Publicidade:

7 Raças de cães sem odor: conheça as que não têm o típico "cheiro a cão"

O cheiro a cão é uma caraterística da espécie, no entanto existem algumas raças de cães sem odor. Descubra quais são estas raças neste artigo.

7 Raças de cães sem odor: conheça as que não têm o típico
Algumas raças não manifestam o típico "cheiro a cão" intenso.

O cheiro a cão pode ser um problema para os tutores, mesmo tendo todos os cuidados de higiene com o seu cão. No entanto, saiba que existem algumas raças de cães sem odor, ou com menor odor do que os outros, devido às suas caraterísticas na pelagem.

Porque é que normalmente os cães libertam odor?


racas de caes sem odor comida de cao seca

Existem vários fatores que contribuem para o odor dos cães, desde a higiene, a sua alimentação, o tipo de pelo e a sua pele.

1. Alimentação

Uma má nutrição pode levar há falta de alguns nutrientes essenciais, levando a problemas de pele e perda de pelo. Opte sempre por uma gama premium adequada ao seu animal.

Se necessário consulte o seu médico veterinário acerca da alimentação mais adequada para o seu cão.

2. Tipo de pelo

É normal que em cães de pelo longo embaracem e se depositem substâncias que causem mau cheiro. Tendo em conta o tipo de pelo, deve ter alguns cuidados com o seu cão.

Cães de pelo longo devem ser escovados diariamente, enquanto cães de pelo curto podem ser escovados semanalmente.

3. Pele

Todos os cães tem glândulas que produzem gordura responsável pelo odor característico dos cães.

4. Higiene

Os hábitos de higiene como o banho e a escovagem devem ser mantidos para evitar que o animal tenha um odor marcado. Os banhos nuca devem ser com intervalo menor do que uma vez por mês e deve utilizar sempre um champô apropriado ao seu cão.

Existem também champôs secos que possibilitam limpar o animal sem tomar banho, que pode ser utilizado durante o intervalo entre banhos

Porque é que o cão liberta um odor exagerado?


racas de caes sem odor cao a cocar orelha

Em algumas situações o odor que sente do seu cão pode não ser normal, mas sim dever-se a uma situação patológica como alguma infeção.

1. Otites

Por vezes o mau cheiro pode ter origem no ouvido do cão com origem numa otite. É uma situação frequente e manifesta-se, por norma, por vermelhidão do ouvido e por prurido na zona do ouvido. O cão pode coçar com as patas e chegar inclusive a fazer ferida. Também pode sacudir várias vezes a cabeça abanado as orelhas.

Raças com orelhas caídas têm maior propensão para este tipo de problemas, mas devem ser tomados cuidados com qualquer cão.

Deve limpar os ouvidos uma vez por semana ou quinzenalmente, com um produto apropriado para limpeza de ouvidos e proteger os ouvidos com algodão quando o cão toma banho ou nada na água.

2. Dermatites

As infeções na pele (dermatites) podem ser causadas por bactérias ou fungos e pode surgir mau odor generalizado. Se notar que o seu cão apresenta um odor mais intenso do que o normal deve consultar o seu médico veterinário.

Juntamente com o mau odor podem surgir outros sintomas:

  • Prurido (comichão);
  • Eritema (vermelhidão);
  • Bolhas;
  • Feridas.

3. Mau hálito

Se sente um odor desconfortável quando o seu cão está por perto, o problema poderá também estar na boca. Inflamações como estomatite, gengivite, abcessos, tártaro podem fazer com que o seu cão apresente mau hálito.

É importante tentar perceber de onde surge o mau odor e levá-lo ao médico veterinário o quanto antes.

4. Glândulas anais

Todos os cães possuem duas glândulas na zona do ânus que serve para facilitar a expulsão das fezes e também para comunicarem entre si, razão pela qual quando se conhecem, os cães costumam cheirar-se nessa zona.

Quando, por algum motivo, esse conteúdo líquido não se esvazia, pode emitir um odor intenso e desagradável. Pode inclusive levar a infeções graves se não forem esvaziadas pelo médico veterinário.

Um dos sinais que poderá manifestar, para além do mau odor, é arrastar o rabo no chão, portanto esteja atento.

7 Raças de cães sem odor


1. Shih Tzu

raças de caes sem odor shih tzu

Esta é uma das raças de cães sem odor, no entanto apresenta um cheiro caraterístico. O seu longo pelo precisa de cuidados e escovagem diária e limpeza pois principalmente depois das refeições podem ficar sujos.

Saiba mais sobre esta raça aqui >>

2. Dálmata

racas de caes sem odor dalmata

Apesar de ter pelo curto é uma raça que perde bastante pelo. No entanto, não liberta grande quantidade de gordura pela pele, dessa forma não liberta tanto odor.

Saiba mais sobre esta raça aqui >>

3. Husky Siberiano

racas de caes sem odor husky siberiano

Os Huskies por norma manifestam um odor leve, mas sem o típico “cheiro a cão”. Têm o pelo longo e necessitam portanto de alguns cuidados extra.

Saiba mais sobre esta raça aqui >>

4. Whippet

racas de caes sem odor Whippet

Os exemplares desta raça têm um odor pouco intenso e pelo curto, portanto são raças fáceis de tratar a nível de cuidados.

Saiba mais sobre esta raça aqui >>

5. Boston Terrier

racas de caes sem odor boston terrier

Esta raça apresenta pelo curto e é uma das raças de cães sem odor. Adaptam-se bem a espaços pequenos como apartamentos e soltam pouco pelo.

Saiba mais sobre esta raça aqui >>

6. Schnauzer

racas de caes sem odor schnauzer

Os cães desta raça soltam muito pouco pelo e o seu odor é quase impercetível. São cães com pelo muito comprimido portanto necessitam de cuidados de higiene e escovagem diária.

Saiba mais sobre esta raça aqui >>

7. Cão de crista chinês

racas de caes sem odor cao de crista chines

Existem duas variedades desta raça: com pelo e sem pelo. Os exemplares com pelo, por ser longo, necessitam de cuidados específicos, os sem pelo têm uma pele muito sensível.

Saiba mais sobre esta raça aqui >>

Veja também:

Dra. Patrícia Azevedo Dra. Patrícia Azevedo

Patrícia Azevedo é médica veterinária natural de Braga. Desde a sua infância que é apaixonada por animais e sempre teve a ambição de ser médica veterinária. Trabalhou como voluntária em associações de proteção e ajuda a animais errantes desde os 11 anos de idade . Iniciou o seu percurso como estudante desta área na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro e concluiu os seus estudos no Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar. Tem três gatos e uma cadela retirados da rua. Trabalha atualmente na sua cidade natal, em medicina e cirurgia de pequenos animais.

O Vida Ativa disponibiliza e atualiza informação, não presta serviços de aconselhamento nutricional, de saúde ou de treino. O Vida Ativa não é proprietário nem responsável pelos produtos e serviços de terceiros apresentados, por conseguinte não será responsável por quaisquer perdas ou danos que possam resultar de quaisquer imprecisões ou omissões. A informação está atualizada até à data apresentada na página e é prestada de forma geral, tratando-se de textos meramente informativos, pelo que não constitui nem dispensa a assistência profissional qualificada e individualizada. Caso pretenda sugerir uma atualização, por favor, envie-nos a sua sugestão para: [email protected].