Tártaro em cães: saiba como prevenir e tratar este problema

O tártaro em cães é um problema que pode ser evitado se forem tomadas algumas medidas de precaução. Saiba mais como evitar e tratar este problema.

Powered by: Vetecare
Tártaro em cães: saiba como prevenir e tratar este problema
Saiba o que pode fazer para evitar que o seu cão ganhe cálculos dentários.

O tártaro em cães é um grande problema pois, tal como as pessoas, os cães têm tendência para acumulação de detritos e bactérias na boca.

Normalmente, é um problema que afeta animais mais velhos, no entanto, deve começar a ter alguns cuidados desde cedo de forma a evitar o seu aparecimento. Há também raças que têm mais propensão para este tipo de problemas do que outras.

Tártaro em cães: em que consiste?


Tártaro em cães boca e dentes cao

O tártaro em cães forma-se devido à acumulação de detritos alimentares que permanecem na boca e favorecem a acumulação de bactérias.

Com o passar do tempo, forma-se uma placa e por efeito dos minerais que compõem a saliva, os detritos e as bactérias na placa endurecem e formam o chamado cálculo dentário.

Sinais de tártaro em cães

Existem vários sinais de que o seu cão pode estar a desenvolver tártaro:

  • Halitose (mau hálito);
  • Aparecimento de uma placa amarelada por cima do dente;
  • Gengivite (inflamação da gengiva);
  • Sangramento gengival;
  • Perda de dentes;
  • Dificuldade ou dor para mastigar;
  • Hiporexia ou anorexia (apetite diminuído ou falte de apetite).

 

Tártaro em cães: como prevenir?


Uma vez que o tártaro se forma devido a acumulação de detritos alimentares e bactérias na boca, existem algumas formas de prevenir a sua formação.

A partir do momento em que há formação de tártaro em cães, não é possível remove-lo através destes métodos. São, portanto, apenas métodos para prevenir o aparecimento do tártaro em cães.

1. Alimentação

tartaro em caes comida seca

Uma alimentação baseada em ração seca é preferível para evitar a formação de tártaro em cães. Ao mastigar os grãos de ração, vai haver uma ação mecânica do próprio grão sobre o dente que ajuda a limpá-lo. Também, com este tipo de alimentação, a probabilidade de acumulação de detritos na boca é menor.

No entanto, cães que têm apenas uma alimentação deste tipo podem também desenvolver tártaro, pelo que é aconselhável utilizar também outros métodos preventivos como a escovagem dos dentes.

2. Pós naturais

Várias marcas desenvolveram produtos em forma de pó à base de algas e levedura. Estes pós alteram o ambiente oral através da mudança de pH e dificultam o desenvolvimento das bactérias.

Este método é ideal no caso de cães que não permitem a escovagem aos dentes.

3. Escovagem dos dentes

tartaro em caes escovagem de dentes

A escovagem dos dentes é o método preferencial e de eleição para a limpeza dos dentes, remoção da placa bacteriana e do tártaro.

Idealmente a escovagem dos dentes deve ser feita diariamente. No entanto, por falta de tempo dos tutores, acaba por não ser feita da forma ideal. No mínimo deve ser feita entre 1 a 3 vezes por semana.

Para fazer a escovagem dos dentes do seu cão dev,e ensiná-lo desde cedo para que se habitue ao procedimento e permita fazê-lo. Deve também ter uma escova e pasta apropriadas para cães.

4. Elixires

Uma alternativa também para cães que não permitam a escovagem são os elixires que se colocam na água da bebida.

Estes elixires têm um efeito antibacteriano dificultando a ligação das bactérias à superfície dos dentes e evitando, assim, a formação de placa antibacteriana e do tártaro em cães.

5. Snacks e ossos

tartaro em caes cao a roer osso

Existem snacks e ossos adequados para cães com uma consistência dura que têm um efeito abrasivo no dente produzindo uma ação mecânica de limpeza.

Deve sempre questionar o seu médico veterinário acerca da introdução de novos alimentos ou snacks, no sentido de saber se são adequados para o seu cão.

6. Check-ups regulares

tartaro em caes veterinaria a ver dentes

Deve tentar observar a boca do seu cão com regularidade de forma a verificar se existe algum tártaro.

Caso o seu cão lhe permita fazer a escovagem dos dentes, pode aproveitar esse momento para observar a sua boca. É importante que veja, para além da parte da frente, os dentes mais atrás no interior da boca, pois muitas vezes, é aí que há maior acumulação de tártaro em cães, mesmo que os dentes da frente estejam limpos.

Caso o seu cão não lhe permita mexer na boca, deve levá-lo com regularidade ao médico veterinário para verificar como está a sua boca. E com o Plano de Saúde Animal da Vetecare, por apenas 13€ pode ter acesso a uma vasta rede de profissionais e descontos para cuidar da saúde oral do seu patudo.

Tártaro em cães: como tratar?


tartaro em caes cao em cirurgia

A partir do momento em que há formação de tártaro, só é possível eliminá-lo através de uma limpeza realizada pelo seu médico veterinário, ao qual chamamos destartarização.

Este método é semelhante ao utilizado para a remoção do tártaro nas pessoas pelo médico dentista. No entanto, para ser feito este procedimento em cães é necessário que o animal esteja sob o efeito de anestesia geral.

O médico veterinário é o único profissional habilitado a avaliar e aconselhar uma destartarização no seu cão, portanto, se suspeita que o seu cão tem tártaro, deve levá-lo a uma consulta para ser avaliado.

Após a destartarização é necessário ter os mesmos cuidados para prevenir o reaparecimento do tártaro, portanto deve aconselhar-se com o seu médico veterinário acerca dos melhores métodos de prevenção contra a formação de tártaro, evitando assim uma nova destartarização.

>>Saiba mais sobre como conseguir descontos em serviços de saúde para o seu melhor amigo.

Veja também:

Dra. Patrícia Azevedo Dra. Patrícia Azevedo

Patrícia Azevedo é médica veterinária natural de Braga. Desde a sua infância que é apaixonada por animais e sempre teve a ambição de ser médica veterinária. Trabalhou como voluntária em associações de proteção e ajuda a animais errantes desde os 11 anos de idade . Iniciou o seu percurso como estudante desta área na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro e concluiu os seus estudos no Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar. Tem três gatos e uma cadela retirados da rua. Trabalha atualmente na sua cidade natal, em medicina e cirurgia de pequenos animais.