orgânica

É necessário a intervenção de um médico, que através de exames físicos e complementares, façam um diagnóstico adequado e estabeleçam o seu tratamento respetivo.

Frequentemente verifica-se que, mesmo que a disfunção tenha um caráter estritamente orgânico, a vertente emocional também se encontra afetada, logo necessita para além de acompanhamento médico, de um acompanhamento psicológico para trabalhar a auto-estima ou ansiedade.

Causas psicológicas

Podemos contar com: stress, ansiedade, questões religiosas, falta de informação, tabus, preconceitos, falta de educação sexual adequada, experiências traumática, aspetos da personalidade entre outras questões.

Causa medicamentosa

É provocada como um efeito secundário de alguma medicação que se encontre a tomar, pelo que é necessário falar com o seu médico, pode ser necessário alterar o tratamento.

O tratamento realizado pelo terapeuta sexual abrange uma compreensão global da sexualidade e a sua integração na pessoa, no relacionamento com o seu parceiro, bem como o papel da sociedade e cultura na vida do paciente. Consiste num diálogo durante o qual alguns bloqueios que prejudicam o sexo, vão sendo eliminados.

A frequência e duração do tratamento é variável, sendo individualizado, consoante a disfunção e personalidade da pessoa que procura tratamento, e deverá ser sempre realizado num ambiente seguro e profissional.

Pode ser necessário um tratamento intensivo ou, na maioria dos casos, o tratamento pode passar pela simples aceitação, esclarecimento e desmistificação de crenças, valores, medos ou dúvidas. Vários estudos revelam que, quase a totalidade dos problemas sexuais apresentam causas psicológicas e emocionais.

Não existem contatos íntimos com o paciente durante as sessões, todas as atividades são discussões e orientações técnicas e profissionais. O paciente deverá observar a evolução a cada sessão, onde percebe  a melhoria que vai ocorrendo no próprio sexo.

Como aliado ao tratamento, o terapeuta sexual pode utilizar alguns exercícios sexuais que devem ser realizados em casa, onde se pretende reforçar alguns estímulos que possam estar esquecidos.

Benefícios da terapia sexual


Iniciar terapia sexual consiste em realizar um conjunto de estratégias que beneficiam o Sexo. É poder além de eliminar a dor, o incómodo e a insatisfação, conhecer a real vivência do sexo, tornando o momento o mais intimo e saudável.

Outros benefícios possíveis do tratamento: aproximação do casal, melhor comunicação, maior conhecimento do próprio corpo e da parceria, resoluções do problema detetado, descoberta de novas possibilidades de prazer e excitação,desenvolvimento da auto-estima, entre outros.

Talvez, a parte mais difícil para o paciente seja reconhecer que precisa de ajuda, pois não existem razões para o não tratamento.

A ajuda de um terapeuta sexual merece consideração, já que para as questões sexuais de ordem emocional não há medicamentos que possam ajudar a superar tal quadro. Este tenta que a pessoa aprenda a vivenciar a sua sexualidade, orientada para o prazer, e não para a performance.

Veja também: