Stress pós-traumático: saiba como superar um trauma

A perturbação de stress pós-traumático é mais comum do que aquilo que pensa e pode afetar de forma significativa a vida de quem dela padece. Saiba mais.

Stress pós-traumático: saiba como superar um trauma
75% da população está exposta a pelo menos uma situação traumática.

Um acontecimento traumático é aquele que ultrapassa a experiência humana usual. Geralmente é repentino, provoca grande impacto, é provocado por uma causa externa e causa medo, desespero e horror às pessoas que o vivenciam. Após experimentar um evento traumático, as pessoas podem ter problemas duradouros e desenvolver uma perturbação de stress pós-traumático.

A exposição a acontecimentos traumáticos pode afetar a vida profissional, as relações pessoais e familiares, a capacidade de formar ou manter relações de amizade, e a relação que as pessoas estabelecem consigo mesmas ao nível da autoestima e autoconfiança.

Afinal, o que é o stress?


Stress e stress pos traumatico

O stress é uma experiência humana normal e funciona como uma espécie de sistema de alerta que nos protege. Sentimos de medo ou apreensão quando antecipamos uma situação potencialmente desagradável ou perigosa.

O stress pode ser imensamente útil e benéfico, no entanto, pode tornar-se patológico. Quando atinge níveis extremos, quando não existe razão específica para estarmos tão ansiosos ou quando prejudica diferentes áreas da nossa vida diária devemos preocupar-nos e procurar ajuda especializada.

O stress extremo não afeta apenas a nossa saúde mental e emocional, pode também afetar a nossa saúde física. Perante uma situação de grande stress podemos sentir: aumento do batimento cardíaco; respiração mais rápida e intensa; indigestão; refluxo gástrico; náuseas; contração constante de determinados músculos; entre outros sintomas físicos.

Perturbação de stress pós-traumático


Inicialmente, a perturbação de stress pós-traumático estava exclusivamente associada aos conceitos de fadiga de combate ou neurose de guerra, já que os primeiros estudos sobre a temática foram realizados com militares após a 1ª Guerra Mundial. No entanto, hoje sabemos que esta patologia se entende a muitas mais realidades.

Como o próprio nome indica, a perturbação de stress pós-traumático surge depois de uma pessoa ter sido exposta a um trauma psicológico. Pessoas com perturbação de stress pós-traumático podem ter sido expostas a traumas de enorme gravidade, tais como: ameaça de morte; morte real; ferimento grave; violência sexual; assalto; acidente de automóvel; incêndio; entre outros.

A exposição ao trauma pode não ter sido direta, ou seja, estas pessoas podem ter testemunhado acontecimentos que ocorreram a outras pessoas ou ter tomado conhecimento de que determinado trauma aconteceu a alguém próximo.

Para se experienciar algo como traumático não é preciso estar envolvido numa situação de catástrofe ou perigo de vida. Basta que, por qualquer motivo, o nosso organismo nos tenha entendido impossibilitados ou incapazes para lidar com determinada situação. Obviamente, um trauma com esta gravidade menor não dá origem a uma perturbação de stress pós-traumático, mas isso não significa que não provoque desconforto, ansiedade e não altere a nossa vida.

Principais sintomas da perturbação de stress pós-traumático


pessimismo

Pessoas diagnosticadas com esta perturbação, geralmente, apresentam alguns dos seguintes sintomas:

a – Lembranças do trauma que causam mal-estar e que são intrusivas e recorrentes;

b – Sonhos perturbadores recorrentes, cujo conteúdo está relacionado com o trauma vivido;

c – Imagens mentais através das quais a pessoa sente ou atua como se o trauma estivesse a ocorrer novamente;

d – Mal-estar psicológico intenso e prolongado;

e – Reações físicas intensas face à exposição a estímulos que se assemelhem ao trauma;

f – Esforço para evitar memórias, pensamentos ou estímulos relacionados com o trauma;

g – Incapacidade para recordar algum aspeto importante do trauma;

h – Crenças negativas sobre si e sobre o mundo;

i – Culpar-se a si ou a outros pelo trauma;

j – Sentimentos depressivos, com perda de interesse e sensação de vazio;

k – Comportamento irritável, com acessos de raiva e com respostas de sobressalto exageradas;

l – Perturbação do sono e da capacidade de concentração.

Peça ajuda!


ajuda especialista

Após viver uma situação traumática, podem surgir sintomas intensos de stress, que podem durar muitos meses ou até anos. Os sintomas podem começar logo após o trauma, ou ter uma resposta retardada.

Os profissionais da área da saúde mental (psiquiatras e psicólogos) podem ajudar a enfrentar as situações de stress pós-traumático, para que alcance uma vida mais equilibrada, saudável e feliz. Peça ajuda!

Veja também:

Psicóloga Ana Graça Psicóloga Ana Graça

Mestre em Psicologia, pela Universidade do Minho, com a dissertação “A experiência de cuidar, estratégias de coping e autorrelato de saúde”. Especialização (Pós-Graduada) em Neuropsicologia Clínica, Intervenção Neuropsicológica e Neuropsicologia Geriátrica. Membro efetivo da Ordem dos Psicólogos Portugueses, com especialidade em Psicologia Clínica e da Saúde e Neuropsicologia. Para além da Psicologia é apaixonada por viagens, leitura, boa música, caminhadas ao ar livre e tudo o que proporcione felicidade!

Cofidis