7 Sinais de alarme no seu animal a que deve estar atento

Existem alguns sinais de alarme no animal aos quais deve estar atento. Saiba decifrar quais são e ajude o seu melhor amigo em qualquer situação.

Powered by: Vetecare
7 Sinais de alarme no seu animal a que deve estar atento
Estando atento a alguns sinais pode perceber se o seu animal está doente.

Alguns comportamentos que encara como sendo normais, podem ser sinais de alarme no animal. Conheça alguns sinais que indicam que o seu melhor amigo poderá estar a desenvolver alguma doença.

7 Sinais de alarme no animal que deve conhecer bem


1. Beber muita água

sinais de alarme no animal cao a beber muita agua

Beber muita água pode ser normal em períodos de muito calor, após exercício intenso ou excitação. No entanto, quando beber demasiada água se torna constante, especialmente em animais mais velhos pode ser um mau sinal.

Polidipsia, é o termo médico utilizado, para descrever o aumento de ingestão de água, pode ser um sinal de doenças endócrinas como a diabetes ou Síndrome de Cushing. Também pode aparecer em casos de insuficiência renal ou diarreia, sendo que o organismo tenta compensar as perdas de água aumentando a sede.

Alguns medicamentos também podem causar polidipsia, portanto, questione sempre o seu médico veterinário acerca dos efeitos possíveis da medicação.

Caso o seu animal esteja a beber demasiada água consulte o seu médico veterinário, pois através de alguns exames é fácil perceber se esse aumento de ingestão é derivado a alguma patologia. Saiba que o plano de saúde Vetecare pode ajudá-lo a poupar em possíveis despesas de veterinário. Com uma vasta lista de veterinários parceiros por todo o país e por apenas 13€ por mês, este plano vai facilitar o acesso a uma rede de prevenção e cuidados essenciais para o seu melhor amigo.

2. Urinar fora do sítio

sinais de alarme no animal cao faz xixi fora do sitio

Se o seu cão ou gato costumam urinar no local correto mas ultimamente urinam num local inadequado algo de errado poderá estar a acontecer.

Muitas vezes este comportamento pode estar associado a stress ou dor, portanto é importante perceber a causa desta alteração comportamental.

Alguns gatos, caso a caixa de areia esteja suja podem urinar fora da caixa, ou pode haver algum fator de stress que associem à caixa, como outro gato não permitir que lá chegue ou estar disposta num local com muito barulho.

Também, principalmente em gatos, que usam a caixa de areia, gatos idosos com dores nas articulações podem ter dores ao entrar na caixa e optar por fazer as suas necessidades fora da caixa.

No caso de haver um aumento de ingestão de água, pode haver um aumento de produção de urina e o animal pode não conseguir controlar a urina em excesso acabando por urinar em locais inadequados. Desta forma, qualquer causa de poliúria pode também acabar por estar associada a urinar em locais desadequados.

Também pode dever-se a infeções urinárias, principalmente se houver dor durante a micção.

De qualquer forma, independentemente da causa, se o seu animal urinava no local indicado e deixou de o fazer, deve procurar o médico veterinário para perceberem a causa do problema e conseguir resolvê-lo.

3. Vomitar

sinais de alarme no animal bolas de pelo de gato

Vomitar de vez em quando pode parecer normal, especialmente em gatos quando expelem as chamadas “bolas de pelo”, e cães que ingerem erva. Também animais que comem demasiado rápido podem acabar por regurgitar a comida, daí que seja importante também distinguir um vómito de uma regurgitação.

Começando por distinguir estas duas situações, uma regurgitação, por norma, acontece depois de uma refeição, mas pode também acontecer mais tarde. O aspeto do regurgitado é de forma tubular e acontece que muitas vezes o próprio animal ou outros comem-no, pois trata-se de comida ainda inteira.

Também na regurgitação o animal, não tem mais sintomas associados e continua ativo e com apetite, ao contrário do vómito que deixa o animal nauseado.

Os vómitos, mesmo por bolas de pelo, em gatos, nunca devem ser considerados uma situação normal, e vomitar muitas vezes pode levar até que o animal desenvolva outros problemas como gastrite, inflamação do estômago.

4. Isolar-se

sinais de alarme no animal gato isolado

Principalmente em gatos, quando se sentem com dores ou frágeis de alguma forma, em vez de procurar ajuda com os seus tutores, tendem a isolarem-se e esconderem-se.

Isto deriva dos seus ancestrais, por, para além de predadores serem presas de outros animais. Dessa forma, quando estavam frágeis, na vida selvagem, não demonstravam sinal de dor e resguardavam-se.

Os cães já apresentam a dor de uma forma diferente, normalmente mais percetível para os seus tutores.

Se o seu animal ultimamente se tem isolado e escondido e antes não demonstrava esse comportamento, significa que pode estar com algum problema de saúde.

5. Perder pelo

sinais de alarme no animal cao perdeu pelo

A perda de pelo nos animais é normal, principalmente na altura de mudanças de estação, como na primavera e no outono, quando trocam a sua pelagem.

No entanto, perda de pelo excessiva, às vezes até causando falhas de pelo (alopécia) podem ser sinais de doenças de pele, como sarnas, presença de parasitas externos, alergias ou infeções.

Se o seu animal perde pelo de uma forma excessiva, deve consultar o seu médico veterinário.

6. Tossir

Tal como as pessoas, é normal que o seu animal possa tossir de vez em quando, devido a um engasgo ou a uma impressão na garganta. No entanto, quando a tosse se torna constante, pode ser um sinal de alerta.

Pode tratar-se de um sintoma de infeção respiratória, asma, bronquite e muitas outras doenças que merecem atenção e necessitam de ser diagnosticadas de uma forma precoce.

7. Comer demasiado

sinais de alarme no animal cao a comer muito

Quando um animal come pouco ou deixa de comer, por norma, é interpretado pelos seus tutores como um sinal de alarme. No entanto, quando os animais começam a comer em demasia, raros são os tutores que tomam em consideração que pode ser um sintoma de alguma doença.

Comer em excesso, polifagia, pode ser um sintoma de doenças endócrinas como a diabetes. Também pode ser devido a stress ou tumores que afetam a parte do cérebro que regula o centro de saciedade.

Se o seu cão demonstrar algum destes sintomas, lembre-se que é fundamental consultar o médico veterinário para garantir que o animal é devidamente acompanhado. Com o plano de saúde Vetecare, pode poupar em possíveis exames e consultas necessárias. Conheça as condições.

Veja também:

Dra. Patrícia Azevedo Dra. Patrícia Azevedo

Patrícia Azevedo é médica veterinária natural de Braga. Desde a sua infância que é apaixonada por animais e sempre teve a ambição de ser médica veterinária. Trabalhou como voluntária em associações de proteção e ajuda a animais errantes desde os 11 anos de idade . Iniciou o seu percurso como estudante desta área na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro e concluiu os seus estudos no Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar. Tem três gatos e uma cadela retirados da rua. Trabalha atualmente na sua cidade natal, em medicina e cirurgia de pequenos animais.