Publicidade:

Síndrome do intestino permeável: um mito ou uma realidade?

A síndrome do intestino permeável para muitos é tida como certa e para outra parte da comunidade cientifica é colocada em causa por falta de estudos.

 
Síndrome do intestino permeável: um mito ou uma realidade?
Aprenda mais sobre este síndrome

O síndrome do intestino permeável ou poroso é, para muitos especialistas, uma condição patológica auto-imune, que pode englobar um conjunto de condições patológicas que levam a um aumento da permeabilidade intestinal, acompanhados de uma sintomatologia específica.

No entanto, os estudos que são a favor do síndrome do intestino permeável ainda são relativamente preliminares, pelo que uma grande parte da comunidade médica encara este síndrome com alguma descrença, tal como descrito pela Sociedade Gastrointestinal Canadiada 1.

Saiba mais sobre os pressupostos deste síndrome.

Em que consiste a síndrome do intestino permeável?


sindrome do intestino permeavel bacterias intestino

Os especialistas pró-síndrome defendem que esta patologia ocorre quando a barreira mucosa do intestino deixa de funcionar adequadamente, tornando-se menos eficiente e permeável, ou seja, o intestino perde sua capacidade de filtrar e acaba por permitir que toxinas, bactérias e fungos entrem para a corrente sanguínea. Desta forma pode comprometer o funcionamento de vários sistemas, como o endócrino, imunitário e linfático, pelo que pode provocar reações imunes locais e sistémicas (em todo o corpo).

Tendo por base unicamente o defeito na parede intestinal, eles defendem simultaneamente que as condições patológicas que podem levar a este síndrome são as seguintes:

 

Sintomatologia da síndrome do intestino permeável


sindrome do intestino permeavel mulher com dor

Os possíveis sintomas mais frequentes associados a este síndrome são:

  • Distensão abdominal;
  • Flatulência;
  • Cólicas abdominais;
  • Dor ou irritação crónica do estômago;
  • Artralgias;
  • Mialgias;
  • Prurido (comichão);
  • Febre;
  • Dejeções líquidas (diarreia);
  • Sensibilidades alimentares;
  • Dispneia (falta de ar);
  • Depressão;
  • Fadiga crónica;
  • Alergias.

 

Diagnóstico da síndrome do intestino permeável


sindrome do intestino permeavel exame colonoscopia

Este síndrome não apresenta um meio de diagnóstico amplamente reconhecido, no entanto o médico poderá sugerir a realização de determinados exames que ajudam a estabelecer um diagnóstico mais diferenciado ou a reduzir o leque de patologias que podem provocar a sintomatologia referida anteriormente.

Os exames que podem ser solicitados são:

  • Exame virulógico ou bacteriológico das fezes (para determinar por exemplo a presença de alguma bactéria);
  • Ecografia e/ou Radiografia abdominal;
  • Em última instância colonoscopia.

 

Síndrome do intestino permeável: formas de tratamento


sindrome do intestino permeavel alimentos ricos em fibra

É importante reter a informação de que a existência do síndrome do intestino permeável não é consensual na comunidade cientifica, uns defendem que ela existe, outros baseiam-se no facto de não existirem estudos que validem esta síndrome para não a considerarem.

Nos especialistas pró-síndrome o tratamento da causa ou condição subjacente pode ser suficiente para tratar os sintomas associados. E mesmo quando a causa exata não é clara, é possível reduzir os sintomas através de mudanças na dieta e no estilo de vida, pelo que diversas dietas e terapias são então devidamente recomendadas com base na sua capacidade de “fortalecer” a barreira intestinal e restaurar a permeabilidade ao nível fisiológico, como por exemplo:

  1. Manter um diário alimentar e os sintomas associados. Isto implica registar todos os alimentos que ingere, bem como os horários das refeições e todos os sintomas que surjam após a ingestão dos alimentos;
  2. Evitar alimentos com glúten (trigo, centeio ou cevada) ou lactose (lacticínios);
  3. Tomar suplementos alimentares (vitamina D), prebióticos e probióticos. Os probióticos são bactérias boas que são adicionados aos alimentos, ou se formam naturalmente em alguns deles, como por exemplo o iogurte;
  4. Optar por uma dieta pobre em açúcar;
  5. Manter uma dieta rica em fibras, uma vez que as fibras melhoram a flora intestinal (aumentando o número de bactérias consideradas “boas” ao organismo), ajudam a normalizar os movimentos peristálticos, ajudam a diminuir o risco de infeções intestinais, ajuda a diminuir o peso corporal, entre outros benefícios. Tipo de alimentos ricos em fibras: grãos, frutas, legumes e sementes;
  6. Incluir gorduras saudáveis na alimentação, como por exemplo o ómega-3, pois para além de favorecer as bactérias benéficas do organismo, também ajuda a combater possíveis processos inflamatórios. Alimentos ricos em ómega-3: atum, salmão, cavala, castanhas, entre outros;
  7. Promover hábitos que alcalinizam o corpo e que são anti-inflamatórios, como: consumir limão (água com 1/2 limão pela manhã em jejum), curcuma, frutas ricas em vitamina C, todas as frutas vermelhas, alimentos crus em forma de sopas frias ou sumos verdes;
  8. Ingerir líquidos em abundância de forma a prevenir uma desidratação;
  9. Evitar o stress, optando por técnicas como a meditação ou yoga e se necessário recorrer a fármacos específicos para esse fim;
  10. Parar de fumar.

Apesar do referido anteriormente, até ao momento, não há evidências convincentes de que uma intervenção que restaure ou melhore a função de barreira intestinal no homem possa alterar a história natural de uma determinada doença. Desta forma, ao seguir as práticas de tratamento pró-síndrome 2 referidas anteriormente, podem levar a défices nutricionais em vez de reduzir os sintomas.

Pelo que, para Cerqueira, J. (2017), o termo Síndrome do intestino permeável deve ser usado de forma restrita “às situações em que a função das junções epiteliais está prejudicada, resultando num aumento do fluxo de substâncias através da via paracelular” 3 e não generalizar às doenças auto-imunes referidas ao longo deste artigo.

Fontes

  1. mymedfarma.com/pt/guia-da-saude/5-gastroenterologia-figado-e-vias-biliares/2752-sindrome-do-intestino-permeavel
  2. Debunking the Myth of ‘Leaky Gut Syndrome’
    badgut.org/information-centre/a-z-digestive-topics/leaky-gut-syndrome
  3. Cerqueira, J. (2017). Intestino Poroso…. Mito ou realidade?
    scimed.pt/geral/intestino-poroso-mito-ou-realidade

 

Veja também:

Enfª Bárbara Andrade Enfª Bárbara Andrade

Bárbara Andrade é Enfermeira Especialista em Reabilitação e Formadora em várias entidades. Desta forma, tem como princípios a promoção e a educação para a Saúde nas diferentes faixas etárias. Terminou a Especialidade em Enfermagem de Reabilitação na ESEnfCVPOA e exerce atualmente o cargo de enfermeira no CHEDV - HSS.

O Vida Ativa disponibiliza e atualiza informação, não presta serviços de aconselhamento nutricional, de saúde ou de treino. O Vida Ativa não é proprietário nem responsável pelos produtos e serviços de terceiros apresentados, por conseguinte não será responsável por quaisquer perdas ou danos que possam resultar de quaisquer imprecisões ou omissões. A informação está atualizada até à data apresentada na página e é prestada de forma geral, tratando-se de textos meramente informativos, pelo que não constitui nem dispensa a assistência profissional qualificada e individualizada. Caso pretenda sugerir uma atualização, por favor, envie-nos a sua sugestão para: [email protected].